Notícias

Conheça a síndrome de Asperger, o autismo leve de Benê da Malhação

O Transtorno de Asperger, considerado um tipo de autismo leve, tem sido retratado pela personagem Benê (Daphne Bozaski) na novela Malhação, da Rede Globo. A trama apresenta a personagem tendo dificuldade social em se relacionar, por conta do excesso de sinceridade, falando tudo que pensa, além de um interesse exagerado em corrida e piano.
 
Segundo o neuropediatra Dr Clay Brites, um dos fundadores do Instituto NeuroSaber, essas características são típicas de quem tem o Transtorno de Asperger, que é uma condição mais leve dentro do espectro autista.
 
O especialista explica que há diferentes níveis de intensidade do autismo, como, por exemplo, leve, moderada e severa. São definidas pelo grau de comprometimento do desenvolvimento neuropsicomotor, das questões adaptativas, nível de dependência e necessidade de intervenções para obter mínima funcionalidade.
 
O Asperger é considerado um autismo leve, pois a pessoa apresenta somente restrições visíveis na forma de falar, de expressar emoções, de entender linguagem subliminar (duplo sentido) e processos de comunicação que dependem de mecanismos não-verbais, como gestos, expressões faciais e mudanças de tom da voz.
 
- Nela, o comprometimento poupa, de certa forma, a inteligência e a linguagem. Por exemplo, eles têm uma maior funcionalidade e mais autonomia para se adaptar aos desafios sociais e acadêmicos quando comparados com outros tipos. Além disso, têm tendência a intelectualização e racionalização de tudo, além de exagerado interesse por determinados assuntos - comenta.
 
Brites fala ainda que o Transtorno de Asperger tem origem genética. Isso significa que alguém da família pode ter tido o mesmo distúrbio e/ou  pessoas que podem apresentar traços de personalidade antissocial.  “Não existe uma causa apenas que seja a responsável pelo surgimento desta condição.”
 
Diagnóstico e tratamento
 
O neuropediatra diz que a melhor maneira de lidar com o diagnóstico é procurar ajuda assim que a suspeita do Transtorno de Asperger for levantada. “Apesar de sua descrição não existir mais no Manual de Transtornos Mentais, o DSM-5, desde 2014, ela está muito bem definida e descrita clinicamente desde da década de 70 e é citada e descrita no Código Internacional de Doenças, o CID-10”.
 
- Mas é importante ressaltar com os pais que somente com o acompanhamento de profissionais para auxiliar quem o apresenta e a sua família, a qualidade de vida do (a) filho(a) tende a ficar melhor pois todos passam a entender o que acontece e como lidar - destaca.
 
Por ser um transtorno autístico mais ameno, Brites comenta que as formas de tratamento também costumam ser proporcionais. Ele ressalta que os pais jamais devem negligenciar a situação de seus filhos adotando a automedicação e o uso de procedimentos alternativos como forma de promover a intervenção. “O acompanhamento profissional deve ser priorizado. Somente desta maneira haverá a solução desejada pois existem formas bem descritas na literatura de manejo comportamental, psicoeducativo e medicamentoso.”
 
Quando a condição é diagnosticada na infância, o conselho é que os pais levem a criança ao atendimento psicológico e neuropsiquiátrico. Fazer isso é muito importante, pois os profissionais podem ajudar a criança a lidar com seus sentimentos, impulsionar a relação interpessoal e reduzir futuros sofrimentos.
 
Clay também indica aos pais se consultarem com um psiquiatra ou neurologista infantil com experiência na área. Dependendo das características apresentadas pela criança, o profissional vai receitar medicamentos que podem diminuir alguns sintomas negativos e disruptivos presentes em quem os apresenta, como problemas no sono, irritabilidade, a agitação e a hiperatividade, depressão, psicoses e fobia social.
 
- Em todos os casos, porém, a psicoterapia é indicada independente dos sintomas apresentados. O terapeuta saberá como lidar com o transtorno com a adoção de estratégias que vão melhorar suas habilidades sociais e a empatia.  Além disso, ele indicará outras demandas que serão responsáveis por atenuar os prejuízos sociais, escolares e aquelas relacionadas `a inserção no mercado de trabalho os quais costumam ser prejudicados pelas características manifestadas por quem tem o Transtorno- conclui.

