Notícias

19 de setembro dia nacional de da consciência do TDAH

 
O dia 19 de setembro é o dia nacional da consciência do TDAH, nos Estados Unidos,  e apesar de muito ser falado sobre o tema, muitas pessoas ainda acham que a hiperatividade, a inquietude e a impulsividade ocorre em todas as crianças portadoras de TDAH (Transtorno de Déficit de atenção com hiperatividade). Há um grande equívoco nesse conceito, é o que afirma o neuropediatra do Instituto NeuroSaber Dr. Clay Brites.
 
Para o especialista, muitos mitos ainda persistem em torno do assunto. Segundo Brites, cerca de 30% a 40% das crianças com TDAH não são impulsivas e hiperativas. “Elas são simplesmente desatentas em excesso. Ou seja, apresentam déficit de atenção”.
 
Segundo o neuropediatra, há três tipos de TDAH: o desatento, o do tipo combinado e o hiperativo-impulsivo. O desatendo é o transtorno em que a criança é quieta, não dá trabalho na sala de aula e ainda é tímida. “O aluno introspectivo com o transtorno, não pergunta, não faz questionamentos e precisa muitas vezes do professor para estimula-lo a raciocinar, a pensar e a participar da aula”.
 
Nos casos onde o TDAH cursa com a criança, o neuropediatra diz que é esperado esse estudante ser extremamente desatento, distraído, esquecido, não consegue terminar o que começa, além de ter baixo rendimento em várias matérias. “O quadro começa muitas vezes lá atrás, mas ninguém identifica porque essa criança é muito quieta, ela não dá trabalho na escola então ninguém encaminha para o médico”.
 
No outro tipo combinado, Brites comenta que a criança tem tanto déficit de atenção como sinais de hiperatividade e impulsividade. Por esse motivo, ela é mais precocemente identificada e a escola encaminha geralmente mais cedo para avaliação do neurologista. “Os pais também acabam procurando equipes multidisciplinares para entender porque o filho é tão inquieto, agitado, impulsivo, não para e não aprende com os próprios erros”.
 
Para ele, essas crianças têm muita dificuldade de aguardar a vez e de esperar. São altamente impulsivas, criam grandes problemas de relacionamento social na escola e em casa. “Uma boa porcentagem evolui para quadro opositor desafiador”.
 
- Já o tipo hiperativo-impulsivo, trata-se de uma categoria onde somente o comportamento é afetado e não a desatenção excessiva e pode resultar em grandes prejuízos na socialização - informa. 
 
Em todos os casos, Brites ressalta que essas crianças precisam de ajuda. Mas para isso, é fundamental conhecer o transtorno para poder identificar os tipos de TDAH. Dessa forma, professores, pais e profissionais de saúde não irão deixar passar despercebido nenhumas das condições.
 
- O transtorno leva a severos prejuízos a médio e longo prazo na aprendizagem escolar, na interação social e na capacidade de reagir de forma adequada, afetivamente positiva, frente a situações que envolvam frustação ou confusões sociais. Quanto mais cedo for o diagnóstico, mais fácil e rápido será o tratamento e a recuperação dessa criança - conclui
 

Postado em 15 de Setembro, às 09:55 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Serviço já realizou mais 10,2 mil procedimentos cirúrgicos em toda a Bahia

 Na segunda e na terça-feira (dias 18 e 19), o serviço estará município de Ibotirama.  Já nos dias 22 e 23, a equipe do mutirão atuará na cidade Barra. Desde que foi iniciado no ano passado, o mutirão já viabilizou mais de 10,2 mil cirurgias, cobrindo todas as regiões da Bahia.
 
Em Ibotirama, a unidade móvel da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) para o atendimento das consultas pre-operatórias ficará estacionada na Praça Ives de Oliveira, no centro da cidade. Nesta etapa, também serão atendidos os pacientes dos municípios de Muquém de São Francisco, Ipupiara, Oliveira dos Brejinhos, Paratinga e Brotas de Macaúbas.
 
No município de Barra, também serão atendidos os pacientes dos municípios de Morpará e Buritirama. A unidade móvel ficará estacionada na Praça Barão de Cotegipe (Barra), nos dias 22 e 23. Tanto em Ibotirama como em Barra, número de atendimentos diário será para 180 pacientes, com o serviço começando funcionar às 7h.
 
Os pacientes que farão cirurgias devem levar todos os exames de sangue e outros que fizeram. No caso de cirurgia de vesícula, os pacientes precisam estar em jejum para a realização do exame de ultrassonografia (USG). Para as mulheres que farão o procedimento de histerectomia, será preciso levar o exame preventivo atual, e se ainda menstruam, devem levar também o exame Beta HCG.

Postado em 14 de Setembro, às 16:43 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Campanha Setembro Dourado alerta para o Diagnóstico do Câncer Infantojuvenil

O câncer já representa a primeira causa de mortalidade por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 18 anos no Brasil. Segundo os dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), no país anualmente, são mais de 10 mil casos novos de câncer registrados nessa faixa etária, sendo em torno de 150 só no Rio Grande do Norte. Frente a essa realidade, a Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva, o Grupo de Apoio à Criança com Câncer (GACC), o Hospital Infantil Varela Santiago e a Liga Norte Riograndense contra o Câncer, contando com o apoio da Prefeitura do Natal, realizam durante o próximo mês a Campanha Setembro Dourado, visando conscientizar a sociedade quanto à importância do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil.

No dia 01/09, às 9h, aconteceu um Ato Solene com o lançamento oficial da Campanha pelo Prefeito Carlos Eduardo Alves, no salão nobre da Prefeitura do Natal. No decorrer do mês acontecerão cinco ações nas quatro regiões administrativas da capital potiguar, das 8 às 15h, dia 04/09 - Felipe Camarão, 11/09 - Cidade Satélite, 15/09 – Pompéia, 22/09 – Rocas e dia 25/09 - Vale Dourado, com atividades educativas, de cidadania e de lazer. Também no dia 18/09 - Dia Nacional de conscientização e incentivo ao Diagnóstico Precoce do Retinoblastoma (câncer no olho) - haverá panfletagem e distribuição de adesivos nos shoppings Midway Mall, Natal Shopping, Partage Norte Shopping e Praia Shopping. O encerramento da Campanha será no domingo 27/09 com ações recreativas e de mobilização sobre o “Diagnóstico Precoce”, das 9 às 18h, no Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte.

