Notícias

Projeto de igualdade racial e de gênero de Colégio em Ibirapitanga é apontado como referência para o Brasil

  por Cristóvão Guimarães - 25/09/2018 11:21

elo projeto, a unidade escolar recebeu o prêmio 'Educar para a Igualdade Racial e de Gênero’, em 2015, e, nesta segunda-feira (24), técnicos do CEERT visitaram a comunidade escolar para saber o impacto da ação pedagógica na vida dos estudantes

O projeto 'Diálogo para a Diversidade', desenvolvido no Colégio Estadual Paulo César da Nova Almeida, localizado no município de Ibirapitanga (360 km de Salvador), está sendo apontado como uma referência para o Brasil, pelo Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT), uma organização não-governamental que produz conhecimento, desenvolve e executa projetos voltados para a promoção da igualdade de raça e de gênero.

O sociólogo e pesquisador do CEERT, Mário Rogério da Silva, integra a equipe que está visitando o colégio. Ele informou que o CEERT selecionou três mil práticas exitosas em todo o Brasil e a unidade escolar baiana está entre as 10 que servirão de exemplo para outras escolas. Para tanto, estão sendo produzidos materiais sobre o projeto, incluindo audiovisuais, que serão disponibilizados para no Portal do CEERT (http://www.ceert.org.br/) e para instituições de ensino públicas e particulares do Brasil.

Segundo o sociólogo, o diferencial do trabalho desenvolvido com os estudantes de Ibirapitanga é o incentivo ao diálogo. "É uma iniciativa muito interessante porque os alunos interagem, cada um com sua cultura e visão, sobre as dificuldades encontradas no dia a dia, em casa e na sua comunidade. Observamos que a prática impactou positivamente a vida dessa comunidade", afirmou.

O professor Francisco Cruz do Nascimento, idealizador do projeto, concorda. Segundo ele, o projeto trouxe vários benefícios tanto para os estudantes quanto para os professores, que, conforme explicou, tinham dificuldade em falar sobre temas como racismo e diversidade de gênero.

"Fizemos um trabalho de conscientização, oficinas de teatro e os temas passaram a ser abordados com mais naturalidade. Com isso, reduzimos bastante o preconceito e elevamos a autoestima dos nossos estudantes.

O resultado não poderia ser melhor, tivemos uma elevação no índice de aprovação e reduzimos a evasão escolar". Para o professor Francisco, a premiação foi essencial para o fortalecimento do projeto. "O reconhecimento foi essencial porque professores e a gestão ampliaram o foco do pedagógico para as questões étnico-raciais", completou o professor, que foi convidado pelo CEERT para ser consultor nacional da instituição.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, destaca a amplitude dos projetos desenvolvidos na rede estadual. “A Secretaria tem incentivado a realização destes projetos envolvendo estudantes, professores e as comunidades onde as escolas estão inseridas. São práticas que abrem as escolas para o enfrentamento dos problemas do quotidiano, contribuindo para a formação plena dos estudantes”, afirmou.

O prêmio - Realizado pela primeira vez em 2002, o Prêmio Educar para a Igualdade Racial e de Gênero constituiu um acervo de mais de 3 mil práticas pedagógicas e de gestão desenvolvidas no país. A iniciativa tem os objetivos iniciais de identificar, difundir, reconhecer e apoiar boas práticas pedagógicas e de gestão escolar que promovam, reconheçam e valorizam a diversidade étnico-racial nas escolas.

+ Educação

Comentários









Enquetes


Categorias

Áudios Cidades Colunas Educação Entretenimento Esportes Mensagens PodCast Polícia Política Publicidade Saúde Tempo

Rede Criativa

Mídia Notícias Rádio Hoje Brasil Repórter Hoje

Cidades

Amargosa Brejões Elísio Medrado Itatim Laje Milagres Piemonte do Paraguaçú Recôncavo Baiano Salvador e RMS Santo Antonio de Jesus São Miguel das Matas Ubaíra Vale do Jiquiriçá Varzedo Vitória da Conquista e Sudoeste
Anunciar | Você Repórter | Termos de Uso | Contato | Expediente
©Copyright - Criativa On Line - Rede Criativa de Comunicação
A Força da Comunicação na Internet! 16/12/2018 07:31