Notícias

Animais de estimação poderão auxiliar no tratamento de pacientes hospitalizados

Utilizar animais de estimação como forma de terapia durante o tratamento de pacientes internados em hospitais da rede pública e privada de Salvador. Esse é o objetivo do projeto de lei apresentado pela vereadora Marcelle Moraes (PV) na Câmara Municipal, que permitirá o ingresso dos pets nas unidades hospitalares, sempre obedecendo os critérios predefinidos por cada estabelecimento de saúde.

"Poucas pessoas conhecem os benefícios que os animais podem trazer para pacientes que passam longos períodos no ambiente hospitalar. É algo completamente inovador. Existem estudos que comprovam que os animais podem trazer diversos benefícios à saúde como elevação da autoestima, redução da dor, ansiedade e depressão. Queremos estimular em Salvador a prática dessa terapia que já tem ajudado na reabilitação de vários pacientes no mundo inteiro", explicou a edil. Marcelle destacou ainda que para terem acesso as unidades hospitalares os animais passarão por uma avaliação veterinária rigorosa, para afastar qualquer risco à saúde dos pacientes.

Estudo

Um estudo publicado pela Revista Brasileira de Enfermagem, em 2009, mostra que a interação animal/paciente melhora o padrão cardiovascular, diminuindo a pressão arterial e os níveis de colesterol. Tal interação também produz o aumento de substâncias como endorfinas e ocitocinas, que atuam positivamente no estado de ansiedade.

Postado em 20 de Abril, às 11:33 por Redação Criativa 0 comentários

Veja como ficar longe dos 7 vilões da pressão alta

De cada 4 brasileiros, 1 tem pressão alta. Não é um número pequeno, especialmente considerando-se que a hipertensão arterial é responsável por 45% dos ataques cardíacos e 51% dos acidentes vasculares cerebrais, segundo o Vigitel (sistema de vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico), do Ministério da Saúde.

Com o objetivo de alertar para esse risco silencioso e chamar atenção das pessoas para o problema, é comemorado em 26 de abril o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial.

A pressão considerada boa é quando a máxima está em 120 e a mínima 80 milímetros de mercúrio – conhecida como 12 por 8. Quando a pressão arterial está acima desse limite considerado normal, ocorre a hipertensão.

Como ela não dá sinais, é preciso medir periodicamente – pelo menos uma vez por ano. Há também ações que ajudam a evitar a hipertensão.

1 - O sal que se vê e o sal escondido

O sal é o que mais chama atenção quando se fala em perigos para a pressão alta. O brasileiro usa em média 12 gramas por dia, quando o recomendado são 5 gramas por dia.

Engana-se quem pensa que nessa soma vai apenas aquela pitada de sal colocada já no prato sobre a comida. O sal está presente em muitos alimentos que comemos sem nos darmos conta – como por exemplo, o pão francês, que tem uma quantidade grande de sal e muitas pessoas desconhecem.

Outro problema em relação ao sal está na forma de preparar os alimentos – a sugestão é utilizar mais temperos naturais como limão, salsinha, cebolinha. Nunca se deve adicionar sal no prato. O saleiro deveria ser jogado fora. Jamais estar presente à mesa e agregar mais sal à comida já preparada.

2 – Mexa-se e abaixe sua pressão

Outro vilão da hipertensão é o sedentarismo. A prática regular de exercício, como uma hora de caminhada por dia, pode diminuir 2 milímetros de mercúrio da pressão tanto sistólica quanto diastólica. Pressão arterial sistólica é conhecida como a pressão máxima e diastólica como mínima.

3 – Livre-se do sobrepeso

A obesidade é um dos vilões para a pressão alta – quanto maior a obesidade, pior será a pressão arterial. Por isso, quem sofre de pressão alta ou vê esse problema como um risco deve livrar-se do sobrepeso.

4 – Evite alimentos calóricos

Os alimentos ricos em gorduras também são prejudiciais – eles ocasionam o sobrepeso e a obesidade e, por tabela, o aumento da pressão arterial. O ideal é ter uma dieta balanceada, rica em frutas, vegetais e cereais e com consumo reduzido de industrializados, açúcar e sódio.

Deve-se evitar açúcar, cafeína, carboidrato simples (pães brancos, doces e massas), gordura saturada (carnes vermelhas gordas, frituras, alimentos industrializados, embutidos, pães e bolos gordurosos, leite integral, cremes e molhos), gordura trans (sorvetes, chocolates, molhos prontos e margarinas).

5 – Jogue fora o cigarro

Entre os muitos males que o tabagismo provoca à saúde, a hipertensão é mais um problema. O cigarro aumenta a frequência cardíaca, o que leva à elevação arterial. Quando a pessoa para de fumar, em 20 minutos a pressão sanguínea normaliza; em 2 horas não há mais nicotina no seu sangue; em 8 horas o nível de oxigênio no sangue se normaliza; em 2 dias seu olfato e paladar melhoram; em 3 semanas a respiração melhora; em 10 anos o risco de sofrer infarto será igual ao da população geral; em 20 anos o risco de desenvolver câncer de pulmão será quase igual ao de quem nunca fumou.

6 – Beba com moderação

O conhecido lema vale também para quem quer cuidar da pressão arterial. Quando a ingestão de bebida alcoólica não é feita com moderação, provoca aumento da pressão.

7 – Sem estresse

O estresse é geral em todos os lugares, para todo mundo e provoca elevação da pressão. Há estudos mostrando que pacientes de férias têm diminuição da pressão e do consumo de medicação. Quando volta ao trabalho, a pressão arterial aumenta.

Os hobbies que a pessoa cultiva e mantêm são  essenciais para canalizar o estresse. A prática de exercício físico também é canalizador do estresse, além das terapias alternativas. 

Postado em 19 de Abril, às 08:27 por Redação Criativa 0 comentários

Mais da metade dos brasileiros está com peso acima do recomendado

Estudo divulgado hoje (17) pelo Ministério da Saúde revela que o excesso de peso no Brasil cresceu 26,3% nos últimos dez anos, passando de 42,6% em 2006 para 53,8% em 2016. De acordo com a pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), o problema é mais comum entre os homens: passou de 47,5% para 57,7% no período. Já entre as mulheres, o índice passou 38,5% para 50,5%.

Segundo o estudo, Rio Branco é a capital brasileira com maior prevalência de excesso de peso: 60,6 casos para cada 100 mil habitantes. Em seguida estão Campo Grande (58/100 mil habitantes), Recife, João Pessoa e Natal (56,6/100 mil habitantes) e Fortaleza (56,5/100 mil habitantes). Já Palmas é a capital brasileira com a menor prevalência de excesso de peso (47,7/100 mil habitantes).

O levantamento revela que, no Brasil, o indicador de excesso de peso aumenta com a idade e é maior entre os que têm menor grau de escolaridade. Nas pessoas com idade entre 18 e 24 anos, por exemplo, o índice é de 30,3%. Já entre brasileiros de 35 a 44 anos, o índice é de 61,1% e, entre os com idade de 55 a 64 anos, o número chega a 62,4%. Já na população com 65 anos ou mais, o índice é de 57,7%.

Em relação à escolaridade, 59,2% das pessoas que têm até oito anos de apresentam excesso de peso. O percentual cai para 53,3% entre os brasileiros com nove a 11 anos de estudo e para 48,8% entre os que têm 12 ou mais anos de estudo.

