Notícias

Animal transita livremente na Ponte Lourival Ramos em Mutuípe

Na noite desta sexta feira (03) o Mídia Bahia flagrou na ponte Lourival Ramos em Mutuípe um Boi transitando livremente pela via, oferecendo perigo a condutores e pedestres que passam pelo local.

É freqüente no Vale do Jiquiriçá animais ficarem soltos sem que se saiba quem são os procuradores, a situação se agrava quando acontece algum tipo de acidente, é que os proprietários não aparecem sob hipótese alguma.

A BR-420 também é utilizada como pasto por diversos criadores, para quem trafega pela região é preciso ter bastante atenção para não se envolver em um acidente.

Postado em 04 de Julho, às 16:34 por Redação Criativa 0 comentários

A Criativa acompanha rodadas da Copa Inter Vale neste domingo

Neste domingo (05) acontecem os jogos de ida das Semifinais da Copa Inter Vale edição de 2015.

No Estádio Municipal Mário Muniz monteiro em Ubaíra, às 15:00h, Ubaíra recebe a Seleção de Brejões.

Em São Miguel das Matas, no Estádio Odílio Fernandes de Souza, às 15:00h, São Miguel das Matas, recebe a Seleção de Laje.

Os jogos de volta das semifinais serão dia 12, uma semana depois, em Brejões às 15:00h, tem Brejões x Ubaíra e em Ubaíra, também às 15:00h tem Laje x São Miguel das Matas.

O mando de campo de Laje, que continua sem estádio, é São Miguel das Matas, todavia, a confusão na última partida entre São Miguel das Matas e Amargosa, rendeu além das expulsões de Dio, Preparador de Goleiro e do zagueiro Robson, a perda de um mando de campo.

Postado em 04 de Julho, às 11:06 por Redação Criativa 0 comentários

Seleção de Laje ainda não atuou com força total na Copa Inter Vale 2015

A Seleção de Laje, comandada pelo Técnico Bacural segue prejudicada por não ter o seu estádio à disposição, fechado há quase quatro anos para reformas e ainda não atuou na copa Inter Vale 2015 com força máxima.

De acordo com Bacural, vários atletas inscritos na competição disputam campeonatos em outros municípios e por serem boleiros (viverem da bola), sempre atuam por equipes que pagam por suas partidas.

Neste domingo a seleção lajista volta ao estádio Odílio Fernandes de Souza em Sã Miguel das Matas, local do seu mando de campo, para enfrentar a equipe miguelense e ainda não há certeza quanto a presença de alguns jogadores eu disputam campeonato em Valença.

Postado em 02 de Julho, às 09:59 por Redação Criativa 0 comentários

São Miguel enfrenta Laje neste domingo pelo Inter Vale com desfalques

A partida de volta envolvendo as Seleções de São Miguel das Matas e Amargosa pelas oitavas de finais da Copa Inter Vale 2015, deixaram prejuízos para a equipe classificada que precisa amadurecer para os próximos confrontos.

São Miguel das Matas conseguiu a classificação, porém perdeu um mando de campo, um zagueiro e o preparador de goleiro para o confronto diante da Seleção de Laje nas quartas de finais do certame, que começa neste domingo (05).

O Técnico João Francisco prepara a equipe sem Robson expulso com cartão vermelho por reclamação e para o jogo de volta não contará com seu estádio, tendo que jogar em Ubaíra. Laje joga o primeiro jogo em São Miguel por ser o mando de campo de Laje em São Miguel, o estádio de Laje está fechado.

Sem Danilo, zagueiro de oficio que integrava a equipe, todavia teve que sair do elenco por conta de situações internas, a ausência desse atleta, que também não apresentou a maturidade suficiente de um jogador rodado, pode fazer falta na reta final da competição.

Postado em 02 de Julho, às 09:52 por Redação Criativa 0 comentários

Escola da Muquiba em São Miguel das Matas está no território de Laje

O governador Rui Costa (PT) sancionou um pacote de 11 leis que alteraram o território de 122 municípios nesta terça-feira (30) e São Miguel das Matas está entre eles.

Um fator que chama a atenção é que na localidade da Muquiba, zona rural de São Miguel das Matas, o Colégio Professora Marlene santos que atende desde a educação Infantil até o Ensino Fundamental do 2º Período, está no território de Laje, conforme a nova legislação.

Antes da nova Lei, o limite entre os municípios era um rio que passa próximo ao local e agora, o que divide os municípios de Laje e São Miguel das Matas é a estrada, portanto, tudo que está ao lado direito, seguindo de São Miguel das Matas, está no limite territorial de Laje.

Os equívocos de limite teritorial, já existem desde os anos 90, sempre vindos á tona no momento dos Censos Demográfico, ralizados a cada dez anos e perduram até então.

A medida não agradou a algumas das cidades, porque será responsável por mudanças na receita das prefeituras, sobretudo via repasses da União e arrecadação de tributos.

Durante muito tempo moradores das regiões próxima que dizem morar em São Miguel das Matas, afirmam serem recenseados por profissionais do IBGE que trabalham a serviço do município de Laje. Esse é um problema antigo, com medidas recentes do Governo do Estado, que pioram ainda mais a situação do município de São Miguel das Matas, que pode não perder receita decorrente do Censo, porém deixa de ganhar pois historicamente estas pessoas e locais que hoje estão no limite de Laje, sempre pertenceram a São Miguel das Matas.

Postado em 02 de Julho, às 09:35 por Redação Criativa 0 comentários

Garotas de Engenheiro Pontes enaltecem o São João de São Miguel

As garotas de Engenheiro Pontes, município de Laje que também realizou o São João deixaram sua cidade para curtir os festejos em São Miguel das Matas e na oportunidade destacaram ao Repórter Ivanildo Jr, que a festa miguelense foi muito melhor.