Durante a campanha, serão distribuídos 300 mil panfletos, 10 mil cartazes, 10 mil adesivos de carro e 1000 adesivos de vitrine. Monumentos como a Ponte Newton Navarro, o Viaduto da Prudente de Morais, a Ponte de Igapó, o Pórtico dos Reis Magos e o Palácio Felipe Camarão serão iluminados na cor amarela e seis laços dourados serão distribuídos nos principais corredores da cidade, tudo para chamar a atenção da população para o diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil.

O objetivo principal da campanha é conscientizar quanto a existência do câncer entre crianças e adolescentes. As ações educativas e preventivas visam divulgar os principais sinais e sintomas da doença ao maior número de pessoas, visto que dentre os casos diagnosticados, muitos são encaminhados aos centros de tratamento com a doença já em estágio avançado.

Para o câncer infantojuvenil não há uma causa específica em que se possa atuar prevenindo. Os tipos mais frequentes de câncer na infância são: a leucemia (câncer da medula óssea), os tumores de sistema nervoso central e os linfomas (tumores do sistema linfático), mas, existem outros tipos de câncer nessa faixa etária. Atualmente a ciência ainda não identificou fatores de risco para o câncer infantojuvenil. Por não existirem exames diagnósticos de triagem (como medida preventiva), os sinais e sintomas são essencialmente importantes para o diagnóstico precoce. Assim sendo, pais, avós, cuidadores, professores, médicos, dentistas e todos que assistem às crianças, devem estar atentos a esses sinais e sintomas.

Principais sinais e sintomas do câncer infantojuvenil Sinais e sintomas como dor nos ossos, febre persistente sem causa aparente, manchas roxas pelo corpo, dor de cabeça persistente por dias, emagrecimento repentino, sangramentos anormais, nódulos em ossos ou no músculo, aumento de gânglios (ínguas) que ficam endurecidos, mancha branca no olho, são alguns dos sintomas de alerta que podem sugerir um câncer na criança ou no adolescente e que indicam a necessidade de um exame por um especialista. O diagnóstico precoce é a principal arma para esta patologia, visto que quando um caso de câncer infantil é diagnosticado precocemente as chances de cura ficam em torno de 70%.

 

Postado em 04 de Setembro, às 09:17 por Redação Criativa 0 comentários

Mães com doenças infecciosas podem manter amamentação no tratamento

Nem todas as mães com doenças infecciosas devem interromper a amamentação de seus filhos, principalmente nos seis primeiros meses de vida. A contraindicação do aleitamento materno para mães com doenças transmissíveis, como tuberculose, hanseníase, influenza, entre outras, é desnecessária em muitos casos por falta de conhecimento, alerta a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

Aproveitando as campanhas de agosto, considerado o mês “dourado” para a amamentação, a Sociedade atualizou o guia de orientação sobre a relação entre doenças infecciosas e o aleitamento materno.  O argumento dos pediatras é de que a amamentação oferece muito mais benefícios do que riscos à vida da criança.

O guia classifica os diferentes tipos de infecção causadas por bactérias, parasitas ou vírus e orienta sobre a conduta que deve ser tomada em cada caso. “As doenças infecciosas precisam sempre ser atualizadas, porque novas pesquisas científicas são feitas e condutas anteriores, consideradas adequadas, podem mudar ao longo do tempo”, explica Graciete Vieira, uma das pediatras responsáveis pelo guia.

O documento foi elaborado pelo Departamento Científico de Aleitamento Materno da SBP, com o objetivo de orientar pediatras e profissionais de saúde na tomada da decisão pela interrupção ou manutenção do aleitamento, nos casos em que a mãe está infectada por alguma doença transmissível.

 De acordo com o guia, o profissional de saúde deve se esforçar para que não seja feita a interrupção desnecessária do aleitamento materno. "Existe muita contraindicação desnecessária, então, de posse do conhecimento, é possível manter a amamentação, mesmo no caso de a mãe ser portadora de alguma doença infecciosa. Há um número muito limitado de doenças em que a amamentação está contraindicada” esclareceu a pediatra.

Segundo a médica, no Brasil, somente as mulheres portadoras do HIV (vírus da imunodeficiência humana) e do HTLV (vírus T-linfotrópico humano) têm contraindicação para amamentar os filhos. A restrição para essas doenças, no entanto, não é obrigatória em todos os países, que adotam a recomendação geral da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Em outras partes do mundo, mesmo a mãe com HIV pode amamentar, e é recomendável amamentar com leite materno exclusivo. Ou seja, sem chá, água ou outro alimento, porque se você usar leite materno com outro alimento, pode determinar um processo inflamatório digestivo e favorecer a aquisição do vírus. Por outro lado, o leite materno exclusivo dará anticorpos e fatores de proteção contra doenças”, acrescentou Graciete.

Cuidados

Doenças como rubéola, caxumba, varicela ou catapora, influenza do tipo 1, estafilococos, streptococos, coqueluche, diarreia e até a tuberculose, entre outras, não apresentam o agente infeccioso no leite humano. Muitas são transmitidas pelo contato da criança com secreções nasais e da pele da mãe. Nesses casos, a mãe pode tomar alguns cuidados para não interromper a alimentação da criança com o leite materno.

“Por exemplo, no caso da tuberculose, ela é transmitida por gotículas respiratórias, o bacilo vai estar presente nas gotículas de espirro ou de tosse. Não está presente no leite materno, mas é preciso alguns cuidados. Se a mãe está fazendo uso de medicamentos contra tuberculose e já faz uso há duas semanas, ela pode amamentar sem problemas. Mas, se for antes dessas duas semanas, ela tem que fazer isolamento respiratório, pode amamentar com máscaras para evitar que essa criança se infeccione”, orienta a médica.