Obesidade

A Vigital diferencia excesso de peso ou sobrepeso de obesidade. A pessoa com sobrepeso tem Índice de Massa Corporal igual ou maior que 25 quilos por metro quadrado (kg/m2). Já a obesidade implica em IMC igual ou superior a 30 (kg/m2).

De acordo com os dados, a prevalência de obesidade no país duplica a partir dos 25 anos de idade e o problema também é maior entre os que apresentam menor escolaridade. Nas pessoas com idade entre 18 e 24 anos, por exemplo, o índice é de 8,5%. Já entre brasileiros de 35 a 44 anos, o índice é de 22,5% e, entre os com idade de 55 a 64 anos, o número chega a 22,9%. Na população com 65 anos ou mais, o índice é de 20,3%.

Em relação à escolaridade, os que têm até oito anos de estudo apresentam índice de obesidade de 23,5%. O percentual cai para 18,3% entre os brasileiros com nove a 11 anos de estudo e para 14,9% entre os que têm 12 ou mais anos de estudo.

Postado em 17 de Abril, às 18:37 por Redação Criativa 0 comentários

Mobilização nacional de vacinação contra gripe começa nesta segunda-feira

Começa hoje (17) a mobilização nacional de vacinação contra a gripe. A campanha deste ano inclui, pela primeira vez, os profissionais de educação no grupo prioritário. Cerca de 2,3 milhões de professores de escolas das redes pública e privada devem ser imunizados nos postos de saúde de todo o país.

Nos dias 2 e 3 de maio, os docentes serão vacinados nas escolas. Idosos, trabalhadores do setor de saúde, crianças de 6 meses até 5 anos, gestantes, mulheres no pós-parto, indígenas, população privada de liberdade, inclusive os adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, e pessoas com doenças crônicas continuam como público-alvo da vacinação.

A vacina permite a proteção contra os vírus A(H1N1), H3N2 e influenza B. Como os vírus são mutantes, a composição da vacina é feita somente depois da indicação da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre as cepas (variações dos vírus) que circularam com mais frequência nos últimos meses na região. Segundo a OMS, em 2016 a cepa do vírus A(H1N1) foi alterada, o que levou à produção de uma nova composição para a campanha deste ano.

Cerca de 60 milhões de doses serão distribuídas aos postos da rede pública de saúde. O Ministério da Saúde espera que pelo menos 54 milhões de pessoas sejam imunizadas até o dia 26 de maio, prazo final da campanha. O dia D da mobilização será em 13 de maio.

O principal objetivo da campanha é reduzir as hospitalizações e a ocorrência de mortes relacionadas à influenza. Segundo o Ministério da Saúde, estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de internações por pneumonia e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da gripe. Em 2016, o país registrou a maior incidência dos casos de gripe desde a pandemia iniciada em 2009. Mais de 2.200 pessoas morreram no ano passado por problemas relacionados à gripe. De janeiro a abril deste ano ocorreram 48 mortes.

Apesar de a incidência de casos estar num ritmo bem menor do que o registrado no ano passado, o Ministério da Saúde alerta para a necessidade de se vacinar o quanto antes e garantir que a proteção seja efetiva no período de maior vulnerabilidade, o inverno. Além de buscar a imunização, o Ministério recomenda que a população lave as mãos várias vezes ao dia, cubra o nariz e a boca ao tossir e espirrar, evite tocar o rosto, não compartilhe objetos de uso pessoal, mantenha os ambientes bem ventilados e evite a permanência em locais com aglomeração.

Postado em 17 de Abril, às 08:15 por Redação Criativa 0 comentários

45% das doenças cardíacas começam na boca; entenda

Você sabia que 45% das doenças cardíacas começam na boca? Segundo pesquisa do Instituto do Coração (Incor), isso acontece devido a cáries profundas com comprometimento do canal, gengivite, restos de dente e abscessos, que podem geram infecções e através da corrente sanguínea podem atingir o coração.

Três em cada quatro pacientes têm problemas na gengiva. O sangramento gengival é o primeiro sinal de inflamação e pode acarretar a periodontite.

As formas de prevenir as doenças da boca ainda são as mais tradicionais. O uso diário de fio dental e a escovação, após as refeições ajudam muito a manter a saúde bucal.

De acordo com estudos realizados na Escócia, pessoas que escovam os dentes menos de duas vezes por dia tem 70% de mais chance de ter um infarto. E é necessário atenção ao escovar os dentes. O tempo mínimo para uma escovação eficiente são dois minutos.

Postado em 12 de Abril, às 15:27 por Redação Criativa 0 comentários

Veja a Dieta do ovo cozido para emagrecer 10 kg em 14 dias

Vale lembrar que o que emagrece mesmo a longo prazo e de forma saudável é a reeducação alimentar.

Este tipos de dietas, são validos apenas quando você tem uma festa pra ir e precisa caber em um vestido ou coisas do tipo.

Mas não para serem seguidas por toda a vida, pois se seguirem por muto tempo pode ser super prejudicial a saúde.

Venha agora conferir mais dicas e o cardápio da dieta do ovo cozido ...

Dieta do Ovo Cozido - Emagrece Mesmo

A dieta do ovo, vem sendo um sucesso no mundo todo e quem já fez garantem que ela ajuda mesmo a emagrecer em um curto período de tempo.

A dieta vem sendo compartilhada nas redes sociais, e tem conquistado cada dia mais seguidores se tornando a dieta da moda mesmo.

Mas como eu disse no início do artigo e volto a afirmar esta uma dieta de emergência e deve ser feita por um curto período de tempo, para não comprometer a sua saúde.

E também só pode ser feita por pessoas que estão cem por cento saudáveis, ok?

Se você tem qualquer problema de saúde não faça nenhuma dieta restritiva ou dieta de emergência pois pode ser muito perigoso.

Esta dieta é composta por poucos alimentos, e bem fácil de seguir , não tem segredo nenhum.

E ela também não vai deixar você com fome ,porque os ovos ajudam a reduzir o apetite aumentando a sensação de saciedade .

Confira abaixo o cardápio completo da Dieta do Ovo Cozido ...

Dieta do Ovo Cozido - Cardápio Completo

Esta dieta é composta por poucos alimentos, e bem fácil de seguir , não tem segredo nenhum.

E ela também não vai deixar você com fome ,porque os ovos ajudam a reduzir o apetite aumentando a sensação de saciedade .

Ela dura duas semanas, então siga tudo a risca os alimentos recomendados, para obter o emagrecimento desejado.

 Cardápio da 1ª Semana da Dieta do Ovo

Segunda-Feira

Café da manhã: 2 ovos cozidos e 1 fruta cítrica.

Almoço: 2 fatias de batata-doce e 2 maçãs.

Jantar: 1 prato grande de salada e frango.

Terça-Feira

Café da manhã: 2 ovos cozidos e 1 fruta cítrica.

Almoço: salada de legumes verdes e frango.

Jantar: salada de legumes, 1 laranja e 2 ovos cozidos. 

Quarta-Feira

Café da manhã: 1 fruta cítrica e 2 ovos cozidos.

Almoço: queijo magro, 1 tomate e 1 fatia de batata-doce.

Jantar: salada e frango.