Para elas, a ornamentação, atrações e espaço onde foi realizada a festa foi excelente. Ouça o que elas disseram.

Ouça o áudio
Postado em 01 de Julho, às 16:30 por Redação Criativa 0 comentários

Congresso aprova aplicação da renegociação das dívidas dos municípios e estados com a União

Pauta antiga da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), a renegociação das dívidas dos municípios com a União avançou no plenário da Câmara dos Deputados. Na noite desta terça-feira, 30, foi aprovada a proposta que permite a aplicação da renegociação de índice de correção das dívidas municipais e estaduais com a União, independentemente de regulamentação. 

A aprovação da proposta representa uma importante vitória da FNP para 180 municípios brasileiros que enfrentam o cenário de pagar parcelas sem ver o saldo devedor diminuir. De acordo com uma das emendas ao projeto, a União terá até o dia 31 de janeiro de 2016 para assinar com os municípios os aditivos contratuais, mesmo que ainda não haja regulamentação. Após esse prazo, o devedor poderá recolher o montante devido com a aplicação do novo indexador.

A Câmara ratificou ainda as alterações do texto feitas pelo Senado Federal que autorizam Estados e municípios acessarem 70% do valor dos depósitos de processos judiciais e administrativos. Esses recursos poderão ser aplicados e prioritariamente no pagamento de precatórios judiciais. Restando saldo os recursos poderiam ser aplicados exclusivamente, e pela ordem, no pagamento de dívida fundada, na realização de investimentos ou para o equilíbrio da previdência própria. Além disso, os estados e municípios poderão utilizar até 10% da parcela transferida para constituição de Fundo Garantidor de PPPs (Parceria Público-Privadas) ou de outros mecanismos de garantia previstos em lei, dedicados exclusivamente a investimentos de infraestrutura.

Para Lacerda, a aprovação da proposta representa uma alternativa de melhoria financeira para as cidades. "Essa é uma pauta muito importante. Trabalhamos muito pela justiça na renegociação dessas dívidas. Esse avanço vai permitir que muitos municípios reequilibrem suas finanças. É uma medida que vai ao encontro do desejável equilíbrio fiscal e do equilíbrio federativo", comemorou.

A renegociação das dívidas vem sendo tema de debates e reuniões recorrentes da FNP. No dia 17 de junho, mais de 40 prefeitos trataram da pauta com os presidentes da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha e do Senado Federal, Renan Calheiros.

Antes, no dia 7 de maio, o prefeito de Belo Horizonte (MG), Marcio Lacerda, presidente da FNP, também conversou com os o presidentes sobre o tema. Durante o III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável (EMDS) uma reunião, de quase três horas, entre a diretoria executiva da entidade com a presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente Michel Temer e os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil), Joaquim Levy (Fazenda), Nelson Barbosa (Planejamento), também abordou a questão.

Sobre a renegociação - Os deputados aprovaram, em 2013, o Projeto de Lei Complementar 238/13, do Poder Executivo, transformado na Lei Complementar 148/14, para mudar o índice de correção das dívidas de estados, do Distrito Federal e de municípios com a União.

A renegociação de índice diminuiria o saldo devedor, com recálculo valendo a partir de 1º de janeiro de 2013. O projeto foi aprovado pelo Senado em outubro de 2014 e sancionado pela presidente Dilma Rousseff em novembro.

Desde 1997, no caso dos estados; e de 2001, no caso dos municípios, as dívidas são corrigidas mensalmente pelo IGP-DI mais 6%, 7,5% ou 9%, conforme o contrato.

A nova lei, cuja aplicação está sendo reforçada pelo projeto, determina a correção das dívidas pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mais 4% ou a taxa Selic, o que for menor.

A lei também autoriza a União a conceder desconto sobre os saldos devedores dos contratos. Esses descontos devem ser equivalentes à diferença entre o saldo devedor existente em 1º de janeiro de 2013 e aquele apurado usando-se a variação acumulada da taxa Selic desde a assinatura do contrato até essa mesma data, considerando-se os abatimentos.

Postado em 01 de Julho, às 15:40 por Redação Criativa 0 comentários

27 municípios baianos registram casos de síndrome paralisante

Este ano, foram registrados no estado 27 casos da Síndrome Guillain-Barré — apenas um paciente não apresentou antes os sintomas do Zika Vírus. Os pacientes apresentam dores e fraquezas nas pernas de forma ascendente, que podem provocar paralisia nos músculos respiratórios.

Salvador apresenta o maior número de casos: 10. Valença tem dois casos. Alcobaça, Camaçari, Camamu, Cândido Sales, Ibicuí, Irará, Itabuna, Itajuípe, Monte Santo, Mutuípe e Serrinha tiveram uma ocorrência cada.

De quatro pacientes não há informação de onde residem. Duas pessoas seguem internadas no Hospital Couto Maia. Não há dados relativos a 2014. A doença não tinha de notificação compulsória.

Postado em 01 de Julho, às 11:56 por Redação Criativa 0 comentários

Homem é preso em Mutuipe ao tentar roubar motocicleta

Na manhã desta terça-feira(30), na cidade de Mutuípe/BA, durante a execução da OPERAÇÃO HERMES, policiais militares do 14º Batalhão PM, prenderam em flagrante, PEDRO LUCAS SANTOS CARDOSO, no momento em que tentava roubar a motocicleta HONDA CG 125 FAN, placa JQO 8895.