Ela acrescenta que, durante o isolamento da tuberculose ou de qualquer outra doença que demande tratamento específico, como a hanseníase, a mãe pode retirar o leite e oferecê-lo na forma crua, sem o processo de pasteurização, para o recém-nascido. A retirada deve ser feita de sete a oito vezes por dia para que a mãe mantenha a lactação e não cesse a produção de leite depois que estiver curada.

A SBP alerta que mesmo no caso das doenças em que o vírus se aloja no leite, há a possibilidade de manter o aleitamento. É o caso da zika, chicungunya, dengue e febre amarela, por exemplo.

“A presença de partículas virais no leite não significa que a doença vai ser transmitida para a criança. Ela vai ingerir essas partículas junto com o leite materno, elas vão passar pelo estômago, sofrer a ação do próprio suco gástrico e enzimas, e assim, perdem o poder de infecção”, lembrou Graciete Vieira.

Outros tipos de condutas que podem ser adotados por mães lactantes e garantir a amamentação com segurança são o uso da imunoglobulina, a vacinação da criança logo após o nascimento no caso de pacientes com hepatite B, o uso de máscaras e a lavagem constante das mãos.

Mais informações a respeito das doenças e das contraindicações para o aleitamento podem ser vistas diretamente no documento, disponível no site da SBP.

Postado em 07 de Agosto, às 15:42 por Redação Criativa 0 comentários

2 colheres de chá de sal são suficientes para prejudicar coração

Consumir 3,73 gramas de sódio, o equivalente a cerca de duas colheres de chá de sal, já é suficiente para causar danos no coração, como a dilatação, conclui um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Harvard.
 
A pesquisa revela que o consumo de sal aumenta a pressão sobre o coração, aumentando a taxa de batimentos cardíacos (pressão arterial).

Segundo o Daily Mail, este estudo revela o impacto do sal na pressão arterial, que estudos anteriores já revelaram que está relacionada com ataques cardíacos, AVC e doenças renais.

As organizações de saúde recomendam que o consumo de sal não ultrapasse a medida de uma colher de chá mais um quarto por dia, o que é facilmente ultrapassado por pessoas que consomem alimentos processados ou refeições prontas.

Os pesquisadores analisaram esta relação entre o consumo de sódio e as consequências cardíacas em 2.996 pessoas com uma idade média de 49 anos.

Postado em 05 de Agosto, às 16:41 por Redação Criativa 0 comentários

V Conferência Municipal de Saúde será realizada em Itatim

A V Conferência Municipal de Saúde em Itatim terá início na próxima quarta-feira (09), e será realizada pelo Conselho Municipal de Saúde (CMS) e Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

A conferência acontecerá no colégio Astor de Castro Pessoa e será direcionada às políticas de saúde do município, aberta a todos os segmentos interessados em discutir e traçar novos rumos para o município.

De acordo com o secretário de Saúde, Geraldo Nogueira Filho, a expectativa é de que os debates contribuam para o Plano Municipal de Saúde, fortalecendo os serviços básicos de assistência em saúde e implantando novos e mais modernos serviços.

Os objetivos da V Conferência Municipal de Saúde são: discutir o tema principal da conferência; apresentação da situação de saúde atual no município e da execução das propostas aprovadas, apreciar as ações prioritárias a serem implementadas na rede pública de Saúde do Município, e referendar as ações ainda não executadas, aprovadas na IV Conferência Municipal de Saúde para comporem o Plano Municipal de Saúde 2018-2021, além de possibilitar a participação dos diversos segmentos da sociedade na gestão do Sistema Único de Saúde do Município, como prática efetiva da cidadania, participação e inclusão social.

Postado em 03 de Agosto, às 20:09 por Carlos Quintino 0 comentários

Fabricação de Buscopan Gotas será encerrado no Brasil, diz farmacêutica

O remédio Buscopan Composto Gotas (butilbrometo de escopolamina e dipirona sódica monoidratada) terá sua fabricação descontinuada no Brasil. O medicamento, com ação analgésica, é indicado para o tratamento dos sintomas de cólicas menstruais, intestinais, estomacais, urinárias, entre outros.

O remédio é fabricado pela Boehringer Ingelheim do Brasil, que comunicou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em maio, sobre o fim – temporário, afirma a empresa – da fabricação do medicamento. O produto começou a ser retirado de circulação no dia 13 de junho.

O motivo da retirada foi “resultado fora de especificação identificado durante estudos de estabilidade, que fazem parte do monitoramento dos produtos farmacêuticos no mercado”. A medicação é vendida em outros países da América Latina, o e a venda foi descontinuada na Venezuela, Chile, Argentina, Uruguai e Paraguai.

A empresa não tem previsão de quando será normalizada a distribuição do composto no mercado nacional, mas ressalta que há alternativas terapêuticas disponíveis, e que demais “produtos da família Buscopan, como Buscopan Composto comprimidos e Buscopan gotas continuam disponíveis” aos consumidores.

Postado em 29 de Julho, às 16:11 por Redação Criativa 0 comentários

O homem moderno precisa menos de comida. Saiba porquê

O homem de hoje não precisa de tanta comida como antigamente, disse à agência Lusa o especialista indiano em transplantes do pâncreas, Raja Kandaswamy. O homem moderno precisa cada vez menos de comida, porque não tem a mesma exigência em termos físicos do que os antigos. Nos tornamos tecnologicamente muito dependentes, porque já não temos o mesmo nível de consumo de calorias que antes, mas ainda assim continuamos a consumi-las", argumentou Raja Kandaswamy.

O especialista, líder do maior centro de transplante do pâncreas do mundo, na University of Minnesota Medical Center, em Mineapolis, nos Estados Unidos, foi convidado para falar sobre a sua área no HEBIPA Meeting 2017, um encontro que aconteceu nessa sexta-feira (07), na cidade do Porto, em Portugal. O evento foi organizado pela Unidade Hepatobiliar e Pancreática do Centro Hospitalar do Porto.

Sobre a evolução da doença no planeta, explicou de forma simples: "há quem chame à diabetes a doença dos ricos e como o mundo está a se tornar cada vez mais rico, a doença acompanha, porque cada vez se faz mais exercício em frente à televisão".