Quinta-Feira

Café da manhã: 2 ovos cozidos e 1 fruta cítrica.

Almoço: frutas.

Jantar : salada e frango cozido no vapor.

Sexta-feira

Café da manhã: como no dia anterior.

Almoço: legumes cozidos e 2 ovos.

Jantar: salada e peixe grelhado.

Sábado

Café da manhã: como no dia anterior.

Almoço: frutas.

Jantar: frango e legumes cozidos no vapor

Domingo

Café da manhã: 2 ovos cozidos e 1 fruta cítrica.

Almoço: salada de tomate, legumes cozidos no vapor e frango.

Jantar: legumes cozidos no vapor.

Cardápio da 1ª Semana da Dieta do Ovo

 Segunda-Feira

Café da manhã: 2 ovos e 1 fruta cítrica.

Almoço: salada + frango.

Jantar: 1 laranja, salada e 2 ovos

Terça-Feira

Café da manhã: como no dia anterior.

Almoço: 2 ovos + legumes cozidos no vapor.

Jantar: salada e peixe grelhado.

Quarta-Feira

Café da manhã: como no dia anterior.

Almoço: salada + frango.

Jantar: 1 laranja + salada de legumes + 2 ovos.

Quinta-Feira

Café da manhã: como no dia anterior.

Almoço: legumes cozidos no vapor + queijo de baixo teor de gordura + 2 ovos.

Jantar: salada + vapor de frango

Sexta-Feira

Café da manhã: como no dia anterior.

Almoço: salada de sardinha.

Jantar: salada + 2 ovos

Sábado

Café da manhã: como no dia anterior.

Almoço: salada + frango.

Jantar: frutas.

Domingo

Café da manhã: como no dia anterior.

Almoço: legumes cozidos no vapor + frango.

Jantar: como o almoço.

Dicas importantes sobre a Dieta do Ovo Cozido

Durante a dieta é necessário beber muita água, pelo menos dois litros de água por dia para manter seu corpo bem hidratado

Esta dieta é bem restrita em carboidratos por isto o emagrecimento rápido, sempre consulte seu médico antes de iniciar qualquer dieta.

Durante a dieta , não como nada que não esteja no cardápio, e claro evite doces , refrigerantes e tudo que for calórico e fora do seu cardápio.

Limite também o consumo de sal e temperos industrializados , para evitar retenção de líquidos.

Tempere seus pratos com pouco sal e apenas temperos naturais como alho fresco, alecrim, manjericão , etc ...

Não faça este dieta por mais de 14 dias, pode ser perigoso a sua saúde.

Qualquer dúvida entre fazer ou não a dieta do ovo, consulte seu médico, só ele saberá te informar o seu real estado de saúde e quais dietas você pode ou não fazer.

Postado em 08 de Abril, às 12:22 por Redação Criativa 0 comentários

Cientistas britânicos criam substância que pode regenerar dentes e aposentar obturações

Uma nova droga pode tornar as obturações obsoletas, afirmam cientistas britânicos. Uma equipe do King's College de Londres desenvolveu uma substância química que, em testes com ratos, estimulou células da polpa dental a taparem pequenos buracos nos dentes. Para isso, uma esponja biodegradável embebida no produto foi colocada na cavidade. Em um estudo publicado pela revista científica Scientifica Reports, a substância teve, segundo os cientistas, efeito reparativo "completo, eficaz e natural".

Dentes têm capacidade limitada de regeneração. Podem produzir uma pequena faixa de dentina - a camada abaixo do esmalte - se a polpa fica exposta, mas não podem consertar cavidades maiores. Isso é feito com obturações, em que dentistas usam um amálgama metálico ou um composto feito de vidro em pó e cerâmica. Só que esses reparos frequentemente precisam ser substituídos ao longo da vida. Os pesquisadores, então, tentaram ampliar a capacidade regenerativa natural dos dentes - foi assim que descobriram a droga, chamada Tideglusib.

A substância aumentou a atividade de células-tronco na polpa dental dos ratos - elas conseguiram fazer reparos em buracos de 0,13mm nos dentes dos roedores. "A esponja é biodegradável, isso é a chave", disse à BBC Paul Sharpe, um dos cientistas do King's College. "O espaço ocupado pela esponja fica cheio de minerais enquanto a dentina regenera, então você não tem nada ali que possa falhar no futuro." A equipe agora quer descobrir como conseguir aumentar o poder de ação da Tideglusib. "Não acho que vamos esperar muito tempo. Tenho esperanças de que (o tratamento) estará comercialmente disponível em três a cinco anos", completou Sharp.

Postado em 28 de Março, às 21:20 por Redação Criativa 0 comentários

Unidade de saúde da família Novo Itatim, da palestra sobre a menopausa

Neste mês de março a unidade de saúde da família Novo Itatim, realizou um evento nesta sexta-feira (24), abordando o tema menopausa, com o apoio do NASF.

Realização de exame preventivo com a coordenação da atenção básica Marcia Luz, e oferta de cortes de cabelos com a cabeleireira Nice, atividade física, entre outros.

"A cada ano, sentimos mais orgulho em poder estar ao lado do que nos motiva a trabalhar incessantemente pela nossa essência, a saúde da mulher.” Disse a enfermeira Samara Sousa

Postado em 27 de Março, às 22:13 por Carlos Quintino 0 comentários

ÁGUA DE BERINJELA EMAGRECE MESMO? Aprenda a Receita!

ÁGUA DE BERINJELA EMAGRECE MESMO? Olá galera, que a berinjela é maravilhosa para emagrecer e baixar o colesterol, todo mundo já sabe, mas muitas pessoas não sabem exatamente como fazer a água de berinjela para emagrecer mais rápido.

A berinjela ajuda no emagrecimentosaudável pois ela melhora a eliminação de toxinas por ser muito diurética, e as fibras presentes nela, melhoram o trânsito intestinal e reduzem muito o apetite.

A água da berinjela emagrece mesmo e é bem fácil de tomar, pois tem um sabor super suave e refrescante ...

ÁGUA DE BERINJELA EMAGRECE MESMO?

Eu já ensinei para você como fazer o suco emagrecedor de berinjela, que é maravilhoso, mas nos comentários do suco , além de aparecem vários depoimentos sobre pessoas que emagreceram com suco.

Veja : Suco de Berinjela com Laranja Emagrece ?

Também teve alguns comentários falando sobre a água de berinjela, portanto hoje vou ensinar mais esta dica para vocês, como fazer a água de berinjela que emagrece .