Segundo informou a PM, as vítimas informaram que os autores agiram com bastante violência, inclusive, efetuando disparos de arma de fogo contra elas, que por pouco, não foram atingidas.

A arma usada no assalto, uma PISTOLA BERETA, calibre 6,35, ainda com um cartucho intacto, foi apreendida e apresentada juntamente com o conduzid até a delegacia local, sendo autuado em flagrante pela autoridade competente, ficando à disposição da Justiça.

Postado em 30 de Junho, às 17:29 por Redação Criativa 0 comentários

Ubaíra comemora 124 anos de emancipação político administrativa

Ubaíra, cidade centenária, localizada a aproximadamente 270 km da cidade de Salvador, faz parte do Território de Identidade Vale do Jiquiriçá, está inserida na microrregião de Jequié, pertencente à mesorregião Centro-Sul Baiano, apresenta uma população de 19.725 habitantes, distribuídos numa área territorial de 726,259 km², resultando numa densidade demográfica de 27,19 hab./km². O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,624, seu Produto Interno Bruto de 2009 (PIB) a preços correntes é de 86.637e renda per capita de 4.043,15 (IBGE, 2010). Faz limites ao norte com o município de Amargosa, a leste com Jiquiriçá, a sudeste com Teolândia, a sudoeste com Wenceslau Guimarães, a oeste com Cravolândia e com Santa Inês e a noroeste com Brejões.

A História do Município inicia-se em 1790, quando João Gonçalves da Costa foi encarregado de conquistar os índios mongóis, localizados na Aldeia de Santo Antônio do Cantanhede, nas margens do rio Jiquiriça, tendo feito o que se lhe ordenara. Pediu, então, que o território por ele conquistado fosse anexado à vila de Valença, o que lhe foi negado, tendo, entretanto, isso acontecido posteriormente por força da Carta Régia de 01 de janeiro de 1813. Nas proximidades da região já existiam as sesmarias de São Paulo e Poço do Facão, que haviam sido doadas a Manuel de Sousa Santos e a Domingos de Matos e Aguiar, respectivamente, por Alvará de 13 de maio de 1770, sendo somente ocupadas em 20 de dezembro de 1781 pelos proprietários.

Da mesma forma, desde 1777, os terrenos, com meia légua para cada lado do Rio Jiquiriçá e denominados Barra da Estopa e Riacho da Torre, já haviam sido dados, por sesmaria, ao primeiro explorador da região, Francisco de Sousa Feio, que tomou posse das terras, com as solenidades então costumeiras, em 07 de maio de 1785. A fazenda de Francisco de Sousa Feio, denominada Pindobas, nome que ainda hoje conserva, estendeu-se até o riacho, em cuja margem se formaram diversas fazendas.

Francisco de Sousa Feio fixou residência no lugar chamado Estopa, também conhecido por Barra da Palmeira. Aí, onde edificou moradia e fez plantações, ainda vivem seus bisnetos e outros descendentes que se ocupam na lavoura. A sede da velha fazenda constitui hoje um pequeno povoado.

Com o aumento da família do primeiro posseiro, um genro seu, de nome Manuel de Sousa Santos, levou a exploração além dos limites da sesmaria e fixou residência no lugar a que se chamou Santa Inês. Sobrevindo no ano de 1824 o flagelo da seca, a qual, por três anos, crestou campos e sementeiras, Pedro da Costa Avelar e Vicente Ferreira de Sousa, este neto de Francisco de Sousa Feio, e ambos os genros de Manuel de Sousa Santos, abandonaram o local e vieram residir na sede da fazenda Areia, onde se voltaram à lavoura e construíram propriedades, um na parte conhecida por Areia de Cima e outro na conhecida por Areia de Baixo; que se constituíram, sucessivamente, em povoação, vila e, hoje, cidade de Ubaíra.

Por motivo da profunda decadência da vila de Santo Antônio do Jiquiriçá, foi sua sede transferida para o então povoado de Areia, que pertencia à Vila, pela Lei provincial nº 1046, de 17 de junho de 1868. Desde então, teve Areia a denominação de Vila de Jiquiriçá, até perder este nome por força da Lei nº 1611, de 16 de junho de 1876, passando a chamar-se São Vicente Ferreira de Areia.

O Ato estadual de 30 de junho de 1891 concedeu foros de cidade à sede municipal, sob o nome de Areia, nome que se estendeu ao município. Conforme a divisão administrativa do Brasil de 1911, Areia figurava integrado unicamente pelo distrito-sede, apresentando-se nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1920 composto de 6 distritos: Areia, Riachão, Volta do Rio (Sapucaia), Santa Inês, Caldeirão e Jaguaquara.

Segundo a divisão administrativa do Brasil, concernente ao ano de 1933, o município formava-se dos distritos de Areia, Riachão e Sapucaia, situação mantida nas divisões territoriais de 31 de dezembro de 1937. Com os mesmos distritos apareceu ainda no quadro territorial em vigor no quinquênio 1939-1943, estabelecido pelo Decreto estadual nº 11089, de 30 de novembro de 1938, observando-se, porém, as alterações toponímicas sofridas pelos dois últimos, que passaram a chamar-se, respectivamente, Baixinha e Engenheiro Franca.

Em virtude do Decreto-Lei estadual n° 141, de 31 de dezembro de 1943, que fixou o quadro territorial a vigorar no quinquênio 1944-1948, o nome do município e do seu distrito-sede passou a ser Ubaíra, vocábulo tupi que significa “mel de pau”, nomenclatura que perdura até os dias de hoje. Com a retificação do quadro pelo Decreto estadual nº 12.978, de junho de 1944, o município de Ubaíra permanece até os dias atuais constituído pelos distritos citados acima: Ubaíra, Baixinha e Engenheiro Franca.