Pioneiro dos transplantes do pâncreas nos Estados Unidos, o especialista indiano considerou "encorajador verificar que a cirurgia têm vindo a aumentar fora dos Estados Unidos nos últimos 15 anos".

"Os países líderes nesse particular são o Reino Unido e o Brasil, depois a Coreia do Sul e a Itália, com Portugal no Top 7 dos países com o melhor registro por número de habitantes, o que é impressionante", elogiou Raja Kandaswamy.

Em uma curta viagem pelos últimos 51 anos na história dos transplantes, Kandaswamy lembrou que quando em 1966 começaram os de pâncreas e que "nos primeiros 30 anos a taxa de sucesso foi muito baixa".

"Depois disso, a cada cinco anos surgiram melhorias e, aqui chegados, temos um registro superior a 90% de casos de sucesso nos Estados Unidos", revelou à Lusa.

E prosseguiu: "não há razões para pensar que nos outros países os números sejam muito mais baixos. Veja-se o caso da Itália, onde essa percentagem é ainda melhor, ainda que feita em um só centro. E embora no que concerne ao resto do mundo eu não tenha números reais, a verdade é que quem se interessa pelo problema do pâncreas tem tido muito bons resultados".

Das inovações verificadas ao nível das cirurgias destacou "o uso do robô para os transplantes", uma técnica já praticada em Itália e nos EUA e que, "apesar de ser uma inovação recente, os registros são muito encorajadores, até porque se trata de uma técnica pouco invasiva, tipo uma laparoscopia". Com informações da Lusa.

Postado em 07 de Julho, às 19:33 por Redação Criativa 0 comentários

Oito alimentos que se deve comer todos os dias

A alimentação saudável deve ser equilibrada, colorida e variada. Quanto mais diversificada for a alimentação, maior é o leque de nutrientes obtidos diariamente. Porém, se você pensa que não é permitido fazer algumas repetições, se engana. Embora se deva apostar na diversidade, existem alimentos que podem (e devem) ser consumidos diariamente, pois não só possuem poucas calorias, como são verdadeiras 'bombas' nutricionais para o organismo, reforçando-o e acelerando o metabolismo, o que faz com que a acumulação de gordura seja menor assim como os problemas associados com o peso.

No leque de alimentos que podem ser repetidos encontram-se alguns que têm o rótulo de superalimentos, como é o caso do espinafre, um vegetal pobre em calorias, mas extremamente importante para o organismo. Isso porque ele possui ácidos gordos ômega 3 e ainda folatos, que se assumem como 'amigos' da saúde cardiovascular.
Também o iogurte - quando isento de açúcares e com um baixo teor de matéria gorda - é para ser repetido todos os dias, especialmente se tiver bons níveis de fermentação e uma boa quantidade de proteína, dois fatores que promovem uma boa saúde intestinal e uma maior sensação de saciedade. E por falar em proteína, há uma que é de origem vegetal e que pode ser incluída todos os dias na alimentação: o feijão preto. Quando consumido de forma moderada ou juntamente com um cereal (para se obter uma proteína completa), esta leguminosa traz benefícios diretos à mente, melhorando o funcionamento do cérebro.

De acordo com o site Eat This, Not That!, a alimentação diária deve ainda incluir tomates (muito por conta do antioxidante licopeno que possuem) e cenouras, ricas em carotenoides, componentes associados a um menor risco de câncer e a menores marcadores inflamatórios no organismo. Com poucas calorias, mas muitas vitaminas e minerais, os mirtilos fazem parte do grupo de frutas que mais se pode comer sem ficar com peso na consciência. Elas não só trazem benefícios para o organismo, como atuam como escudos protetores contra o envelhecimento precoce interno e externo. Já quando o objetivo é cuidar da saúde digestiva, nada como apostar na aveia, um dos cereais com melhor teor nutricional e com maior quantidade fibra, fundamental para a saúde. Com um poder antioxidante e anti-inflamatório, as frutas secas são um outro exemplo de alimento a repetir.

Postado em 04 de Julho, às 17:18 por Redação Criativa 0 comentários

Primeiro mutirão do glaucoma de 2017 está sendo realizado em Itatim

A prefeitura municipal de Itatim, através da Secretaria da Saúde, está realizando nessa terça-feira (04/05) no Colégio Astor o primeiro Mutirão de Combate ao Glaucoma de 2017. De acordo com especialistas, a doença pode levar à cegueira irreversível.

O atendimento está sendo realizado por uma equipe montada para atender às pessoas previamente cadastradas pelos agentes de saúde do município.

De acordo com o secretário de Saúde, Geraldo Pereira Nogueira Filho, o mutirão tem como principal finalidade diagnosticar e tratar a doença ainda em seu estágio inicial. “Muita gente começa a desenvolver a doença, mas não sabe que a dificuldade na visão são os sintomas do glaucoma. Hoje as pessoas têm essa oportunidade de fazer o exame sem custo algum e descobrir se têm o problema”, destacou.

As pessoas atendidas no Mutirão do Glaucoma recebem um colírio durante o atendimento para fazer o tratamento dos olhos e participarão de uma revisão no prazo de três meses, a contar da data do atendimento.

Postado em 04 de Julho, às 15:37 por Carlos Quintino 0 comentários

Óleo de coco é tão nocivo quanto banha de porco ou manteiga, dizem cientistas

Um relatório publicado recentemente pela Associação Cardíaca Americana indica que, apesar de ser propagado como opção saudável, o óleo de coco tem efeitos semelhantes às gorduras derivadas de animais. De acordo com informações da Folha de S. Paulo, os cientistas explicam que o óleo de coco é composto de gordura saturada e, portanto, pode aumentar o LDL, chamado colesterol ruim.

Segundo os dados levantados pela associação americana, 82% da gordura no óleo de coco é saturada, numero maior que o da manteiga (63%), da gordura bovina (50%) e da banha de porco (39%). “Como o óleo de coco aumenta o colesterol LDL, causa de doenças cardiovasculares, e não tem efeitos favoráveis que compensem isso, advertimos contra seu consumo”, diz o relatório.