Postado em 25 de Março, às 16:13 por Redação Criativa 0 comentários

Fim do mau hálito: Saiba como eliminar de vez o mau cheiro da boca de forma natural

Mau hálito é realmente algo muito constrangedor e desagradável. Quando alguém sofre desse mal, passa a ter insegurança e autoestima baixa. Felizmente, a solução não está restrita a produtos vendidos nas farmácias. 
Sendo assim, não precisamos usar remédios com substâncias químicas e que, ao longo do tempo, podem causar efeitos colaterais. 
A receita que trouxemos é a prova disso. Trata-se de uma alternativa natural e muito eficiente que vai deixar o seu hálito refrescante. A receita é à base de limão, mel e canela. É bem simples. Veja com se faz:
INGREDIENTES 
Suco de 2 limões 
Meia colher (chá) de mel puro 
1 colher (chá) de canela em pó 1 
1 copo de água quente (não precisa estar muito quente) 
MODO DE PREPARO 
Misture o mel com a canela numa jarra de vidro. Feito isso, despeje a água quente na mistura e adicione o suco de limão. 
Em seguida, tampe a jarra (ou transfira para uma garrafa de vidro com tampa) e coloque na geladeira. Lave a boca diariamente com a mistura preparada. 
A receita é realmente eficaz graças às propriedades antibacterianas do mel e da canela. Além disso, esses ingredientes ajudam a tratar problemas respiratórios, causados por resfriados e vírus. E o melhor: a imunidade é fortalecida.
Postado em 24 de Março, às 22:17 por Redação Criativa 0 comentários

Limão ajuda a emagrecer e a diminuir o colesterol; veja benefícios

ada é um suco baratinho e que se prepara rapidamente. Além de delicioso e muito refrescante o limão ajuda a emagrecer graças ao seu poderoso efeito desintoxicante. Isso acontece porque a fruta contém um alto teor de ácido cítrico, que ajuda a dissolver toxinas e gorduras.

Além das propriedades emagrecedoras, o limão ajuda a baixar o colesterol, a desintoxicar e alcalinizar o sangue e ativa o sistema imunológico.

Limão não tem contra-indicação, mas o ideal é consumir no máximo duas unidades da fruta por dia. Experimente, para emagrecer, espremer meio limão em um copo de água com adoçante e tomar meia hora antes do desjejum, do almoço e do jantar.

Além das propriedades emagrecedoras, o limão ajuda a baixar o colesterol, a desintoxicar e alcalinizar o sangue e ativa o sistema imunológico. Alguns dos responsáveis por todos esses benefícios são uma rica fonte de vitamina C e uma substância chamada d-limoneno, um princípio ativo presente em sua casca, que ajuda no combate à ansiedade, à depressão, o câncer, além de dissolver cálculos renais e desentupir artérias.

Por ser um grande ajudante no tratamento de todas essas enfermidades físicas, psicológicas e emocionais, o fruto acaba por ser utilizado em florais, terapias e também na aromaterapia, como forma de re-equilibrar o organismo e a mente.

Postado em 23 de Março, às 22:20 por Redação Criativa 0 comentários

De que carne é feita a mortadela? Saiba mais informações aqui

A mortadela é dos embutidos queridinhos dos brasileiros. Uma das refeições mais requisitadas do Mercado Municipal de São Paulo, por exemplo, é o famoso sanduíche de mortadela, que atrai turistas de todas as partes do mundo. Segundo a revista Veja, contudo, o método de produção do embutido defumado é muito semelhante ao da salsicha.

Tecnicamente, a mortadela é classificada como um “produto cárneo industrializado, obtido de uma emulsão das carnes de animais de açougue, acrescido ou não de toucinho, adicionado de ingredientes, embutido em envoltório natural ou artificial, em diferentes formas, e submetido ao tratamento térmico adequado”, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). As carnes que podem produzir o embutido são: bovina, suína ou de frango, dependendo da fábrica.

Salsicha e mortadela passa por processos bem semelhantes de fabricação: “Os dois são emulsionados e cozidos”, afirma a professora titular de engenharia de alimentos da Universidade Federal de Viçosa, de Minas Gerais, Regina Mendonça. Totalmente preparados mecanicamente, para evitar contato de funcionários, as carnes são trituradas em um equipamento conhecido por cutter. Por esta razão, a base dos produtos tem aparência lisa. “A massa é curada com nitrito de sódio, que vai dar a coloração cor de rosa que a mortadela e a salsicha têm”, afirma a engenheira.

Para virar salsicha, a carne é embutida, cozida e colocada em envoltório. Ao ser comercializada, o envoltório é retirado. Já a mortadela é embutida em envoltório maior que já se torna sua embalagem.

Postado em 23 de Março, às 16:28 por Redação Criativa 0 comentários

Conheça os principais benefícios da água ao metabolismo

Dia 22 de março é comemorado o Dia Mundial da Água. A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para conscientizar sobre a importância de utilizar este recurso natural de maneira responsável. De acordo com a nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Cintya Bassi, diariamente o organismo humano necessita de aproximadamente 1 litro a cada 35 kgs, variando de acordo com o clima do dia e idade da pessoa. Segundo Cintya, a água tem o papel fundamental de transportar diversos nutrientes necessários no corpo.

“Compondo mais de 60% de nossos corpos, a água participa de praticamente todas as funções, auxiliando, ainda, na eliminação de toxinas e filtração renal. Isso melhora até mesmo a aparência da pele, diminuindo a ocorrência de celulites e rugas, sem contar que beneficiam as fibras de colágeno que sustentam a pele e precisam de água para se renovarem”, comenta a nutricionista.

De tal forma, a ingestão de líquido no decorrer do dia é imprescindível, tanto por meio de alimentos, quanto bebidas. “Os alimentos que mais contém água são legumes, frutas, leite e carnes. Porém, essa não deve ser a única forma de hidratação, também devendo ingeri-la em sua forma pura, sucos e água de coco”, orienta.

Uma dúvida que as pessoas costumam ter é se a água com gás também é considerada saudável. A profissional explica que, assim como a mineral, a com gás é uma importante aliada à hidratação. “A diferença entre as duas é o fato da água com gás ter adição de dióxido de carbono, o qual se consumido em grandes quantidades pode causar irritação gástrica”, esclarece. Mesmo quando estamos sem sede, é aconselhável beber água,“em condições normais, a sede é um bom lembrete da necessidade de bebê-la.

Porém, em situações especiais, como transpiração excessiva ou clima quente, a sensação de sede pode não acompanhar a necessidade”, comenta. Quando a ingestão de água é insuficiente, o organismo pode apresentar sintomas de desidratação, como boca e pele seca, olhos fundos, cansaço, dor de cabeça, tontura, entre outros. Em casos graves, pode até evoluir para queda de pressão arterial, perda de consciência, convulsão, coma, falência dos órgãos e morte.

“O organismo não é capaz de armazenar água, por isso a quantidade de líquido no corpo precisa ser constantemente reposta. Lembrando que, depois do oxigênio, a falta de água é o que mais afeta o organismo, que só suporta ficar sem água até, no máximo, dois ou três dias”, alerta. De acordo com Cintya, a água só é limitada em caso de hiponatremia – nível baixo de sódio no sangue, o qual é diluído ainda mais na presença de água em excesso – insuficiência renal ou cardíaca. Também durante as refeições o ideal é ingerir pouco líquido, pois, se consumirmos mais de um copo, pode dilatar o estômago.

Postado em 21 de Março, às 22:15 por Redação Criativa 0 comentários

Como substituir a carne sem perder as proteínas?

A cada ano o número de pessoas que escolhem reduzir o consumo de carne, ou retirá-la completamente do cardápio, cresce significativamente e, com isso, a busca por opções que possam substituir as proteínas animais se tornam cada vez mais recorrentes, porém é importante saber como fazer essa troca de maneira saudável.

Muitas pessoas acreditam que deixar de consumir proteína animal pode fazer mal à saúde, pois ela é a única que oferece os nutrientes mais importantes para nosso organismo, mas isso não é verdade.