Postado em 20 de Fevereiro, às 09:47 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Especialista ressalta a importância da segurança na cirurgia plástica

Muita gente pensa em fazer uma cirurgia plástica para aumentar os seios, corrigir um defeito no rosto ou mudar alguma outra parte do corpo. Entretanto, antes de uma cirurgia é necessário uma investigação minuciosa e  cuidadosa, que incluem testes diagnósticos, diz o cirurgião plástico, Raphael Sampaio.

De acordo com o médico, parte desta investigação inclui a história médica do paciente como doenças e cirurgias anteriores, existência de algum tipo de alergia ou algum tipo de reação às anestesias, medicações de uso regular, vitaminas, suplementos de ervas, álcool, tabagismo e outras drogas, além de anticoncepcionais orais.

Segundo Sampaio,  todo e qualquer procedimento médico exige responsabilidade e seriedade para que tenha sucesso, e complementa dizendo que podem surgir complicações que fogem ao controle do cirurgião e do paciente. Entretanto, o respeito aos limites do corpo, o bom senso e o zelo podem minimizar as chances de resultados negativos.

“A melhor forma de diminuir os riscos de complicações é realizar o procedimento num hospital com estrutura de UTI, com um cirurgião plástico de confiança e seguir todas as suas recomendações no pré e no pós operatório”, disse Raphael Sampaio.

Postado em 19 de Fevereiro, às 10:38 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Começa segunda-feira a Campanha de Vacinação contra febre amarela para oito municípios baianos

Oito municípios baianos começam na próxima segunda-feira (19) uma campanha de vacinação contra Febre Amarela. A meta é que pelo menos 95% da população de Camaçari, Candeias, Itaparica, Lauro de Freitas, Mata de São João, Salvador, São Francisco do Conde e Vera Cruz seja imunizada até o dia 9 de março, quando acaba a campanha. A estratégia adotada será a determinada pelo Ministério da Saúde, com a utilização de doses fracionadas. No dia próximo dia 24, acontece o Dia D da vacinação. 

 A vacinação é destinada a pessoas a partir dos dois anos de idade, inclusive indígenas, desde que não apresentem condições clínicas especiais Todos que já tiverem tomado a vacina ao longo da vida não terão a necessidade de receber nova dose. A intenção é proteger o maior número de pessoas contra a Febre Amarela, em localidades com grande contingente populacional e que tem evidência de circulação do vírus e risco elevado de transmissão da doença.

 Estudos realizados pela Fiocruz/RJ demonstram que a utilização da dose fracionada da vacina protege o indivíduo por pelos menos oito anos. Após esse período, deve ser feito o reforço da imunização.

 Dose Padrão

 Durante a campanha, a dose padrão será disponibilizada apenas para crianças de 9 meses a menores de dois anos de idade, gestantes com indicação escrita do médico, viajante internacional que necessite a emissão do certificado internacional de vacinação e profilaxia e para pessoas que apresentarem condições clínicas especiais avaliadas pelo serviço de saúde. 

 Casos de febre amarela

 No ano 2000, na Bahia, foram confirmados dez casos de Febre Amarela Silvestre em pessoas residentes nos municípios de Coribe e Jaborandi. Deste total, três foram a óbito. Estes foram os últimos casos autóctones (quando a infecção acontece no próprio local de residência) registrados no estado. Em 2018 houve a confirmação de um caso importado de Febre Amarela.

  L.R. DRT 2.600/BA

 

Postado em 16 de Fevereiro, às 12:37 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Saúde orienta foliões com sintomas de conjuntivite no carnaval

As mudanças climáticas no período do verão - ora sol, ora chuva - propiciam a proliferação dos vírus de fácil disseminação, com os causadores da conjuntivite. A higienização das mãos é a principal forma de prevenção da doença, assim como, o cuidado com a higiene no geral, evitando-se o compartilhamento de objetos pessoais.

 É necessário cautela também em ambientes com aglomeração de pessoas, como no carnaval, onde o contato físico é constante. De acordo com a oftalmologista da rede municipal de saúde, Edriene Teixeira, as altas temperaturas do verão levam às pessoas a passarem mais as mãos no rosto. Contudo, a ação deve ser feita após assepsia, evitando levar sujeiras que podem ocasionar irritação ocular.

 Outro fator que pode acarretar no desenvolvimento da conjuntivite é o uso incorreto de maquiagens e pequenos objetos, como glitter e purpurina. Nos festejos deste ano, houve bastante utilização desses produtos. "Quando há ocorrência de corpo estranho nos olhos, as reações mais comuns são vermelhidão, ardor e desconforto, que se não forem cuidados devidamente, provocará o agravamento da doença", aponta Edriene Teixeira.