No ano de 1914, houve uma grande chuva inundando o rio Jequiriçá que, transbordando seu leito avolumado pelos seus afluentes, precipitou-se sobre a cidade de Ubaíra transformando em caudaloso rio as ruas localizadas às suas margens; foram destruídas as casas das ruas Emídio Ramos, XV de Novembro e parte da José Gonçalves, as mais antigas da cidade, seculares, talvez, edificadas em terreno elevado, onde nunca chegaram as enchentes do rio Jiquiriçá. Além dessa, ocorreram outras enchentes que marcaram a história, como as de 1960 e 1964, que, além da destruição, deixaram muitas pessoas desabrigadas. Aspectos Geográficos e Demográficos Ubaíra é um Município que possui terrenos acidentados com morros e depressões, cercado de algumas matas por entre as quais escoam alguns rios e ribeirões, que lhes conservam e garantem grande fecundidade, formando belíssimos vales; o seu subsolo, formado de terreno argiloso-silicoso, em alguns lugares pedregoso, é coberto de uma camada de húmus, cuja espessura vária de acordo com altitude da localidade.

O Município apresenta clima tropical sub-úmido. É cortado pelo Rio Jiquiriçá que nasce no Município de Maracás, em um alagadiço e percorre por 275 km até chegar na sua foz, seus principais acidentes geográficos são as cachoeiras dos Prazeres, Inferno, Ferrugem e Risada. Infelizmente, o Rio Jiquiriçá se encontra poluído, pois a rede de esgoto é despejada em seu leito, contaminando, dessa forma, suas águas e os peixes que ainda existem, no ano de 2012, uma grande seca que atingiu a região, deixando o leito desse Rio quase seco em algumas cidades e em outras se transformou em apenas um pequeno riacho. A água que a população consome vem do Riacho do Mucuri, porém passa por uma estação de tratamento pertencente à EMBASA (Empresa Baiana de Águas e Saneamento). O município é composto pelos distritos de Engenheiro Franca e o da Baixinha; e pelos aglomerados rurais e povoados de Três Braços, Alto da Lagoinha, Jenipapo, Jacuba, Pindobas e Estopa.

A cobertura vegetal do Município, mesmo com devastação por parte dos madereiros, fazendeiros e agricultores, ainda apresenta algumas florestas, e uma variedade de madeiras destacando-se o cedro, o louro, o jacarandá, o sapucaia, o pequi, o pequiá, o pau d’arco, o vinhático, a massaranduba, a inhaiba, o jequitibá e muitos outras. Na fauna destacam-se aves de diversas espécies como: periquito, arara, juriti, tucano, João de barro, bem-te-vi, aracuan, gavião, bacurau, coruja, canário, sabiá, curió, pintassilgo, cardeal, colibri, azulão, sanhaço, stevan entre outros. Dentre os animais silvestres os mais destacados são: preá, paca, cutia, tamanduá, gambá, teiú e a raposa. Aspectos Socioeconômicos, Políticos e Culturais Ubaíra já teve uma produção agrícola bastante significativa na Região, produzindo todos os frutos e cereais de que recebia as sementes e adaptava-se à policultura. Produzia abundantemente café, fumo, cana-de-açúcar, mandioca, milho, feijão, arroz, cacau, algodão, batata, cebolas, amendoim, laranjas e variedades extraordinárias de outras frutas, legumes e cereais, que abasteciam o mercado e eram vendidas para outros lugares. Havia iniciado com proveito a cultura da vinha, existiam terrenos próprios para a lavoura do algodão, que era uma cultura florescente no município e estava isenta de impostos no orçamento municipal.

A lavoura de café era a maior riqueza do município; a do fumo pertencia aos pequenos agricultores e era muito generalizada; a de mandioca servia para o fabrico de farinha. Foram vendidas em 1920, 100 mil arrobas em 25 mil sacas. Em 1921, 136.318 em 34.079 sacas. Em 1922, 125.632 arrobas em 31.408 sacas.

Contavam-se diversas fábricas de cerâmica, sabão, móveis e calçados, padarias, alambiques, selarias e curtumes, ferrarias, engenhos, fábricas de farinha, alfaiatarias, barbearias, torrefação de café e pequeno fabrico de charutos, vinagre e vinho de frutas.

Existiam no município 12 padarias, 11 fábricas de calçados, 09 de móveis, 02 de sabão, 09 de cerâmica, 10 oficinas de ferreiro, 07 de funileiros, 02 de relojoeiro, 01 de ourives, 21 alfaiatarias e duas tipografias, não se podia determinar o número de engenhos, fábricas de farinha e outras do mesmo gênero, porque não estavam sujeitos a lançamento municipal. Por isso era quase impossível determinar o número de operários de cada uma e a quantidade de produção de tais fábricas.

O município possuía ricas e extensas florestas onde se encontrava grande variedade de madeiras de construção e marcenaria, as quais foram destruídas pelos madeireiros, principalmente pela empresa madeireira Incobal, que atuou por muitos anos na exploração de madeira nessa região.

Existiam grandes jazidas de grafite nas fazendas Pindobas, Córrego do Barro, Riachão da Tesoura, Cedro, na estrada do Rio Preto e outras e também de manganês na Fazenda Canoa, de mica, malacacheta e talco nas fazendas Sussuarana e Ladeira Grande.