“As proteínas são formadas por aminoácidos e, ao serem consumidas, são desintegradas pela ação digestiva e absorvidas pelo nosso organismo. Dos 200 aminoácidos existentes, apenas nove o corpo humano não é capaz de produzir, estes são chamados de aminoácidos essenciais, e estão presentes em vários alimentos vegetais, excluindo a necessidade da carne”, explica Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbom, empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis.

O fato de ser a carne imprescindível na alimentação humana também é desmitificado quando analisamos outras questões do alimento. Segundo estudo realizado pela Universidade de Harvard (EUA), feito com mais de 120 mil pessoas ao longo de 20 anos, quem consomem carne vermelha em menor quantidade possui menor risco de desenvolver doenças cardiovasculares. “Para abandonar o consumo da proteína animal é necessário conhecer os grupos de alimentos que oferecem os nutrientes fundamentais para nossa saúde e saber que uma dieta sem carne não deve ter um cardápio limitado, muito pelo contrário, quanto mais diversificado melhor”, explica Cyntia.

Para uma substituição adequada e um cardápio variado, a nutricionista e consultora da Superbom, sugere algumas opções, que podem ser conferidas na galeria acima:

Postado em 21 de Março, às 22:12 por Redação Criativa 0 comentários

20 antibióticos naturais e alimentos que melhoram a imunidade

1) ALHO

Doenças que previnem: diarreias (Campylobacter) e úlcera de estômago (H. pylori).

Atuação: contém alicina, que é responsável por seu aroma. Estudos da Universidade do Estado de Washington, nos Estados Unidos, mostraram que um derivado da alicina rompe o filme protetor da Campylobacter e muda sua estrutura enzimática até matá-la. A Campylobacter é conhecida por contaminar alimentos e provocar diarreia. “É um indicativo de que o alho pode ser utilizado como antibacteriano natural, além de proteger a comida”, diz Xiaonan Lu, microbiologista e autor da pesquisa. A alicina ainda atua sobre o RNA da H. pylori, causadora de úlceras e do câncer de estômago.

Uso: como tempero de carnes e para refogar pratos quentes.

Quantidade sugerida: 600 mg de alho por dia, o equivalente a 1 dente cru.

2) EQUINÁCEA

É um antibiótico natural, a equinácea ajuda a combater bactérias, vírus, fungos e outros micróbios causadores de doenças. A equinácea estimula de várias formas o sistema imunológico que é fundamental na luta contra as infecções. Além disso, estimula a produção celular de uma substância denominada interferon (um antiviral natural).

Como esses efeitos são relativamente efêmeros, é melhor tomar a equinácea em intervalos frequentes – até de duas em duas horas durante infecções agudas.

3) GENGIBRE

O gengibre é uma verdadeira panaceia para a saúde. Atua como um desinfetante do organismo, impedindo que os germes se desenvolvam.

Pode ser consumido fresco, como um alimento em si, ou sob a forma de especiarias e condimentos, depois de ser secado e reduzido em pó.

Antigamente, o gengibre era utilizado na produção de xaropes para curar dores de garganta.

Tem uma ação anti-séptica que pode ser a responsável pela fama, tanto que muitos profissionais que usam a voz, falam que um dos seus segredos para cuidar da voz é mastigar lentamente um pedaço de gengibre.

No entanto, esse hábito é contra-indicado por que o gengibre possui também propriedades anestésicas e esta anestesia tópica diminui bastante o controle da emissão vocal.

Por ser um alimento termogênico não deve ser ingerido por quem tem pressão alta.

4) PRÓPOLIS

A propolis é um antibiótico natural isento de efeitos colaterais.

As propriedades terapêuticas da Propolis foram descobertas em tempos remotos. Já os antigos egípcios a utilizavam para cuidar do aparelho respiratório, de estados gripais, infecções de pele, cicatrização de feridas e outras infecções variadas.

A própolis pode ser usada tanto na prevenção como no tratamento da gripe, asmas, bronquites e consipações. O seu uso já é consagrado no tratamento de sinusites, amidalites e renites.

Não pode ser ingerido por muito tempo seguido porque acaba agindo, também, contra as bactérias que são importantes para o bom funcionamento do organismo.

5) AÇAFRÃO

O açafrão é extraído dos pistilos de flores de Crocus sativus, uma planta da família das Iridáceas. Para se obter um quilo de açafrão seco, são processadas manualmente cerca de 150 mil flores.

Tem propriedades antidepressivas, antiespasmódicas e sedativas. Como infusão, usa-se no tratamento da asma, coqueluche, histeria, cálculos dos rins, fígado e bexiga. No combate às hemorróidas é usado como cataplasma quente.

6) ORÉGANO

O orégano é um tempero conhecido no mundo inteiro. Mas além do sabor e do aroma marcantes, essa erva também é muito benéfica para a saúde. Ele é rico em substância bactericidas e, por isso, previne uma série de doenças. O orégano também contém antioxidantes, que reforçam o sistema imunológico e combatem os radicais livres. Basta adicionar as folhas cruas ou secas em suas receitas para aproveitar todos esses benefícios.

Estimulante das funções gástricas e biliares, funciona como sedativo, diurético e expectorante. Folhas frescas amassadas podem ser usadas em compressas para aliviar inflamações. Também é carminativo, emenagogo e diaforético. Bom para dores reumáticas, parasiticida, tem uma acção estimulante sobre o sistema nervoso. O chá morno pode ser usado em bochechos para aliviar dores de dentes, inflamação de gengivas e mucosas. Infusão é recomendada para as dores de cabeça nervosas e a irritabilidade.

7) AZEITONA

Fornecerem potentes antioxidantes, como a vitamina E e os compostos fenólicos. Estas moléculas neutralizam os radicais livres, altamente instáveis e oxidantes, protegendo da oxidação as células do nosso corpo. Lembrem-se que a vitamina C (antioxidante) do sumo de limão consegue evitar que fique castanha (por oxidação) uma maçã descascada deixada ao ar. 

8) SEMENTES DE UVA

As sementes de uva são utilizadas para tratamento de problemas relacionados com o coração e vasos sanguíneos, como arteriosclerose, pressão alta, colesterol alto, e má circulação. Outras razões para usar as sementes de uva incluem complicações relacionadas a diabetes (como danos aos nervos e olhos), problemas de visão (como degeneração macular), e inchaço após lesão ou cirurgia. O extrato de sementes de uva também é usado para prevenção de cancros e cura de feridas.

9) CEBOLINHA

A cebolinha é uma boa fonte de vitaminas A e C, sendo, assim, um bom auxílio no combate à gripe e às doenças respiratórias em geral. Além disso, a hortaliça auxilia na digestão e estimula o apetite.

10) CEBOLA

Doenças que previnem: intoxicação alimentar provocada por Listeria monocytogenes, Escherichia coli e Staphylococcus aureus.

Atuação: uma pesquisa in vitro realizada pela Universidade de Barcelona, na Espanha, mostrou que extratos de cebola podem inibir o crescimento de uma grande variedade de bactérias que provocam intoxicação alimentar. Isso graças a duas propriedades antioxidantes conhecidas como quercetina (encontrada em maior quantidade na cebola roxa) e campferol.

Uso: utilize a cebola para temperar carnes, vegetais e como ingrediente de maioneses, que são vulneráveis à contaminação por bactéria.

Quantidade sugerida: 1 cebola média por dia. 