 Durante o período da folia, os módulos de assistência à saúde registraram 191 casos de conjuntivite, nos circuitos oficias. Número bastante superior ao ano passado, quando apenas 17 foliões apresentaram quadro clínico compatível.

 É importante que as pessoas com sintomas da doenças procurem atendimento especializado para diagnóstico correto, já que a conjuntivite pode ser do tipo viral, bacteriana ou alérgica.

 A Secretaria Municipal de Saúde está realizando buscas ativas nas unidades fixas, a fim de monitorar os casos, orientando devidamente os pacientes diagnosticados.
 

Postado em 16 de Fevereiro, às 12:33 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Fiscalizações pré-carnaval garantem baixos índices de notificações sanitárias

A Vigilância Sanitária de Salvador registrou uma queda de 48,3% nas apreensões de produtos e alimentos, em relação a todo o período do carnaval do ano passado. Essa redução é fruto das ações pré-carnaval do órgão, como treinamentos e capacitações com os profissionais habilitados para atuar na comercialização durante a folia.
O trabalho desenvolvido pelos fiscais da VISA busca garantir a qualidade de alimentos e bebidas, evitando surtos alimentares e intoxicações causadas pelo consumo de produtos sem adequações sanitárias exigidas por lei.
 
Além de estabelecimentos do comércio formal e informal, houve inspeções em trios elétricos, carros de apoio e camarotes. Nesses locais foram observados as condições dos banheiros, postos médicos e áreas de alimentação, onde verificou-se a manipulação dos alimentos, o acondicionamento e informações sobre procedência, fornecedor e data de validade dos itens.
 
O secretário de saúde, José Antônio Rodrigues Alves, pontua que as ações prévias de vigilância em saúde influenciaram na diminuição dos atendimentos clínicos nos módulos montados nos circuitos. "Observamos importante redução das admissões por intoxicação alimentar e doenças de veiculação hídrica como diarreia e vômitos, nesse carnaval. O trabalho integrado das vigilâncias sanitária e ambiental é muito importante nesse processo", indica.
 
Vale ressaltar também, as atividades de monitoramento da qualidade da água, que também foram iniciadas antes dos festejos de momo. Todos os estabelecimentos visitados receberam um selo de acompanhamento afixado em local visível, indicando que a água do estabelecimento estava sendo monitorada. As irregularidades mais persistentes foram a ausência de descarga de cloro ou a adequação do teor de cloro. A maioria dos locais realizou as adequações no mesmo dia das notificações.
 

Postado em 16 de Fevereiro, às 12:25 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

O Hospital Geral do Estado procura por paciente sem identificação

O Hospital Geral do Estado (HGE) procura por familiar de um paciente, sem identificação, que se encontra internado na enfermaria UI 02, leito 16, desde o 21 de dezembro de 2017, vítima de atropelo ocorrido na BA – 093, próximo ao município de Itanagra.

Primeiro o paciente foi atendido no Hospital de Pojuca, sendo regulado, em seguida, para o HGE. A unidade já fez solicitação de identificação papiloscópica (impressões digitais) ao Instituto de Identificação Pedro de Melo, mas o órgão não localizou cadastros ou fichas com dados dessa pessoa. Como o paciente encontra-se sem condições de abordagem, o HGE encaminha fotos para divulgação como forma de tentar localizar alguém que o reconheça.

Postado em 15 de Fevereiro, às 12:32 por Cristóvão Guimarães 1 comentários

No Carnaval, Saúde do Estado intensifica assistência com mais de dois mil plantões extras

Todos os anos, no Carnaval, a fórmula é a mesma. Foliões nas ruas podem resultar em um número maior de casos urgentes e emergenciais chegando a hospitais da capital e interior da Bahia. Tendo em vista esse cenário, em 2018, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) aplicou R$1,4 milhões para dar conta da demanda ampliada de atendimentos. 

Ao todo, são 2.039 plantões extras, nos cinco dias de folia. De acordo com o subsecretário da Sesab, Adil Duarte, “na área da Saúde, as ações são divididas em dois grupos - de prevenção e de assistência”. O gestor explica que “a adição de postos de trabalho está incluída nesse segundo segmento e que há uma atuação por parte da Corregedoria da Sesab, que verifica o funcionamento das unidades públicas do Estado, avaliando, inclusive, o recurso humano”. 