A instituição orienta que as pessoas limitem a quantidade das gorduras saturadas ingeridas, optando por óleos vegetais não saturados, a exemplo do azeite de oliva e do óleo de girassol. Alguns especialistas pontuam, no entanto, que a mistura de outras gorduras no óleo de coco pode ser uma opção saudável, embora a Associação Cardíaca Americana afirme que não existe evidências que comprovem tal conclusão.

Postado em 20 de Junho, às 11:57 por Redação Criativa 0 comentários

5 estratégias para lanchar de forma saudável e não engordar

Os lanches são essenciais para quem adota uma dieta de perda de peso, uma vez que eles reduzem a fome durante as refeições. Há quem prefira comer de três em três horas ou quem prefira mais ou menos tempo, o importante é driblar a fome nas refeições principais. Quando bem escolhidos, os lanches são excelentes opções nutritivas e conseguem manter os níveis de energia durante todo o dia.

Confira cinco estratégias para driblar a fome, de acordo com o blog My Fitness Pal:

1. Tenha consciência se você está realmente com fome. Antes de comer qualquer petisco, pergunte-se se você comeria uma fruta ou vegetal. “Se a resposta for não, então você provavelmente não está com fome”, afirma a dietista Amy Gorin. Neste caso, o melhor é fazer um chá ou beber um copo de água.

2. Coma proteínas e fibras. Se você vai comer algum petisco, então que seja bom para você. Combine proteínas e fibras, para dar saciedade e conseguir nutrientes. Boas opções são ovos cozidos com nozes não salgadas, edamame ou maçã com manteiga de amendoim ou amêndoa, sementes de girassol com bolachas integrais, hummus com pimentão ou iogurte grego integral com frutas vermelhas ou pepino.

3. Planeje seus lanches com antecedência. Se você tem petiscos saudáveis à mão, é mais fácil evitar as besteiras. “Pessoas com fome tendem a comer a primeira coisa que veem pela frente, normalmente comidas com alto índice de gorduras e calorias, e comumente em grandes quantidades”, afirma a dietista Jennifer Glockner.

4. Tenha frutas sempre à vista. Um estudo publicado no Jornal de Educação e Comportamento Saudáveis aponta que, em casa, é mais comum comer o que estiver por perto. Por esta razão, é indicado ter frutas em uma fruteira à vista na cozinha, assim você não procura por besteiras.

5. Não coma na frente do computador. Quem come em frente a telas, como computador ou tablet, tem mais tendência a ignorar os sinais corporais e comer demais.

Postado em 20 de Junho, às 11:55 por Redação Criativa 0 comentários

ONG usa limão para cortar gosto do crack e ajudar a recuperar usuária

A polícia reforçou a segurança em torno da Praça Princesa Isabel no Centro de São Paulo, onde nesta quarta-feira dois traficantes foram presos. A praça virou uma nova cracolândia depois que o quarteirão da Alameda Dino Bueno foi retomado pela Polícia Militar – vinte dias atrás.

Desde então, o vício do crack virou o principal assunto da cidade. Se livrar das drogas é muito difícil, mas existem algumas experiências que estão dando bons resultados.

Em uma casa na Rua Marquês de Olinda, no Ipiranga, usuárias de crack moram – e se tratam. É o projeto da ONG Família Crack Zero.

Ao longe de sete anos de trabalho, 680 dependentes já passaram pelo Família Crack Zero. Segundo a ONG, 35% foram recuperados. Isso significa que eles ficaram no mínimo um ano e meio longe das drogas. O tratamento dura em média oito meses. Para sair da casa para ver a família ou fazer algum curso, só acompanhada.

Um dos ingredientes importantes para o tratamento é o uso do limão. As moradoras usam limão para cortar o sabor da droga na boca.
“Esse limão na minha vida é importante há um ano, há um ano tô conseguindo combater o paladar da droga. A gente chupa um limão, toma um café, se foi o gosto, se foi a abstinência. E isso tá me mantendo limpa faz um ano. Já fiquei em clínica, era tratada com remédios, eu precisava ser amarrada e o remédio não continha… e eu queria voltar pra rua… e aqui eu descobri o limão e tô limpa há um ano. O limão corta o sabor da droga na boca. Quando corta é o espaço que tem pra conversa e você fala ‘ufa, consegui mais um dia sem crack’. Estou há um ano sem a droga. “

Luciano Celestino da Silva, empresário e presidente da Associação Área de Direito da Cidadania, diz que o modelo do projeto é “uma simples casa, um simples modo familiar, uma vontade de que eles cresçam”. “Faz essa forma de recuperação ser facilitada com menos gastos e com mais facilidade de lidar com o ser humano. Hoje o recurso vem de uma empresa que eu tenho. Fazemos entrega de cosméticos dentro da comunidade, tem os parceiros de outras entidades e tem ajuda de todos. Na verdade, a gente acaba sendo um grupo, né. Temos padaria que fazem doação de pães, temos as pessoas que traz alimento. “
Marlene Fernanda da Costa Silva diz que “se não fosse esse ambiente familiar não seria o crack zero. Que a gente é família. O que a gente não tem na rua, né? A união.”

Ana Paula é mãe de gêmeos. “Quando que cheguei aqui, eu não queria nem falar que eu estava grávida… se eu procurasse a minha mãe eu não sei se daquele jeito ela teria me acolhido. Eu tenho um 1,70 m e eu estava pesando 49 kg. E eu já tô pesando hoje 70 kg. Eu tava muito fraca…”
Ela diz que o diferencial dessa casa “é o amor”.” É o amor. Porque na vida sofrida da rua, esse sentimento não existe. A gente só tem amor pela droga. “
 
E quando bate aquela vontade de usar a droga, Ana Paula explica o que os moradores da casa fazem: “A gente toma o limão porque o limão ajuda naquela hora assim, sabe? Que você tá tremendo, com vontade, nervoso, chorando, você toma, não dá dez minutos e você melhora. Aí você toma um pouquinho de café e conversa. Porque não adianta eu me dopar de remédio, porque eu tenho que limpar a minha mente da droga.