11) MEL

Doenças que previnem: intoxicação alimentar (Staphylococcus aureus) e úlcera gástrica (H. pylori).

Atuação: contém uma enzima que produz peróxido de hidrogênio, de conhecida ação antisséptica. Pesquisadores da Universidade de Waikato, na Nova Zelândia, comprovaram que o mel destrói cepas da bactéria Staphylococcus aureus. A ação é similar à descoberta pela Universidade King Saud, da Arábia Saudita, contra a H. pylori.

Uso: como adoçante de sucos, cafés, iogurtes e sobremesas. Também pode ser utilizado para conservar frutas em compotas.

Quantidade sugerida: 1 colher (sobremesa) por dia.

12) INHAME

Fortalece o sistema imunológico e ajuda a ganhar massa muscular. Pode ser preparado como purê, sopa, frito ou cozido. A sopa é ótima para combater resfriados, bronquite e pneumonia. É feita com inhame cozido e duas colheres de sopa de alho cru moído por cima.

Deve ser temperada com pasta de soja (missô) e tomada quente, uma vez por dia. Uma porção da mesma sopa, bem grossa, pode ser colocada entre duas gazes e aplicada sobre os pulmões, para ajudar na recuperação de bronquite e pneumonia. 

13) LIMÃO

Doenças que previnem: gastroenterite (Salmonella typhimurium).

Atuação: pesquisa da Universidade Shivaji, da Índia, publicada na British Journal of Pharmacology and Toxicology, mostrou que os flavonoides da casca do limão possuem ação bactericida contra Salmonella. O alimento ainda contém outros antioxidantes, como eriodicitol, hesoeretina e d- limoneno.

Uso: limpe e rale a casca. Use-a em sucos, doces e saladas.

Quantidade sugerida: uma unidade por dia. 

14) CANELA

Uma espécie que não deve ser considerada apenas como ingrediente para dar sabor aos doces e sim, como um tesouro de propriedades benéficas úteis para a nossa saúde. Alivia a dor menstrual, é um bactericida natural, reduz a dor causada pela artrite, ajuda a regular o nível de açúcar no sangue e é um remédio natural contra resfriados e dores de garganta.

15) ROMÃ

Doenças que previnem: cáries (Streptococcus mutans) e intoxicação alimentar (B. cereus)

Atuação: não se sabe ao certo a razão, mas uma pesquisa da Universidade Pace, nos Estados Unidos, mostrou que o suco da romã diminui consideravelmente os micro-organismos que vivem na boca.

Consumir suco de romã nos ajuda a reduzir os níveis de colesterol ruim (LDL). Além disso, os antioxidantes presentes nesse suco podem evitar a formação de placas nas paredes das veias e artérias.

Uso: fruta in natura ou como suco

Quantidade sugerida: 1 unidade ou 1 copo de suco por dia. 

16) AGRIÃO

Além de ser uma boa fonte de ferro e iodo, evita a invasão das bactérias. Deve ser consumido cru, em saladas. O chá de agrião é bom para quem está resfriado.

 17) ÓLEO DE COCO

Doenças que previnem: candidíase (Candida albicans) e cáries (Streptococcus mutans).

Atuação: ao ser digerido, o óleo de coco inibe a proliferação de bactérias que vivem na boca. Quem descobriu o feito foi o Instituto de Tecnologia de Athlone, na Irlanda. A causa provável é que metade do óleo de coco é ácido láurico, precursor da monolaurina. Essa substância possui ação contra bactérias, vírus e protozoários.

Uso: como substituto do óleo de soja ou canola. Ele ainda pode ser misturado em vitaminas, usado para temperar saladas ou na receita de bolos e doces.

Quantidade sugerida: até 4 colheres (sopa) por dia. 

18) TAMARINDO

Doenças que previnem: enfermidades urinárias (Escherichia coli) e intoxicação alimentar (Staphylococus aureus).

Atuação: um estudo de 2006 publicado na revista científica Phytomedicine comprovou o potencial bactericida do tamarindo. Seu mecanismo de ação não está esclarecido, mas acredita-se que a razão do sucesso seja o ácido tartárico, também responsável por sua ação laxativa.

Uso: in natura ou como suco. Quantidade sugerida: até 3 copos por dia (lembrando que a fruta é laxativa). 

19) EUCALIPTO

Doenças que previnem: infecções respiratórias.

Atuação: seus óleos essenciais impendem a adesão de micro-organismos nas mucosas do nariz e garganta, estimulando sua eliminação pelo corpo. É indicado principalmente para pessoas que ficam gripadas com facilidade.

Uso: como chá quente ou gelado. Cada 1 colher (chá) da planta rende 1 xícara. A planta pode ser batida ainda com suco de frutas ou consumida como xarope, a partir de uma calda de açúcar.

Quantidade sugerida: 2 xícaras do chá por dia. 

20) ALGAS

Ricas em sais minerais, clorofila e iodo. Ajudam o organismo a combater infecções. A mais popular é a kombu (vende em casas de produtos naturais), que pode ser frita ou usada em sopas.

A spirulina (à venda em cápsulas) atua como um desinfetante natural do organismo, matando os germes.

A ágar-ágar (gelatina natural) desintoxica e fortalece unhas e cabelos e pode ser misturada com frutas.

Postado em 21 de Março, às 10:58 por Redação Criativa 0 comentários

Atividade física é essencial para tratar doenças respiratórias

A realização de exercícios físicos é benéfica para fortalecer a musculatura, aumentar a resistência física, proporcionar melhora na postura corporal e é importante no tratamento de doenças crônicas como depressão, diabetes e asma.

De acordo com Dr. Clystenes Odyr Soares Silva, pneumologista professor da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), a prática de atividades físicas regulares traz inúmeras vantagens: “Diversos estudos mostram que a vida sedentária não é boa e que a pessoa que se exercita é mais saudável, vive mais, adoece menos e tem uma melhor qualidade de vida”.

Ainda é comum acreditar que pessoas acometidas por doenças respiratórias devem evitar realizar esforço físico e que a prática de esportes seja perigosa. Porém, Dr. Clystenes esclarece que os exercícios são indicados: “Tudo depende da condição de saúde do paciente, mas na maioria dos casos as atividades físicas são indicadas como parte do tratamento para melhorar o condicionamento físico e a capacidade respiratória. A prática de exercícios físicos pode ser uma grande aliada para diminuir os riscos de complicações, crises e internações de pacientes com doenças respiratórias”.

Confira abaixo as dicas e recomendações do especialista para incluir atividades físicas no cuidado com as doenças respiratórias crônicas.

ASMA

A asma caracteriza-se pela inflamação crônica dos brônquios de causa alérgica e leva à falta de ar e chiado no peito. É uma doença crônica, comumente diagnosticada na infância, mas que pode afetar pessoas de todas as idades, culturas e localizações geográficas. Quando tratada adequadamente, os sintomas da asma podem ser controlados e não ocasionam impactos na rotina do paciente. Porém, é comum que os asmáticos considerem que a doença está sob controle, ainda que sintam limitações ao realizar atividades no dia a dia.

