Notícias

Íntegra da fala do Padre Cristóvão ao tomar posse em São Miguel das Matas

  por Magno Bastos - 14/01/2019 10:23
Foto: Yago Lázaro - Criativa On Line

Reverendíssimo Senhor Bispo Diocesano Dom Valdemir; meus irmãos Padres; Excelentíssimas autoridades aqui presentes ou representadas; Minha amada família, amigos, ex-paroquianos;
Estimado povo de São Miguel das Matas, meus prezados paroquianos; Irmãos e irmãs:

Sem sombra de dúvidas, este é um dia muito significativo, bonito e abençoado em minha vida.

Voltar à minha terra, meu torrão... Aproximar-me dos que fizeram e fazem parte da minha história de vida e de toda a minha família e de me reconhecer nessas raízes é algo grandioso e divino, para o qual faltam palavras que descrevam o que sinto em meu coração.

Alegro-me com e por toda a minha família, a quem tanto amo, especialmente pela graça de ter minha mãe, Laurentina, conhecida e amada como Loura, por perto, viva, lúcida e interagindo conosco através do whatsapp aos oitenta e cinco anos, o que é uma das minhas felicidades. Creio que é o amor que a mantém firme, disposta e esperançosa. Pessoas desse tipo nos ensinam que a vida é pra ser vivida no propósito de fazer o bem sempre e essa lição trago no meu coração e na minha prática. Somente o seu problema de saúde a impediu de estar e participar fisicamente conosco, mas ela nos acompanha neste momento, através das redes sociais.

Com este espírito de comunhão, que aprendi no seio de minha família, na alegria deste momento vivido com vocês e confiante na misericórdia e na graça de Deus coloco-me a serviço deste povo, nesta terra onde nasci e aprendi a ser Igreja e a servi-la na fé e na escuta da Palavra. Muitos foram os aprendizados e experiências vivenciadas na minha infância e adolescência neste chão. Um deles foi a experiência da jaqueira.

Certa vez, escutei de meu pai, que uma jaqueira adulta transplantada não sobrevive, pois suas raízes não se adaptam ao novo solo. Por muitas vezes, pensei no que isso significava e percebi que quando não estamos próximos de nossa origem, de nossa história de vida, daquilo que faz de nós quem somos não vivemos como deveríamos.

Assim como a jaqueira, precisamos nos manter no solo onde fomos plantados para que não percamos a nossa identidade e este chão é a família, é a comunidade. Quando não estamos inseridos na comunidade, enquanto cristãos, não encontramos o sentido da vida. É uma planta de grande porte, colocada em um pequeno vaso que não se desenvolve, mas também não morre. Não vive, mas vegeta.

A comunidade é o lugar, a terra fértil, na qual aprendemos a ser pessoa, a ser filho de Deus, onde a fé cresce em nosso coração e se transforma em característica de vida. E essa foi a experiência de vida e de comunidade cristã que aprendi. Precisamos estabelecer nossas raízes na vivência familiar e comunitária, para que a vida ganhe sentido no encontro e na comunhão de pessoas, na fé partilhada e na unidade que fazem de nós Igreja.

Retorno a São Miguel das Matas, minha terra natal, com a alegria de quem reencontra suas raízes e o solo firme para continuar a missão de servir à comunidade na partilha da vida e dos dons do ser Igreja.

Trago comigo as experiências e aprendizados que recebi de meus pais, de minha família, dos seminários e as lembranças dos momentos em que vivi na minha infância e adolescência, formando-me enquanto pessoa e como cristão.

Recordo meus medos, meus professores, catequistas, amigos do grupo de coroinhas e de escola e da convivência com os vizinhos... Com eles dividi as experiências políticas, sociais e humanas daquela época de sofrimento e felicidade. De igual modo, acolho cada um de vocês com suas experiências e vivências para prosseguirmos a nossa história de fé e de comunhão.

Volto como pároco, não para ser um para, mas um com vocês, caminhando na humildade e na mansidão, no espírito de acolhida e serviço, para dar continuidade às experiências pastorais e construir o nosso caminho, numa igreja fraterna e solidária, na qual todos têm vez e voz. Sei que encontraremos desafios e dificuldades ao longo de nossa caminhada, mas teremos a força da fé e comunhão fraterna para superar estes e viver a alegria da missão.

Agradeço a acolhida, a amizade, as orações de todos os amigos das paróquias por onde passei: São Filipe, Nazaré, Amargosa e Castro Alves, com quem caminhei estes últimos seis anos.

Agradeço pelas vivências e amizades construídas, pelo amadurecimento pastoral que é fruto de uma igreja participativa.

          Sob a proteção de São Miguel Arcanjo e intercessão de São Roque e Nossa Senhora, caminhemos juntos na edificação do reino de Deus.

Pe. Cristóvão Reis Brito de Figueredo.

São Miguel das Matas, 13 de janeiro de 2019.

Abaixo a transmissão ao vivo da Criativa On Line

+ Cidades

Comentários









Enquetes


Categorias

Áudios Cidades Colunas Educação Entretenimento Esportes Mensagens PodCast Polícia Política Publicidade Saúde Tempo

Rede Criativa

Mídia Notícias Rádio Hoje Brasil Repórter Hoje

Cidades

Amargosa Baixo Sul Brejões Elísio Medrado Itatim Laje Milagres Piemonte do Paraguaçú Recôncavo Baiano Salvador e RMS Santo Antonio de Jesus São Miguel das Matas Ubaíra Vale do Jiquiriçá Varzedo Vitória da Conquista e Sudoeste
Anunciar | Você Repórter | Termos de Uso | Contato | Expediente
©Copyright - Criativa On Line - Rede Criativa de Comunicação
A Força da Comunicação na Internet! 17/01/2019 01:50