Em Salvador, os hospitais gerais do Estado (HGE), Roberto Santos (HGRS), Ernesto Simões Filho (HGESF) e o Hospital do Subúrbio (HS) costumam receber os casos de maior gravidade. Apenas no HGE, equipamento de saúde de trauma mais solicitado da Bahia, serão 273 plantões complementares. O diretor da unidade hospitalar, André Luciano, salienta que “os plantões são à parte da equipe que normalmente atua no local”. 

O HGE é o único hospital do Brasil a contar com um Centro de Atendimento de Múltiplas Vítimas. Em 10 minutos, o estacionamento coberto se transforma em uma ampla emergência, capaz de atender um número grande de pacientes, fornecendo equipamentos de ponta, a exemplo de pontos de oxigênio e respiradores. “Nessa área, recebemos os pacientes do mesmo modo que receberíamos em uma sala de emergência, posteriormente fazendo o atendimento ou a triagem para outras unidades”, destaca o diretor. 

Já no interior, há unidades estaduais de saúde de prontidão para dar conta de pacientes necessitando de assistência de urgência e emergência nas cidades de Porto Seguro (extremo sul), Lauro de Freitas (RMS), Barreiras (oeste), Seabra (Chapada Diamantina), Ilhéus (sul), Jequié (centro sul), Guanambi (sudoeste) e Juazeiro (norte). 

Prevenção e detecção de doenças

Além do aumento de atendimentos nas emergências hospitalares, é registrada também a ampliação de casos de pessoas que contraem doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), durante o Carnaval. Incluídos nas medidas preventivas estão os três postos de testagem capazes de detectar enfermidades como a Aids, transmitida pelo vírus HIV, sífilis e as hepatites virais. 

As estruturas foram montadas na capital - uma em cada circuito da folia - e em Porto Seguro. 
“As pessoas, no dia a dia, não têm a oportunidade de fazer o teste para essas doenças virais. É um procedimento simples. Basta que o indivíduo se dirija há um dos postos e se apresente. Se der positivo, o paciente é orientado a procurar um serviço especializado para fazer a complementação e investigação diagnóstica”, detalha Duarte. Ainda na área de prevenção, há a distribuição de preservativos para os foliões. Em 2018, mais de milhão de camisinhas devem ser disponibilizadas. 

Hospital da Mulher

O Serviço AME, localizado no Hospital da Mulher, em Salvador, contará com uma unidade móvel, no Carnaval. A unidade acolhe integralmente as mulheres e adolescentes a partir dos 12 anos que forem expostas a situações de abusos e violência sexual.

Em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), o AME estará com unidade móvel desta quinta a terça-feira (8 a 13), no circuito Dodô, orientando e encaminhando, quando necessário, para o Hospital da Mulher. 

Postado em 08 de Fevereiro, às 16:33 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Estude revela os 10 alimentos que nunca devem ser consumidos

Recebi um email sobre “Os 10 piores alimentos para o Ser Humano” e concordei com tudo o que foi escrito, mas fiquei pensando, como as pessoas que não tem o conhecimento das trocas que se pode fazer a favor de uma alimentação mais saudável, agiriam, provavelmente com pessimismo e com a famosa frase: “Ah se eu for pensar nisso não como mais nada”.

Mas não se deixe contaminar pelo pessimismo, criei dicas bem fáceis e criativas para você transformar estes alimentos em versões mais saudáveis e saborosas.Conheça o abaixo a lista feita pela nutricionista Michel Schoffro Cook e “soluções” para transforma-los.

Em tempo: como muitas pessoas apontaram outros alimentos (leite, soja, açúcar, farinha branca, etc…) quero esclarecer que apenas me limitei aos que foram apontados pela autora citada no parágrafo acima, muitos outros podem entrar nessa lista.

10º lugar: Sorvete.
Apesar de existirem versões mais saudáveis que os tradicionais sorvetes industrializados, esse alimento geralmente possui altos níveis de açúcar e gorduras trans, além de corantes e de saborizantes artificiais, muitos dos quais possuem neurotoxinas – substâncias químicas que podem causar danos no cérebro e no sistema nervoso.
Solução: Pois bem, que tal um delicioso sorvete caseiro feito de inhame? Isso mesmo Inhame, dá a consistência perfeita, a liga, não tem sabor, portanto se harmoniza muito facilmente. Além disso, tem grandes propriedades nutricionais. Vale a pena experimentar, é muito fácil de fazer!