Postado em 16 de Junho, às 20:09 por Redação Criativa 0 comentários

Está de dieta? Conheça versões saudáveis para as comidas típicas

As comidas típicas das festas juninas podem ser deliciosas, mas é preciso estar atento ao consumo de sódio, açúcar e gordura. Pensando nisso, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo recomenda alguns cuidados para consumir as receitas – e aproveitar melhor as festividades.

 
De acordo com Etelma Maria Mendes Rosa, nutricionista da Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), o consumo desses pratos típicos deve ser moderado devido à quantidade calórica das preparações. “É preciso fazer uma restrição de consumo ou, se houver possibilidade, preparar as receitas em casa, reduzindo a quantidade de açúcar, de sal ou até mesmo de gordura, dependendo da preparação”, enfatizou.

O secretário Arnaldo Jardim destacou a importância de incentivar na população paulista hábitos saudáveis de alimentação. “A riqueza da agropecuária representada nas festas juninas não exclui o cuidado com a saúde. Oferecer alimentos seguros para o consumo é uma das principais recomendações do governador Geraldo Alckmin para nós da Secretaria”, disse.

Alternativas para preparações mais saudáveis e nutritivas

Milho Verde: cereal fonte de carboidrato contém grande quantidade de fibras, vitaminas e minerais. Procure consumir com pouco sal e pouca manteiga.

Pinhão: rico em fibras e minerais como cobre, zinco, manganês, ferro, magnésio, cálcio e fósforo. Possui também ácidos graxos como ômega 6 e 9. Além de ser naturalmente muito saudável, deve ser cozido somente em água.

Cuscuz: preparado com farinha de milho, pode ser feito com legumes, ovos, atum, tornando-se um prato bastante nutritivo.

Pipoca: cereal integral que, sem excesso de sal ou gordura, é rico em fibras, possui vitaminas E, B1, B2 e os carotenoides, considerados antioxidantes. Além disso, contém minerais como cálcio, sódio, iodo, ferro, zinco, manganês, cobre, selênio, crômio, cobalto, cádmio e fósforo. Em casa, prepare-o no micro-ondas para evitar o uso de óleo; coloque o milho da pipoca dentro de um refratário; leve ao micro-ondas com a tampa própria do aparelho doméstico; deixe de 2 a 4 minutos em potência alta; acrescente pouca quantidade de sal.

Batata doce: fonte de carboidratos contém magnésio, fósforo, potássio e vitaminas A, B, C, K e E. Pode ser assada no forno, basta embrulhá-la, depois de lavada inteira e com casca, em papel alumínio e levá-la para assar por 50 minutos aproximadamente.

Arroz doce e Canjica: cereais com fonte de carboidrato. Se preparados com menos açúcar e sem leite condensado, são bem nutritivos. Algumas alternativas para conferir mais sabor são queimar o açúcar no momento do preparo e adicionar raspas de laranja ou canela.

Curau e pamonha: fontes de carboidratos. Normalmente levam na composição leite e açúcar. Evite incluir no preparo manteiga, gordura vegetal e leite de coco, pois deixam a preparação ainda mais calórica.

Bolo de milho: fonte de carboidrato, leva na composição ingredientes proteicos como leite e ovos. No caso de preparações caseiras, experimente prepará-lo com metade do açúcar da receita e utilize óleos vegetais no lugar da gordura vegetal, da margarina ou mesmo da manteiga.

Vinho quente e quentão: são calóricos por conter álcool e grande quantidade de açúcar, por isso, vale a pena moderar o consumo. Nos preparos caseiros, existem opções sem álcool, utilizando gengibre, casca de laranja, sucos de frutas como laranja, maçã, abacaxi, maracujá, suco de uva integral e as especiarias como, canela e cravo-da-índia.

Postado em 16 de Junho, às 20:07 por Redação Criativa 0 comentários

Itatim participa da 1ª Conferência de Saúde das Mulheres em Salvador

Entre os dias 06 e 07 de junho, o conselho Municipal de Saúde de Itatim participou da 1ª Conferência Estadual de Saúde das Mulheres da Bahia, sendo representado pela enfermeira Tatiana Oliveira, pela assistente social Vanusa Paulo, e a agente comunitaria de saúde Elizete Cruz.

Elas participaram da cerimônia de abertura da etapa macrorregional Leste da 1ª Conferência Estadual de Saúde das Mulheres, realizada no Fiesta Bahia hotel, em Salvador, contou também com a participação da secretária de representantes do Conselho Estadual dos Secretários Municipais de Saúde da Bahia (COSEMS/BA).

Também fizeram parte da mesa, o secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas Boas, a secretária Estadual de Política para as Mulheres, Julieta Palmeira, o presidente do Conselho Estadual de Saúde (CES), Ricardo Mendonça, a presidente do Conselho Municipal de Saúde (CMS), Cherry Almeida, o coordenador do Núcleo Regional Leste, Radamam Barreto, a presidente da Comissão de Defesa das Mulheres, Aladilce Souza, a representante da Comissão Nacional de Saúde, Maria Soares Amorim e a representante do Conselho Indígena da Bahia, Sara Mota.

A Conferência contou com a apresentação da batucada feminista, que fez o público vibrar com o toque dos tambores e marcha em defesa das mulheres. Também foi apresentado o hino nacional, cantado ao vivo em voz violão por dupla de músicos e acompanhada em coro pela platéia que reuniu centenas de mulheres de diversas representações sociais.

Postado em 14 de Junho, às 17:59 por Carlos Quintino 0 comentários

Médica alerta para os cuidados com fumaça e barulho dos fogos de artifício

Falta pouco para o São João, período em que as fogueiras e fogos de artifício dominam as ruas e fazem a alegria da criançada. No entanto, é importante atentar para os cuidados necessários com a saúde, já que a exposição à fumaça e o estrondo das bombas, foguetes e rojões podem prejudicar as vias aéreas e auditivas.

A mistura de partículas e produtos químicos produzidos pela combustão e liberadas na fumaça pode causar sintomas leves ou mais severos na inalação. “A fumaça irrita os olhos, nariz e garganta, podendo agravar ainda mais os sintomas de quem já sofre com problemas respiratórios como rinite e asma”, explica a otorrinolaringologista Clarice Saba.