Os numerosos vestígios de grafite, encontrados à flor da terra em grande número e pontos do Município, chamaram em 1903 a atenção de interessados que remeteram amostras para a capital. O engenheiro belga Dr. Leon MosselmanduChenoy, associado ao Sr. JosuháPelley Wilson Rowe, sócio da Empresa Anderson e Rowe e então cônsul dos Estados Unidos da capital, iniciou nesse ano as pesquisas, animado por um sindicato europeu. Esse engenheiro lavrou diversos contratos no município e logo deu início à exploração da mina existente na fazenda de Paulino José dos Santos, no Córrego do Barro, à margem do Rio Jiquiriçá, a três quilômetros da cidade. Na mesma ocasião, o engenheiro civil, Antônio Gonçalves Gravatá, contratado por um grupo de capitalistas, de que era representante o Sr. Cel. Arthur Freitas Maia Bittencourt, explorou a jazida de grafite existente na fazenda Pindobas, do Major Hygino José de Souza, também à margem do rio Jiquiriçá. Dessa mina foram levadas para a Capital mais de 50 sacas de grafite. Havia também diversas jazidas de barro para o fabrico de telhas, tijolos e louça comum.

Atualmente a economia do município baseia-se, sobretudo, na agropecuária, principalmente no cultivo de cacau, café, mandioca, cereais, verduras, milho, feijão, banana, produção de farinha de mandioca e gado bovino que também é de grande contribuição para a economia da região. Há também, no Munícipio, fábricas, a exemplo a DalPonte que gera empregos diretos e indiretos para centenas de pessoas; e, por fim, uma vocação para o turismo nas modalidades de turismo rural, ecoturismo e turismo de aventura.

Uma das atividades econômicas ainda mais importantes do município é a agricultura. Há, segundo o Censo Agropecuário de 2006, cerca de 3.097 estabelecimentos agropecuários no município. Nesses estabelecimentos há 8.029 pessoas ocupadas. Sendo que deste total 7.203 têm laços de parentesco com o produtor. De onde se conclui que a oferta de trabalho no campo é mínima, pois apenas 1.006 pessoas estão ocupadas e não possuem laços de parentesco com o produtor. Existe uma agricultura de subsistência. E mesmo assim o que se pode constatar no dia a dia é a produção, muitas vezes, da monocultura ou de duas ou três culturas diferentes, o que faz com que os pequenos produtores ainda tenham que adquirir outros produtos para sua alimentação. Existem, no município, 49 associações de produtores rurais, que a, depender das finalidades contidas no seu Estatuto, visam representar seus associados, frente aos órgãos técnicos competentes, com o objetivo de efetuarem relatórios para a aquisição de empréstimos, que serão investidos na melhoria do cultivo em suas terras. Cada associado consegue um empréstimo individual proporcional ao tamanho de suas terras. O PRONAF (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), do Governo Federal, é um exemplo desse tipo de empréstimo. Órgãos como a CEPLAC (Comissão Executiva de Planejamento da Lavoura Cacaueira) e a EBDA (Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola) dão suporte técnico a essas associações.

As principais lavouras cultivadas neste município com números expressivos, segundo o Censo 2010 , são: Banana – 10.710 Toneladas; Cacau – 2.242 Toneladas; Café – 324 Toneladas; Coco da Bahia – 90.000 frutos; Laranja – 28 Toneladas; Maracujá – 2.600 Toneladas; Feijão – 37 Toneladas; Milho – 42 Toneladas; Mandioca – 13.650 Toneladas; Tomate – 594 Toneladas.

Na pecuária são criados : Bovinos – 17.646 cabeças; Suínos – 9.226 cabeças; Caprinos – 872 cabeças; Ouvinos – 2.041 cabeças; Aves (galinhas, frangos) 64.629 cabeças.

O abate dos bovinos para comercialização é feito na cidade de Santo Antônio de Jesus a aproximadamente 80 km do município de Ubaíra.

Além da atividade agropecuária, há no Munícipio alguns estabelecimentos comerciais, fábricas e também o turismo que contribui para a geração de empregos. O Programa Bolsa Família é uma fonte de rendimento para a maioria das famílias pobres, urbanas e rurais deste Municipio. Em 2011, foi repassado a quantia de R$ 3.155.000,00 e em 2012 o total de R$ 3.563.616,00, às famílias de Ubaíra. No entanto, o principal recurso que sustenta o Munícipio como também gera maioria dos empregos públicos nesta cidade é o repasse de verbas feito pelo Governo Federal , totalizando R$ 23.941.889,51 no ano de 2011 e em 2012 o total de R$ 24.454.883,16

Em relação aos aspectos políticos as primeiras eleições municipais foram realizadas em 1893 e o 1º intendente (Prefeito) foi o Cel. Silvério Pinheiro de Matos, tendo como conselheiros (vereadores) os senhores:

Silverio Ribeiro de Novais

Frederico de Melo Pita

Ezequiel Monteiro da Costa

Manoel Bento de Almeida

Antonio Pereira dos Santos

Padre Manoel Leôncio Galrão

Angelo Muniz Barreto

Afonso Lauria

Prefeitos do Município após redemocratização do país:

1947/51 – Sinfrônio Sales Marinho

1951/55 – José Idelfonso Lôbo

1955/59 – Eunísio Alves Magalhães

1959/63 – Manoel Nunes Pinheiro == José Idelfonso Lôbo – 1960/63

1963/67 – 4/63 À 7/63 – Manoel de Souza Carvalho, 07/63 À 12/64 Henrique Zacarias de Souza, 01/64 à 04/67 – Miguel Leal Andrade

1967/71 – Mário Muniz Monteiro

1971/73 – Fernando Carlos Cohin Ribeiro

1973/77 – Joaquim Leal Andrade

1977/83 – Mário Muniz Monteiro

1983/88 – Ivan Eça Menezes

1989/92 – Edison de Oliveira Almeida

1993/96 – Ivan Eça Menezes

1997/00 – Lúcio Passos Monteiro

2001/04 – Rosani Fagundes Ferreira Tavares

2005/08 – Lúcio Passos Monteiro

2009/12 – Lúcio Passos Monteiro

2013/17 – Fábio Cristiano Rocha Pinheiro.