Essa percepção equivocada leva frequentemente ao tratamento inadequado da doença, que pode se agravar e causar crises de falta de ar, internação e até mesmo o óbito. Dados recentes do DATASUS[i] (Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil) mostram que três pessoas com idades entre 5 e 64 anos morrem a cada dia por asma no Brasil, somando mais de 2 mil óbitos entre 2009 e 2013. Dr. Clystenes explica: “A pessoa com asma controlada não deve perceber nenhuma limitação e pode realizar quaisquer atividades que uma pessoa que não tem asma, sem dificuldades. Para isso, é imprescindível acompanhamento médico e tratamento medicamentoso com broncodilatadores de uso contínuo”.

A prática de exercícios físicos também pode auxiliar no controle da asma, mas é necessária atenção quanto às condições da prática esportiva. É importante considerar o local a realizar a atividade, pois poluentes e mudanças de temperatura podem ser gatilhos para crises. Veja as dicas do especialista sobre os principais cuidados:

• Na cidade: “Em grandes cidades, por exemplo, não é recomendado realizar exercícios em avenidas movimentadas onde há grandes índices de poluição”.

• Ao ar livre: “Em parques e praças, há maior qualidade do ar, mas a preocupação é com a temperatura. Evite se expor a altas temperaturas, principalmente nos meses de verão e em horários entre 10h e 14h”.

• Na academia: “É o local mais indicado, pois é possível ter mais controle sobre o ambiente. Atente para o ar condicionado com temperaturas muito baixas, que diminuem a umidade”.

Mas como saber se asma está controlada?

Segundo o GINA (Global Initiative for Asthma)[ii], é possível saber que a asma não está controlada caso a pessoa tenha sentido um dos itens listados abaixo nas últimas quatro semanas:

• Sintomas diurnos mais de duas vezes por semana;

• Qualquer despertar noturno causado pela doença;

• Uso de medicamentos para alívio da falta de ar mais de duas vezes por semana;

• Se a asma estiver limitando as suas atividades cotidianas.

DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica)

Causada principalmente pelo tabagismo, a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, ou DPOC, é o termo usado para denominar o conjunto de duas doenças que causam a obstrução crônica das vias aéreas dentro dos pulmões: a bronquite crônica e o enfisema pulmonar. A bronquite é a inflamação dos brônquios e bronquíolos e o enfisema se caracteriza pela destruição do pulmão e surgimento de bolhas, com aprisionamento de ar nas cavidades, o que dificulta a respiração e leva ao cansaço ou falta de ar. A DPOC é diagnosticada quando o paciente apresenta a sobreposição das duas doenças e pode causar tosse, chiado no peito, falta de energia, falta de ar e dificuldade para realizar atividades diáriasiii.

Dados do Ministério da Saúde estimam que a DPOC afete mais de 7 milhões de pessoas no Brasil e seja responsável pela morte de 40 mil brasileiros todos os anos[iv]. Segundo Dr. Clystenes, isso acontece porque os sintomas da doença são frequentemente negligenciados “É comum que as pessoas confundam os sintomas da DPOC, como tosse e cansaço, com sinais comuns do envelhecimento e por isso demorem a procurar atendimento médico”.

Segundo o Gold – Iniciativa Global para Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica – um programa mundial que atua com objetivo de sistematizar, padronizar e orientar o diagnóstico e tratamento da DPOC[v], existem cinco perguntas básicas que ajudam o profissional de saúde a identificar pacientes que podem ter a doença:

• Possui mais de 40 anos

• Fumante ou ex-fumante

• Tosse frequente

• Expectoração ou “catarro” constante

• Cansaço ou dificuldade para respirar, como subir escadas ou caminhar

A DPOC é uma doença sem cura, mas existem tratamentos avançados que são capazes de controlar os sintomas. “Aliar o uso contínuo de broncodilatadores inalatórios com a prática de esportes é importante para garantir uma melhor qualidade de vida aos pacientes, pois diminui os riscos de exacerbações”, explica Dr. Clystenes. “Por ser uma doença mais grave e que atinge pessoas com mais idade, exige um acompanhamento médico mais próximo. O profissional deve realizar uma avaliação cardiorrespiratória, por meio do exame de ergoespirometria, e ponderar se o paciente necessita de oxigenação complementar durante os exercícios”, complementa o especialista.

Sejam esportes aeróbicos, aquáticos, de alto ou baixo impacto, em equipe ou individuais, a recomendação é não levar uma vida sedentária. “O sedentarismo está atrelado a diversas doenças e o paciente não pode deixar que condições crônicas sejam justificativas para não realizar atividade física. Com tratamento adequado e conhecendo suas limitações, a prática de atividade física é essencial para manter e aumentar a qualidade de vida”, reafirma o Dr Clystenes.

Postado em 10 de Março, às 12:08 por Redação Criativa 0 comentários

Testes rápidos detectam 15 casos de HIV nos circuitos da folia

Quinze dos 1.428 testes rápidos para doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) realizados neste sábado (25) nos circuitos do Carnaval 2017 tiveram resultado positivo. Todos os portadores são do sexo masculino com idades que variam entre 17 e 57 anos. O serviço faz parte do projeto Fique Sabendo e o balanço é do primeiro dia de funcionamento voltado para a folia.

Além dos casos de HIV, obtiveram resultado positivo para sífilis 54 pessoas e uma para hepatite C. O teste é feito em apenas 30 minutos e a intenção é interromper a cadeia de transmissão das DSTs em situações de grandes aglomerações de público como o carnaval.

Para se submeter ao teste, o folião deve procurar o Multicentro Carlos Gomes, no Circuito Osmar, sempre das 10h às 21h, ou o módulo montado exclusivamente para o serviço na Rua Dias d’Ávila, próximo ao Farol da Barra, no Circuito Dodô, das 10h às 22h. O atendimento é gratuito. 

Postado em 26 de Fevereiro, às 18:42 por Carlos Quintino 0 comentários

Problemas intestinais que podem atrapalhar a folia

O Carnaval é o ponto alto do ano de muitos brasileiros. Também pudera: são quatro dias de feriado e muitas festas! Mas abusar da alegria também pode trazer consequências à saúde. Diarréias, pancreatite, hepatite alcoólica, agravamento de refluxo já existente e até hemorragias das varizes esofagianas são algumas das consequências que a conjunção de excesso de bebida alcoólica, alimentação de rua e muito calor podem manifestar para acabar com a diversão dos foliões.
 
Confira, abaixo, cinco perguntas sobre os problemas de saúde associados ao Carnaval respondidas pela dra. Elizabeth Castro, presidenta da Sociedade Brasileira de Endoscopia do Rio de Janeiro.
 
Em uma situação de dias de dias seguidos de festa como o Carnaval, quais são os principais perigos aos quais os foliões ficam expostos?
Os principais riscos são a desidratação, hemorragias digestivas e infecções, que embora na maioria das vezes sejam de leve intensidade e passageiras, às vezes podem ser graves, evoluindo com necessidade de internação ou até fatais.
 
E quais são as doenças e manifestações mais comuns durante o Carnaval?
O problema mais comum nos dias de folia é a diarreia. Seja aquela causada pelo consumo exagerado de bebidas alcoólicas, seja aquela por infecções bacterianas ou virais. O consumo de alimentos vendidos na rua, sob forte calor, aumenta os riscos de contaminação. A aglomeração de pessoas e o compartilhamento de bebidas ou comidas durante a folia também facilitam a transmissão de infecções. Além das doenças intestinais, vale lembrar outros problemas comuns do aparelho digestório associados à combinação de consumo exagerado de álcool e calor: gastrites, agravamento da doença do refluxo, pancreatite, hepatite alcoólica e descompensação da doença hepática em pacientes com cirrose ou hepatite crônica. Nesses dias aumentam, por exemplo, os casos de hemorragia por rotura de varizes esofagianas em pacientes com doenças hepáticas.
 