9º lugar: Salgadinho de milho
Desde o surgimento dos alimentos transgênicos, a maior parte do milho que comemos é um “Frankenfood”, ou “comida Frankenstein”. Ela aponta que esse alimento pode causar flutuação dos níveis de açúcar no sangue, levando a mudanças no humor ganho de peso e irritabilidade, entre outros sintomas. Além disso, a maior parte desses salgadinhos é frita em óleo, que vira ranço e está ligado a processos inflamatórios.
Solução: É verdade o milho está quase todo transgênico, mas ainda temos a pipoca orgânica. Promova uma deliciosa rodada de pipoca de verdade, aquela da panela que faz barulho e convide a criançada para participar. Garanto que os salgadinhos serão esquecidos, pois o cheirinho e o carinho são muito mais irresistíveis.

8º lugar: Pizza
Nem todas as pizzas são ruins para a saúde, mas a maioria das que são vendidas “congeladas” em supermercados está cheia de condicionadores de massa artificiais e conservantes. Feitas com farinha branca, essas pizzas são absorvidas pelo organismo e transformadas em açúcar puro, causando aumento de peso e desequilíbrio dos níveis de glicose no sangue.
Solução: Ah também tenha dó pizza congelada,ninguém merece. Peça uma quentinha na pizzaria mais próxima (é menos prejudicial e bem mais gostosa) ou faça a sua própria massa e chame todo mundo para colocar o recheio favorito.
Aproveite e desvende novos sabores, tenha várias cumbucas com ingredientes diferentes: mussarela ralada, azeitonas pretas picadas, alho poro refogado, cogumelos no azeite, muito tomate orgânico temperado, folhinhas de rúcula e manjericão, ricota temperada, mussarela de búfala, e tudo o mais que a sua imaginação for capaz de criar. Aproveite e faça umas doces também: bananas ou maçãs cozidas com açúcar e canela, brigadeiro, goiabada e queijo branco. 
 
7º lugar: Batatas fritas
Contêm não apenas gorduras trans, que já foram relacionadas a uma longa lista de doenças, mas também uma das mais potentes substâncias cancerígenas presentes em alimentos: a acrilamida, que é formada quando batatas brancas são aquecidas em altas temperaturas.
Além disso, a maioria dos óleos utilizados para fritar as batatas se torna rançosa na presença do oxigênio ou em altas temperaturas, gerando alimentos que podem causar inflamações no corpo e agravar problemas cardíacos, câncer e artrite.
Solução: Começo a pensar que o problema maior não são os industrializados, e sim os hábitos das famílias. Já que as crianças amam batatas fritas porque não usar batatas orgânicas fritas em óleo de girassol, feitas em casa lógico?
Conhecem as falsas batatas fritas? Aí vai a receita: Cozinhar ligeiramente as batatas cortadas em cubinhos, escorrer, salpicar sal marinho e jogá-las em óleo bem quente apenas para dourar. Pode ser feito com mandioquinha e mandioca também. É fritura, sim, mas bem menos perversa.

6º lugar: Salgadinhos de batata
Além de causarem todos os danos das batatas fritas comuns e não trazerem nenhum benefício nutricional, esses salgadinhos contêm níveis mais altos de acrilamida, que também é cancerígena.
Solução: O conselho do 5º lugar aqui também é válido.

5º lugar: Bacon
O consumo diário de carnes processadas, como bacon, pode aumentar o risco de doenças cardíacas em 42% e de diabetes em 19%. Um estudo da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, descobriu ainda que comer 14 porções de bacon por mês pode danificar a função pulmonar e aumentar o risco de doenças ligadas ao órgão.

4º lugar: Cachorro-quente
Michelle cita um estudo da Universidade do Havaí, também nos EUA, que mostrou que o consumo de cachorros-quentes e outras carnes processadas pode aumentar o risco de câncer de pâncreas em 67%. Um ingrediente encontrado tanto no cachorro-quente quanto no bacon é o nitrito de sódio, uma substância cancerígena relacionada a doenças como leucemia em crianças e tumores cerebrais em bebês. Outros estudos apontam que a substância pode desencadear câncer colorretal.