O estouro dos fogos de artifício pode causar zumbido, aquele barulho ininterrupto no ouvido semelhante a um chiado, apito ou grilo. “Isso vale como alerta também para o som muito alto em ambientes fechados, que pode causar esse sintoma”, complementa a médica.

A otorrinolaringologista dá algumas dicas para evitar problemas nesse período junino: “evitar fogueiras e o uso de fogos de artifício em ambientes pequenos, abafados ou com aglomeração de pessoas; circular em locais distantes da fumaça, no lado oposto à direção do vento; e caso algum sintoma se agrave, procurar ajuda médica”. 

Postado em 14 de Junho, às 17:19 por Redação Criativa 0 comentários

Campanha de Vacinação contra a Gripe termina nesta sexta-feira

Quem ainda não se vacinou contra a gripe tem até hoje (9) para procurar os postos de saúde e garantir a imunização. Nesta última semana, o Ministério da Saúde orientou estados e municípios a ofertar a vacina para toda a população, pois ainda havia um estoque de 10 milhões de doses disponíveis. Entretanto, cada estado ou município tem autonomia para estender ou não a vacinação.

Prevista para terminar em 26 de maio, a campanha já tinha sido prorrogada com o objetivo de alcançar a meta de vacinação para o grupo de risco que, neste ano, é de 90%. Segundo o último balanço do Ministério da Saúde, divulgado no último dia 2, 76,7% do público-alvo tinham sido vacinados, de um total de 54,2 milhões de pessoas.

Fazem parte do grupo de risco crianças de 6 meses a menores de 5 anos, pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores da área de saúde, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas com doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, além de professores.

O ministério alerta sobre a importância da imunização para evitar a gripe e seus possíveis agravamentos. A vacina disponibilizada nos postos de saúde protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial da Saúde para este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). Segundo a pasta, estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

Postado em 09 de Junho, às 14:32 por Redação Criativa 0 comentários

Mulheres sofrem mais de enxaqueca

Tem gente que sofre a vida toda com enxaqueca, enfrentando dificuldades para fazer as coisas mais simples do cotidiano. Mas é o público feminino que mais enfrenta as piores “dores de cabeça”. Cerca de 20% das mulheres e entre 5% a 10% dos homens são diagnosticados com a doença, segundo dados da Sociedade Brasileira de Cefaleia https://goo.gl/L1hScy .  

Considerada uma moléstia de fundo neurovascular caracterizada por crises repetidas de dor de cabeça, por vezes associada à fotofobia (desconforto com a luminosidade), náuseas e tontura - esta forma de cefaleia pode se manifestar diferentemente de um paciente para outro, inclusive em distintos períodos da vida. “É possível minorar ou evitar as crises a partir de um diagnóstico especializado, além do uso da correta medicação, entre outros cuidados”, analisa Dr. Pedro Oliveira, diretor médico da ePharma, empresa líder no mercado de assistência de benefícios farmacêuticos e de soluções para gestão de programas de saúde.

Oliveira lembra ainda que a doença pode se manifestar na forma leve (não comprometendo as atividades cotidianas); moderada, já interferindo no dia a dia e, na forma grave, incapacitando o paciente para qualquer tarefa. “O desenvolvimento de novos medicamentos tem possibilitado ampliar o atendimento a estes pacientes, inclusive àqueles que sofrem com a forma crônica da enxaqueca”, afirma o médico.

O diretor médico da ePharma alerta para os cuidados com os medicamentos para dor de cabeça. Segundo ele, os pacientes não devem fazer uso de medicamentos sem a devida orientação médica e, para esta moléstia especificamente, na maioria das vezes, analgésicos comumente utilizados para a cefaleia inespecífica não dão conta de enfrentar uma crise de enxaqueca. “Assim, a avaliação e o correto diagnóstico de um profissional especializado, permite a prescrição de antienxaquecosos específicos que solucionam o processo. Mais do que em outras doenças, nos casos de enxaqueca, antes de se automedicar, procure um médico”, recomenda Dr. Oliveira.

Postado em 07 de Junho, às 07:20 por Redação Criativa 0 comentários

Risco de câncer de pele é sete vezes maior em trabalhadores expostos a agrotóxicos

A exposição excessiva aos raios solares, principalmente entre as 10 e 16 horas, é a maior causa do câncer de pele, o tipo de maior incidência no Brasil. No entanto, uma pesquisa concluída recentemente noInstituto Nacional do Câncer José de Alencar (Inca), vinculado ao Ministério da Saúde, sugere que que os agrotóxicos podem estar muito mais envolvidos no surgimento da doença do que se pensava.

Ainda em fase de avaliação para publicação em revistas científicas especializadas no tema. O estudo acompanhou mais de 300 agricultores de Nova Palma (RS), localizado a 308 quilômetros a oeste de Porto Alegre. A agricultura, especialmente a produção de frutas. Com utilização de agrotóxicos, é a base econômica do município. 

– A pesquisa detectou que 17% dos agricultores estão expostos a agrotóxicos. Mas a descoberta mais interessante é que a presença de lesões precursoras do câncer de pele é sete vezes maior entre os agricultores expostos ao Paraquat – explica a epidemiologista da Unidade Técnica de Exposição Ocupacional, Ambiental e Câncer do Inca, Fernanda Nogueira.  

O herbicida Paraquat está entre os agrotóxicos mais perigosos. Trata-se de um composto altamente tóxico, que ao ser ingerido ou inalado ataca gravemente todos os tecidos do organismo. 

Exposição solar

– O dado se confirmou mesmo com o controle do principal fator de risco. Que a exposição solar. Ou seja, o risco era aumentado mesmo entre os trabalhadores menos expostos aos raios solares.” Para obtenção dos resultados, foram utilizados modelos estatísticos que levaram em conta, entre as variáveis. O maior e o menor tempo de exposição.

Os pesquisadores ainda não sabem dimensionar o impacto sobre a saúde a partir da combinação desses fatores de risco. Que se inter-relecionam entre si.