No tocante as atividades culturais, existem no município algumas datas comemorativas que fazem parte do calendário cultural, dentre às quais se destaca: a Festa do Padroeiro São Vicente Ferrer, no dia 23 de janeiro, Comemorada no período de 14 a 23 de janeiro, de 14 a 22 de janeiro é realizado um novenário na Igreja Matriz em louvor ao santo e no dia 23 há sempre uma missa solene, normalmente presidida pelo Bispo da Diocese de Amargosa da qual a paróquia faz parte. Neste dia há alvorada com queima de fogos e procissão com a imagem do santo. No ano de 2006 foi realizada uma caminhada pela Paz no domingo que antecede o novenário, com a presença de trio elétrico e bandas católicas em que participaram pessoas de todo o município. Posteriormente essa caminhada foi incluida no calendário da festa. Há no dia 19 de março no Povoado de Jenipapo a festa de São José com apresentação de músicos locais.

Mas, a festa que mais marca o povo Ubairense é o São João. Que geralmente acontece entre os dias 20 a 24 de junho com atrações locais, regionais e até nacionais, é quando a cidade atrai turistas de diversas localidades. Sem dúvida, é uma festa cultural que marca, mesmo porque é a que impulsiona o comércio local gerando empregos diretos e indiretos. Apesar do curto período pode ser percebido na cidade um clima de desenvolvimento local através do turismo sazonal. É evidente que há quarenta anos as tradições eram outras, mas no seio das famílias a essência permanece. Sobretudo nas zonas rurais, as famílias mais antigas gostam de celebrar as festividades juninas assando milho ao pé da fogueira com todos reunidos, trocando visitas e pratos típicos, como a canjica, com seus vizinhos, parentes e amigos.

Há também os festejos juninos que acontecem no Povoado do Alto da Lagoinha, as festividades de São Pedro, regado a bebidas e comidas típicas, e muito forró.

No dia oito de dezembro é realizada no Povoado de Três Braços a festividade de Nossa Senhora da Conceição. Com Cavalgada da sede até o Povoado e apresentação de bandas locais. Outra festa que está ganhando dimensões no Município de Ubaíra é o Réveillon.

Assim como em outras localidades a maioria das manifestações culturais deste Município estão atreladas às datas comemorativas de um santo, que seja São José em Jenipapo, Santo Antônio na Jacuba, Nossa Senhora da Conceição em Três Braços, São João na sede do Município e São Pedro no Alto da Lagoinha que, apesar de estar atrelada a data de um Santo, o que é comemorado em Ubaíra é apenas o lado profano da festa.

Postado em 30 de Junho, às 12:09 por Redação Criativa 0 comentários

Mutuípe no Vale Jiquiriçá registra caso de síndrome paralisante

Este ano, foram registrados no estado 27 casos da Síndrome Guillain-Barré — apenas um paciente não apresentou antes os sintomas do Zika Vírus. Os pacientes apresentam dores e fraquezas nas pernas de forma ascendente, que podem provocar paralisia nos músculos respiratórios. Salvador apresenta o maior número de casos: 10. Valença tem dois casos.

Alcobaça, Camaçari, Camamu, Cândido Sales, Ibicuí, Irará, Itabuna, Itajuípe, Monte Santo, Mutuípe e Serrinha tiveram uma ocorrência cada. De quatro pacientes não há informação de onde residem. Duas pessoas seguem internadas no Hospital Couto Maia. Não há dados relativos a 2014. A doença não tinha de notificação compulsória.

Postado em 30 de Junho, às 11:52 por Fabio Cruz 0 comentários

Equipes se prepararam para os jogos de ida das quartas do Inter Vale 2015

Neste domingo (05) acontece os jogos de ida das Semifinais da Copa Inter Vale ediçãoo de 2015.

No Estádio Municipal Mário Muniz monteiro em Ubaíra, às 15:00h, Ubaira recebe a Seleção de Brejões.

Em Sao Miguel das Matas, no Estádio Odílio Fernandes de Souza, às 15:00h, São Miguel das Matas, recebe a Seleção de Laje.

Os jogos de volta das semifinais serão dia 12, uma semana depois, em Brejões às 15:00h, tem Brejoes x Ubaira e em Ubaíra, também às 15:00h tem Laje x Sao Miguel das Matas.

O mando de campo de Laje, que continua sem estádio, é São Miguel das Matas, todavia, a confusão na última partida entre São Migel das Matas e Amargosa, rendeu além das expulsões de Dio, Preparador de Goleiro e do zagueiro Robson, a perda de um mando de campo.

Postado em 29 de Junho, às 15:32 por Redação Criativa 0 comentários

Bandidos roubam agente credenciado do Bradesco em Ubaíra

De acordo com informações passadas a redação do Mídia Bahia dois elementos armados renderam o atendente de um agente credenciado Bradesco na cidade de Ubaíra no Vale do Jiquiriçá na manhã desta segunda feira (29).

O agente fica localizado no centro da cidade próximo aos correios e a prefeitura municipal, a quantia levada não foi informada.