Solução para o 5º e 4º lugares: As carnes em geral são repletas de promotores de crescimento, às processadas ainda se acrescentam os aditivos químicos. Troque tudo isso por um lindo pão caseiro feito com linhaça e gergelim, aberto ao meio, coloque um ovo caipira frito na manteiga, rodelas de tomate temperado com azeite extra virgem, sal marinho e orégano. Acrescente fatias de mussarela ou queijo branco. Leve ao forno para derreter o queijo. Depois de tirar do forno acrescente 1 ou 2 folhas de alface. Coloque num prato bem bonito. Duvido que alguém reclame. Não gosta de ovo? Faça só com queijo.

3º lugar: Donuts (rosquinhas fritas)
Entre 35% e 40% da composição dos donuts é de gorduras trans – o pior tipo de gordura que você pode ingerir. Essas substâncias estão relacionadas a doenças cardíacas e cerebrais, além de câncer. Para completar, esses alimentos são repletos de açúcar, condicionadores de massa artificiais e aditivos alimentares, e contêm, em média, 300 calorias cada.
Solução: Um bolo caseiro substitui muito bem essas rosquinhas horrorosas, puro açúcar. Temos como opção um bolo de chocolate, preferência nacional, mas pode ser de fubá, cenoura, laranja, baunilha.
 
2º lugar: Refrigerante
De acordo com uma pesquisa do Dr. Joseph Mercola (www.mercola.com), uma lata de refrigerante possui em média 10 colheres de chá de açúcar, 150 calorias, entre 30 e 55 mg de cafeína, além de estar repleta de corantes artificiais e sulfitos. Além disso, essa bebida é extremamente ácida, sendo necessários 30 copos de água para neutralizar essa acidez, que pode ser muito perigosa para os rins. Para completar, os ossos funcionam como uma reserva de minerais, como o cálcio, que são despejados no sangue para ajudar a neutralizar a acidez causada pelo refrigerante, enfraquecendo os ossos e podendo levar a doenças como osteoporose, obesidade, cáries e doenças cardíacas.

1º lugar: Refrigerante Diet
É o pior alimento de todos os tempos. Além de possuir todos os problemas dos refrigerantes tradicionais, as versões diet contêm aspartame, que agora é chamado de AminoSweet. De acordo com uma pesquisa de Lynne Melcombe, essa substância está relacionada a uma lista de doenças, como ataques de ansiedade, compulsão alimentar e por açúcar, defeitos de nascimento, cegueira, tumores cerebrais, dor torácica, depressão, tonturas, epilepsia, fadiga, dores de cabeça e enxaquecas, perda auditiva, palpitações cardíacas, hiperatividade, insônia, dor nas articulações, dificuldade de aprendizagem, TPM, cãibras musculares, problemas reprodutivos e até mesmo a morte. Os efeitos do aspartame podem ser confundidos com a doença de Alzheimer, síndrome de fadiga crônica, epilepsia, vírus de Epstein-Barr, doença de Huntington, hipotireoidismo, doença de Lou Gehrig, síndrome de Lyme, doença de Ménière, esclerose múltipla, e pós-pólio.
Solução para o 2º e 1º lugares: Sucos, sucos e sucos de frutas. Vitaminas com leite e frutas, banana e chocolate. Deixe seu filho conhecer novos sabores, ofereça, coloque em copos e jarras chamativos, canudos, guardanapos engraçados, mesas enfeitadas. Pense bem, as propagandas e as embalagens são muito mais gostosas que a bebida ou a comida em si, será que não está faltando charme em sua mesa? Será que o belo não está sendo esquecido em função da praticidade? Comemos primeiro pelos olhos, sempre. Capricho, carinho e atenção são os melhores condimentos.
Lembrando: a Natureza cobra, e somos parte dela, nossa natureza é um alimento puro, vivo, com a energia do carinho na escolha, na preparação e no servir.Reveja seus valores nutricionais, converse com seu filho sobre os problemas causados pelo alimento no Ser Humano e no Meio Ambiente. Vale dedicar um pouco mais de tempo para o alimento, o resultado aparece na Saúde e na Consciência.

Postado em 06 de Fevereiro, às 17:57 por Ivanildo Bastos 0 comentários

Hospital da Mulher em Salvador de prontidão no Carnaval 2018

Um lugar para ser acolhida e receber todo o suporte necessário em casos de violência sexual. O Serviço AME, localizado no Hospital da Mulher, no Largo de Roma, em Salvador, acolhe integralmente as mulheres e adolescentes a partir dos 12 anos que forem expostas a situações de abusos e violência sexual.