O câncer de pele é o de maior incidência no Brasil. Se for detectado precocemente. As chances de se espalhar e invadir outros órgãos (metástase) serão bem menores. 

– A exposição solar já é um fator altamente importante. E se você acrescenta a exposição ao agrotóxico. Há uma multi-exposição aos agentes causadores da doença – disse Fernanda, que esteve em São Paulo no dia 5 deste mês, em programação da 2ª Feira Nacional da Reforma Agrária. Realizada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

O Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxicos, utilizando mais de 1 milhão de toneladas por ano. É como se cada brasileiro recebesse um galão com mais de 5 quilos de veneno para ir tomando ao longo do ano. Além do câncer de pele de tantos outros tipos, esses produtos causam malformações congênitas, alterações endocrinológicas associadas a problemas reprodutivos e, como afetam vários órgãos, causam diversas outras doenças. Estudos recentes associam agrotóxicos a quadros de depressão e até ao autismo.

Sem contar as intoxicações agudas. Como dificilmente é feito o nexo causal entre a doença e o agroquímico, o número de mortes é subnotificado. O Ministério da Saúde estima que apenas um em cada 50 casos é registrado.

Agroecologia

Para a epidemiologista do Inca, a saída é o banimento dos agrotóxicos, o que parece praticamente impossível devido à hegemonia do agronegócio no atual Ministério da Agricultura.

A pasta, comandada pelo latifundiário Blairo Maggi, acelera a tramitação de projetos de lei reunidos no chamado Pacote do Veneno, que facilitam o registro de novos produtos, estimulando o aumento do consumo, ao mesmo tempo que revogam a atual legislação e reduzem as informações aos consumidores. É o caso da retirada do selo que informa a presença detransgênicos na formulação.

O apoio à agroecologia – uma vertente agronômica que articula técnicas ecológicas de cultivo com sustentabilidade social – é a principal saída para o enfrentamento ao atual modelo de produção com utilização de agroquímicos.

– É nosso papel também subsidiar os municípios para que façam essa transição da agricultura convencional para a agroecológica. Mas tem de ter mais pressão, mais mobilização popular. A participação é fundamental, como já preconizam os fundamentos do SUS.

Fernanda deposita esperanças também em um grupo de trabalho (GT) dentro do Ministério da Saúde constituído para estudar os impactos da pulverização aérea de agrotóxicos. “A proposta é trabalhar em evidências cientificas para barrar. Para isso, vamos desenhar um estudo capaz de avaliar esse impacto, algo como criar uma ‘atmosfera laboratorial’.

É lógico que o estudo vai demorar ainda, mas ter o GT é uma perspectiva de avanço. Além disso, temos de pensar em estratégias de comunicação, fazer vídeos, pressionar aAnvisa a banir os agrotóxicos já banidos em outros países. 

Postado em 29 de Maio, às 20:39 por Redação Criativa 0 comentários

5 alimentos que você jamais deve comprar no supermercado

Os supermercados são uma das grandes invenções da vida moderna, onde é possível encontrar tudo em um único espaço. É lá que estão todos os alimentos que podem ser consumidos quase na hora e sem uma grande trabalho culinário implicado.

Contudo, é no supermercado que estão também os alimentos processados, industrializados e repletos de sódio, açúcar e gorduras saturadas e trans. Esses alimentos devem ser evitados pelos vários riscos que apresentam para a saúde, mas o seu consumo não precisa ser completamente totalmente da alimentação… isto, claro, se as pessoas optarem pelas versões feitas em casa.

Ao site Buena Vida do El País, o biólogo e nutricionista Juan Revenga garante que o supermercado é o pior local para comprar carne moída, especialmente se já estiver embalada e pronta para levar. “No supermercado você não encontra carne moída sem uma série de aditivos”, diz. O melhor ainda é ir a um açougue e pedir para picar a carne na hora ou comprar uma máquina para que possa fazer em casa.

As embalagens de tomate sem pele também não devem ser compradas, uma vez que cada lata tem aproximadamente o dobro de calorias e gorduras do que o molho feito em casa. Além disso, estas embalagens contêm também grandes quantidades de açúcar, salienta ao jornal a dietista Silvia Romeno, que ressalta a importância de cozinhar o molho em casa com azeite.

Embora as pipocas sejam um dos lanches que mais podem contribuir para a perda de peso, optar pelas de saco é um erro. A diferença nutricional entre as pipocas feitas em casa (em azeite ou óleo de coco e sem açúcar) é completamente diferente das pipocas industrializadas (já feitas ou para colocar no micro-ondas), que contam com grandes quantidades de gordura trans e saturada.

De acordo com os especialistas, os molhos prontos são um verdadeiro veneno. Além de conterem grandes quantidades de açúcar, sal e gorduras, podem ainda conter óleo de palma e aditivos prejudiciais à saúde. Recorrer ao azeite, ervas aromáticas, nozes e castanhas e tomate é o recomendado para fazer um molho em casa bem mais saudável.

E se pensa que as batatas fritas congeladas são uma boa opção por serem ‘apenas’ batatas, engana-se. Esta versão “absorve muito mais óleo para fritar”, o que pode resultar num aumento calórico de 500 calorias por 100 gramas, diz Silvia Romero. Embora a ingestão de batatas fritas deva sempre ser evitada, fazer em casa com batatas ao natural é melhor.

Postado em 27 de Maio, às 15:39 por Redação Criativa 0 comentários

Próximo




Gutscheine Groupon
Códigos descuento Groupon
Instagram



Enquetes


Categorias

Áudios Cidades Colunas Educação Entretenimento Esportes PodCast Polícia Política Publicidade Riviera Amargosa Saúde Tempo

Rede Criativa

Mídia Notícias Rádio Hoje Brasil Repórter Hoje

Cidades

Amargosa Brejões Elísio Medrado Itatim Laje Recôncavo Salvador Santo Antonio de Jesus São Miguel das Matas Vale do Jiquiriçá Varzedo
Anunciar | Você Repórter | Termos de Uso | Contato | Expediente
©Copyright - Criativa On Line - Rede Criativa de Comunicação
A Força da Comunicação na Internet! 25/09/2017 04:56