No ultimo dia 22 um comerciante também foi assaltado na cidade e teve 10 mil reais levador por dois homens que estavam em uma motocicleta de dados ignorados. De acordo com informações da policia, uma operação foi montada para tentar localizar os criminosos, diversas abordagens estão acontecendo na região inclusive blitz na BR-420 com o intuito de encontrar os responsáveis pelo ato.

Postado em 29 de Junho, às 14:41 por Redação Criativa 0 comentários

Turistas de Mutuípe estiveram presentes no São João de Amargosa

Alguns turistas da cidade de Mutuípe, no Vale do Jiquiriçá, estiveram acompanhando a exposição de fotos do fotógrafo Rui Rezende no São João da cidade de Amargosa.

Na oportunidade alguns deles falaram com a reportagem da Criativa On Line, e destacaram a importância de trazer mais cultura para o São João, sobretudo obras de arte. Um deles, disse que o São João é uma festa crescente no Nordeste e na região.

A cidade de Mutuípe, de onde eles vieram, não realiza a festa de São João nos últimos anos.

Veja o Vídeo Completo Abaixo:

 

Postado em 29 de Junho, às 13:30 por Redação Criativa 0 comentários

O Rio Jiquiriçá pede socorro há anos e poucas são as ações de revitalização

De acordo com o Censo IBGE 2000, a população total do Vale do Jiquiriçá é de 440.420 pessoas, 58% nas áreas urbanas e 42% na zona rural.

O Vale do Jiquiriçá fica a aproximadamente 150 km a sudoeste de Salvador, capital do Estado da Bahia - Brasil.

O rio Jiquiriçá é o principal elo de ligação cultural e de desenvolvimento econômico da região, sendo elemento de referência às diversas comunidades que habitam o Vale.

A sua Bacia ocupa cerca de 6.900 km2 e apresenta quatro tipos de climas que vão do semi-árido, na região oeste, ao tropical úmido, no litoral.

A região do rio Jiquiriçá vem sofrendo impactos ambientais (solo, vegetação, fauna, recursos hídricos, zona costeira, etc.) causados pela utilização de processos agropecuários inadequados e pelos assentamentos urbanos.

Os cursos d'água recebem os efluentes não tratados e os resíduos sólidos das atividades urbanas e rurais das cidades que atravessam.

No Alto Jiquiriçá, além da escassez de água (a região está inserida no polígono das secas do Nordeste Brasileiro), registra-se o uso de fertilizantes e agrotóxicos em inúmeras áreas.

Um Consórcio Intermunicipal do Vale do Jiquiriçá (CIVJ) foi fundado em 1993, por prefeitos de 17 municípios da Bacia do Rio Jiquiriçá.

Logo em seguida esse número cresceu para 25 municípios com planos e projetos de desenvolvimento, porém nenhuma ação concreta ainda foi realizada e o Rio Jiquiriçá continua morrendo.

Situado a cerca de 150km a sudeste de Salvador, Bahia, o Vale do Jiquiriçá ocupa uma área de 6.900 km² e é composto pelos municípios de Amargosa, Brejões, Cravolândia, Elísio Medrado, Iaçu, Irajuba, Itaquara, Itatim, Itiruçu, Jaguaquara, Jaguaripe, Jiquiriçá, Lafaiete Coutinho, Lage, Lagedo do Tabocal, Maracás, Milagres, Mutuípe, Nova Itarana, Planaltino, Santa Inês, Santa Terezinha, São Miguel das Matas, Ubaíra e Valença.

De pequeno e médio porte com uma extensão territorial que varia de 2.400 a 200km², distribuídos em 47 distritos.

O rio Jiquiriçá com seus 275km de extensão é o principal elo cultural e de desenvolvimento econômico entre os municípios da região, que sofrem com a morte do Rio que tem sua nascente e consequentemente sua vasão comprometida pela falta de políticas públicas eficazes.

Postado em 29 de Junho, às 10:14 por Redação Criativa 0 comentários

Homem foi preso em Engenheiro Pontes ao tentar roubar comerciante

No início da tarde desse sábado (27) a Guarnição de Plantão da Polícia Militar prendeu no Povoado de Engenheiro Pontes um homem acusado de tentativa de assalto a um comerciante da localidade.

A Polícia recebeu a informação que tinha dois elementos planejavam roubar um comerciante local e que estavam escondidos na casa de um usuário de drogas e que após várias diligências para localizar tais indivíduos foi preso Israel Francisco dos Santos, de 23 anos, conhecido como Dão.

Foi apreendido com o mesmo uma espingarda calibre 12 de fabricação caseira, e uma Garruncha carregada onde as armas e o acusado foram apresentados ao Depol ao Agente de Plantão Jorge Dantas e o escrivão Everaldo Nascimento.

Postado em 28 de Junho, às 10:26 por Redação Criativa 0 comentários

Arrastão Calabari chega aos seus cinco anos e mantém tradição

Este ano do Grupo de Moradores do bairro do Calabar em Laje, realizou a quinta edição d Arrastão Calabari.

O grupo surgiu numa brincadeira para promover um momento de descontração e tradição que tinha o hábito de percorrer as ruas da cidade entrando de casa em casa e aos poucos foi se consolidando.

Todos os anos um carro de som tocando o autêntico forró, segue pela BR 420, via que corta o bairro e com muita animação vai se consolidando e superando todas as expectativas.

Jonata Souza Silva, filho de Laje e que acompanha o Arrastão pelo segundo ano, destacou a Redação da Criativa On Line que já está com saudade da folia.

“Esse é o melhor arrastão do universo”, brincou. “Já estou com saudade e agora é aguardar para curtir a festa no ano que vem”. Acrescentou.

Neste domingo na região do Ronco D'Água acontece a segunda edição do arrastão da região, intitulado de Arrastão do Caça Pinga.