Composto por equipe multiprofissional, o serviço é formado por médicos ginecologistas, enfermeiros, assistentes sociais, psicólogas e farmacêuticas, com funcionamento nas 24 horas, todos os dias da semana, incluindo finais de semana, carnaval, feriados e demais datas comemorativas.

Em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM-BA), o Serviço AME estará com unidade móvel de quinta (08/02) a terça-feira (13/02) no circuito Dodô, orientando e encaminhando, quando necessário, para o Hospital da Mulher. A ação é uma pactuação com representantes de diversos órgãos da Rede de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres durante o Carnaval de Salvador, com o objetivo de oferecer mais proteção às baianas e turistas. Desde o ano passado, o AME é referência em acolhimento no período do Carnaval.

Fluxo de Encaminhamento

Na unidade, o Serviço AME recebe mulheres por demanda espontânea – também chamada porta aberta – sem necessidade de agendamento prévio e podem ser encaminhadas pela rede de enfrentamento à violência contra a mulher, através de órgão judicial e policial, Instituto Médico Legal (IML), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Delegacia Especial de Atenção à Mulher (DEAN’s), Unidade de Pronto Atendimento (UPA’s) e Central Estadual de Regulação da Bahia (CER-BA).

Na Unidade Móvel, assistentes sociais estarão de plantão na unidade móvel de quinta (08/02) a terça-feira (13/02) no circuito Dodô, em Ondina, próximo às esculturas “das gordinhas” esclarecendo dúvidas e realizando o encaminhamento para o Hospital da Mulher, adolescentes e mulheres expostas à violência sexual para o atendimento médico e psicossocial necessário à sua saúde física e mental.

O Serviço AME orienta que o atendimento de emergência – primeiro atendimento – seja realizado em até 72 horas da violência para um melhor prognóstico.

A paciente dando entrada na unidade realiza exames laboratoriais sorológicos, profilaxia para HIV e DST’s, contracepção de emergência, além de, quando necessário e desejo da mulher, dispõe de acompanhamento a delegacia especializada para registro da ocorrência e exame médico pericial em parceria com o IML.


“Embora os atendimentos aconteçam com ou sem o registro do Boletim de Ocorrência (B.O.), a notificação através do documento é importante para maior precisão e eficácia das políticas de reparação”, esclarece a coordenadora do AME, Jamile Martins.

Além do atendimento de emergência, o AME realiza consultas de seguimento multiprofissional por no mínimo seis meses. O Serviço desenvolve cuidado diferenciado às mulheres em situação de violência sexual e em caso de dúvidas e encaminhamentos o contato é através do telefone (71) 4141-6520 ou e-mail: [email protected] Denúncias de violência sexual podem ser feitas através do Disque 180.

Postado em 06 de Fevereiro, às 10:13 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Muito tempo sem fazer sexo? Veja o que acontece com o seu corpo

Para o endocrinologista Alexandre Hohl, apesar de as relações sexuais fazerem muito bem à saúde, a abstinência não chega a representar um dano ao nosso corpo.

— Ninguém fica doente porque não faz sexo. Mas a relação, sim, pode adoecer. Tenho pacientes que, mesmo sem problemas hormonais, não sentem desejo, deixaram o casamento cair na rotina. É preciso reinventar a relação — alerta o médico, que é presidente do departamento de endocrinologia feminina e andrologia da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

No campo psicológico, a interrupção da vida sexual pode ser um sintoma de outros problemas ou traumas.

— Quando a abstinência é uma escolha, religiosa ou não, tudo bem. Mas, às vezes, essa é uma condição e não uma decisão. A pessoa pode ter aversão ao sexo como consequência de um trauma, como um abuso — alerta a terapeuta Isabel Cabral Delgado, do departamento de Sexualidade do Hospital Moncorvo Filho, da UFRJ.

Transar faz bem: 

Testosterona

Se a abstinência não causa doenças, fazer sexo melhora a saúde. Como é um exercício físico, a relação sexual estimula a liberação de testosterona no homem. É um círculo virtuoso: quanto mais sexo, mais desejo.

Explosão hormonal

O sexo prazeroso provoca uma chuva de hormônios tanto nos homens, como nas mulheres. A liberação de adrenalina, noradrenalina e cortisol age na musculatura, estimula o Sistema Nervoso Central e dilata os vasos, o que melhora a circulação.