Além de estragar o período de festa, quais são os riscos que essas doenças podem trazer para os pacientes?
A pancreatite alcoólica é condição que pode ser especialmente grave, com risco à vida.
 
Quais são as principais recomendações para aqueles que querem se precaver durante o Carnaval?
Os cuidados para evitar esses riscos são simples e conhecidos pela maior parte das pessoas, embora nem sempre lembrados na hora da festa. Então vale ressaltar:
 
- Manter boa hidratação. O velho cantil pode ser um ótimo companheiro na folia dos blocos.
- Para uma grande parte das pessoas, a cerveja e a caipirinha fazem parte da festa. Ok! Mas com moderação!
- Não consumir alimentos perecíveis ou não embalados vendidos na rua. Prefira fazer uma refeição leve em casa ou restaurante de confiança antes de sair para acompanhar o bloco!
- Não se sobrecarregue! Permita ao seu corpo intervalos de descanso.
- Use roupas frescas e confortáveis. Um boné ou chapéu são uma benção sob o sol de 45ºC
 
Mais alguma dica?
Há situações que não envolvem diretamente a bioquímica do corpo, mas que também podem ameaçar sua saúde ou, no mínimo, seu bem-estar. Então fique de olho:
 
- Celular caro no bolso é chateação garantida –para que correr o risco de perder o aparelho e desencadear um refluxo nervoso? Coloque o seu chip num modelo mais básico e baratinho. Você não fica sem se comunicar e se perdê-lo não vai ficar tão triste!
- Tenha sempre consigo telefones úteis, de pessoas amigas e de serviços de urgência. No Rio de Janeiro, os atendimentos pelo serviço de saúde do Corpo de Bombeiros e do SAMU são obtidos pelos telefones 192 e 193.
- Se os blocos fazem parte do programa, prefira os menores, de bairro. A diversão é a mesma, mas com menos tumulto e mais oportunidades de descanso e refresco.
- Esteja acompanhado de amigos. A festa é melhor em grupo, e, se você sofrer alguma emergência, não é seguro depender da solidariedade de estranhos.
- Ao perceber qualquer tumulto, não seja curioso. Afaste-se.
- Não esqueça do filtro solar, fundamental para encarar a folia com segurança.

Elizabeth Castro, presidenta da Sociedade Brasileira de Endoscopia do Rio de Janeiro alerta quais comportamentos podem interromper a festa mais cedo.

Postado em 25 de Fevereiro, às 10:20 por Redação Criativa 0 comentários

Estudo mostra que correr ouvindo música pode causar lesões

Para muitas pessoas, um dos melhores momentos do dia é aquela corrida ou caminhada ao ar livre com os fones de ouvido e uma música de preferência.

Isso também vale para quem usa a esteira na academia ou em casa: um vídeo no celular, ou a TV da sala de exercícios ligada naquele noticiário matutino e pronto – aí está uma forma de dar um tempo do mundo, dos ruídos indesejados e concentrar-se no que interessa: exercitar-se.

Porém, um novo estudo (ah, esses cientistas!) defende a ideia de que distrações visuais e auditivas podem aumentar o risco de lesões. De certa forma, faz sentido: quanto mais coisas estiverem na cabeça enquanto o treino rola, menos cuidadosas são as pessoas são sobre a forma, a biomecânica, os obstáculos ou a intensidade do exercício.

Mas a pesquisa em questão comparou corredores distraídos com os não distraídos em um laboratório e realmente quantificou os resultados. Para testar a hipótese, pesquisadores da Universidade da Flórida pediram para 14 corredores experientes correrem sobre uma esteira em três situações diferentes:

° Assistindo à uma tela com letras e cores diferentes

° Ouvindo palavras sendo ditas por vozes diferentes

° Sem imagens ou sons

Quando havia distração, eles deviam identificar e relacionar letras-cores e palavras-vozes. Os pesquisadores notaram que quando os corredores concentraram-se nas distrações, eles colocaram força extra em suas pernas em uma velocidade maior – na comparação com a corrida sem distrações.

Eles também respiraram mais profundamente e seus batimentos cardíacos aumentaram. Durante a audição, eles também experimentaram mais força do solo, o que quer dizer que eles aterrissaram os pés com mais força.

Embora a ligação fone de ouvido – lesão não tenha sido provada, os pesquisadores dizem que corredores que treinam ouvindo música ou em ambientes muito barulhentos estão mais vulneráveis a desenvolver problemas. Saiba também: como evitar lesões na corrida! Gosta de correr ouvindo música ou prefere focalizar o movimento do corpo e a velocidade das passadas? Deixe seu comentário abaixo!

Postado em 23 de Fevereiro, às 22:37 por Redação Criativa 0 comentários

Nutricionista dá dicas para ter disposição para curtir os dias de folia

Os dias de carnaval são, para muitos, os mais esperados do ano. E ninguém quer deixar de curtir esses dias por falta de disposição ou devido a uma intoxicação alimentar. Se alimentar bem é fundamental para aguentar a maratona de blocos e estar bem durante a folia.

A nutricionista Waleska Silveira conta que a principal estratégia é hidratação de qualidade, beber muita água, água de coco e suco de fruta natural. “Principalmente para que não abre mão da cervejinha, é muito importante intercalar com água”, explica a profissional da saúde.

E segunda Waleska, a primeira refeição tem que ter qualidade: “Fazer um bom café na manhã, com ovos, frutas e produtos integrais é essencial para repor as reservas do corpo e manter o pique durante o dia”.

Não mudar a alimentação durante os dias de carnaval é outro fator importante. Por isso se você janta todos os dias uma refeição normal trocar por hambúrgueres ou outros lanches pode fazer mal. “Se for possível, faça todas as refeições que já possui hábito para o corpo não estranhar, fazendo um almoço bem colorido com salada, verduras verde-escuras, carne sem gordura, e batata doce ou arroz integral, mas caso não tenha como, leve na bolsa: castanhas, frutas e barras de proteína e barra de cereal com fibras”, sugere Waleska.

A nutricionista também indica evitar alimentos gordurosos. “Fuja dos lanches com molhos caseiros, tipo maionese, frutos do mar vendidos em praia e comidas gordurosas”, finaliza.

Postado em 23 de Fevereiro, às 08:52 por Redação Criativa 0 comentários

Próximo




Instagram



Enquetes


Categorias

Áudios Cidades Colunas Educação Entretenimento Esportes PodCast Polícia Política Publicidade Riviera Amargosa Saúde Tempo

Rede Criativa

Mídia Notícias Rádio Hoje Brasil Repórter Hoje

Cidades

Amargosa Brejões Elísio Medrado Itatim Laje Milagres Recôncavo Salvador Santo Antonio de Jesus São Miguel das Matas Ubaíra Vale do Jiquiriçá Varzedo
Anunciar | Você Repórter | Termos de Uso | Contato | Expediente
©Copyright - Criativa On Line - Rede Criativa de Comunicação
A Força da Comunicação na Internet! 25/04/2017 19:12