Postado em 26 de Junho, às 12:56 por Redação Criativa 0 comentários

Acidente na BR 420 deixa duas vítmas em retorno de festa

O fato aconteceu por volta das 6 h da manhã desta quinta-feira (25), na BR 420 proximidades do Pé de Serra em Mutuípe, as vitimas foram Hildemar Pereira da Silva e Jacson Bispo Pereira que foram socorridos pelo SAMU 192 para o setor de emergência do HRJA – Hospital Ranulfo José de Almeida em Laje com várias escoriações pelo corpo depois de se envolverem em um acidente de trânsito, onde os mesmo estavam em um veículo Fiat strada.

Segundo o repórter Fábio Santos, durante o Programa Enfoc Geral da Rádio Líder FM/Laje, as vítimas são do Entroncamento de Valença e estavam retornando dos festejos do São João de Amargosa, ambas as vítimas não correm rico de morte e as causas do acidente não foram reveladas.

Postado em 25 de Junho, às 20:03 por Redação Criativa 0 comentários

Ônibus de banda de forró vira no Entroncamento de Laje

Na madrugada desta terça-feira (23) um ônibus de forró de uma banda de Salvador caiu numa ponte na BR 101 no Entroncamento de Laje no Vale do Jiquiriçá.

A banda do cantor Binho Marques, vinha de Cravolândia e seguia para Wenceslau Guimarães quando o pneu estourou e o veículo caiu próximo ao rio.

No veículo seguiam 18 pessoas entre músicos e produção. As vítimas foram socorridas para hospitais da região, alguns com apenas escoriações pelo corpo; destes, dez já estão hospedados em uma pousada em Presidente Tancredo Neves, entre eles Binho Marques. Os demais integrantes da Banda Novo Amor continuam internados no HRSAJ.

Postado em 23 de Junho, às 12:01 por Redação Criativa 0 comentários

Plantão de ocorrências registradas no HRSAJ em Santo Antonio

- Tamima Vasconcellos Dias, 21 anos, Terezinha Gomes do Carmo, 76 anos, Jaqueline Do Carmo Silva, 37 anos, Carlos Santos Sales, 37 anos e Carlos Augusto Aguiar, 38 anos vítimas de um capotamento de ônibus no entroncamento de Laje, Br-101 na madrugada desta terça-feira (23) sofreram escoriações, foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para o Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus por volta das 3h30 da manhã e permanecem em observação sem risco de morte.

-Vagner Silva dos Santos, 26 anos, morador do Conjunto Habitacional Zilda Arns foi baleado por dois disparos de arma de fogo nas costas e nas nádegas foi levado pelo SAMU para o Hospital Regional.

-Anderson Santos dos Santos, 18 anos, residente na Rua Mavida foi atingido por disparos de arma de fogo na última segunda-feira (23) em Santo Antônio de Jesus, deu entrada na unidade de saúde.

-Wellington Damasceno, 21 anos, morador da Avenida Luís Vianna em Santo Antônio de Jesus foi baleado e deu entrada na emergência do HRSAJ.

-Amauri dos Santos Pereira, 27 anos, residente no Bairro Santa Terezinha ficou ferido devido a disparos de arma de fogo no último domingo em Santo Antônio de Jesus.

-Wesley Cerqueira dos Santos, 18 anos, morador da Rua Bela Vista foi agredido por arma branca, deu entrada na unidade de saúde, foi medicado e liberado.-Lucas Vinícius Costa Fonseca, 21 anos, residente na Avenida Barros e Almeida, centro de Santo Antônio de Jesus sofreu um acidente automobilístico, sendo socorrido para o HRSAJ.

-Dermeval da Silva Carvalho, 39 anos, morador da 4ª Travessa da Rua Marita Amâncio foi vítima de agressão física, foi medicado no Hospital Regional e está em observação.

-Fabiano Silva, 21 anos, residente na comunidade Mina do Sapé, zona rural de Santo Antônio de Jesus foi agredido no circuito da festa junina deu entrada no HRSAJ.

-Leonardo Santana França, 21 anos, cidadão da Rua Lamira Andrade sofreu agressão, sendo encaminhado para o Hospital Regional.

-José Augusto Rios Santos, 27 anos que reside na 3ª Travessa da Rua Ferreira Silva foi espancado, deu entrada na emergência do HRSAJ, sendo medicado e permanece em observação.

-Carlos Conceição Almeida, 26 anos, cidadão de Sapeaçú foi socorrido pelo SAMU para o Hospital Regional, sendo vítima de agressão por arma branca.

Vítimas de disparos por arma de fogo que deram entrada na emergência do Hospital Regional:

-Freddison Souza Santos, 37 anos, morador da Rua Bela Vista

-João Cunha da Silva, 70 anos, residente no Sítio Araçá em Cruz das Almas

-Tina Gomes Santos, 20 anos cidadã do Loteamento Benício em Santo Antônio de Jesus.

Postado em 23 de Junho, às 10:16 por Redação Criativa 0 comentários

Próximo







Enquetes


Categorias

Áudios Cidades Colunas Entretenimento Esportes PodCast Polícia Política Tempo

Rede Criativa

Rádio Hoje Brasil Repórter Hoje

Cidades

Amargosa Elísio Medrado Itatim Recôncavo Salvador Santo Antonio de Jesus São Miguel das Matas Vale do Jiquiriçá Varzedo
Anunciar | Você Repórter | Termos de Uso | Contato | Expediente
©Copyright - Criativa On Line - Rede Criativa de Comunicação
11 Anos - A Força da Comunicação na Internet!