Endorfina

Prazer, bem-estar, alegria... A endorfina é o hormônio responsável por ativar áreas do cérebro ligadas a essas sensações. Na transa, sua produção vai às alturas.

Postado em 05 de Fevereiro, às 07:59 por Magno Bastos 0 comentários

Ministro da saúde se reúne com prefeitos baianos na UPB

Financiamento da saúde. Este é um dos assuntos do evento que acontece no auditório da União dos Municípios da Bahia (UPB), nesta terça-feira (6), às 10h. O evento trata-se de uma convocação extraordinária do ministro da Saúde, Ricardo Barros, que estará presente e vai falar também sobre as ações da saúde para 2018 e prestação de contas, incluindo recursos de 2017 e previsões para este ano.

Em convite extensivo aos secretários municipais de saúde, o ministro afirma que será a oportunidade de realizar uma reunião com prefeitos e gestores do estado. É necessário confirmar presença pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone 61. 3315-2390.

Postado em 03 de Fevereiro, às 12:42 por Carlos Quintino 0 comentários

Saiba como proteger a audição nos dias de folia


Chegou a época mais esperada pelos foliões. O carnaval garante diversão e prazer em trios elétricos, blocos de rua, bailes ou nas avenidas do samba. Mas, em todos os casos, a folia vem acompanhada de música em alto volume; e aí é que mora o perigo. É que além de se proteger dos raios solares, ter uma alimentação saudável e beber bastante água, é importante também não esquecer de proteger a sua audição. Caso contrário, os dias barulhentos podem ocasionar zumbido, sensação de pressão nos ouvidos e dificuldades para ouvir.  
 
Medições já realizadas em blocos e trios elétricos mostraram que o som ao redor pode ultrapassar 120 decibéis. A Organização Mundial da Saúde (OMS) aconselha que a exposição ao ruído não supere os 65 decibéis, sendo a exposição prolongada a sons acima de 85 decibéis muito prejudicial à saúde auditiva. Por isso, alguns cuidados são indispensáveis. Para quem curte a maior festa do país seguindo os blocos e trios tradicionais, o recomendado é ficar longe das caixas de som, a uma distância mínima de 20 metros do equipamento.
 
Quem ajuda a fazer o espetáculo, como integrantes da bateria de escolas de samba ou de trios elétricos, devem redobrar a atenção, já que estão em contato direto com ruídos que ultrapassam os 100 decibéis. Nestes casos, o protetor auricular pode contribuir para a diminuição do impacto do som nos ouvidos, evitando dores e incômodos. A fonoaudióloga Isabela Papera, da Telex Soluções Auditivas, recomenda: “Os protetores, ou atenuadores, como chamamos, diminuem o som que entra pelos ouvidos, permitindo que se escute a música ou o batuque em um volume aceitável. É imprescindível para quem trabalha em ambientes com altos volumes”.
 
Os sons elevados podem causar zumbido persistente e prejuízos à audição. Tudo começa com uma sensação de abafamento nos ouvidos, que pode durar horas. Caso os sintomas se prolonguem, é necessário procurar um otorrinolaringologista. “A perda auditiva é cumulativa. A permanência crônica ao barulho lesa as células ciliadas que ficam dentro do ouvido. As milhares de células danificadas causam a sensação de “ouvido tampado” ou zumbido. Essa sensação normalmente desaparece nas 12 horas seguintes à exposição ao barulho. Mas, se o ruído for frequente, as células ciliadas podem morrer e, como não se regeneram, instala-se então a perda auditiva”,  explica a fonoaudióloga.

Para entrar na folia com estilo e responsabilidade, os protetores de ouvido já podem ser encontrados em diversas cores. São feitos em acrílico ou silicone e moldados de acordo com a anatomia do ouvido de cada usuário. Além de combinar com sua fantasia, o acessório contribui para a manutenção de uma boa audição para os próximos carnavais e, principalmente, ao longo da vida.

Postado em 03 de Fevereiro, às 10:27 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Ministério da Saúde atualiza números de casos de febre amarela

O Brasil registrou 213 casos de febre amarela, sendo que 81 vieram a óbito, no período de 1º julho de 2017 a 30 de janeiro deste ano. No mesmo período do ano passado, foram confirmados 468 casos e 147 óbitos

O Ministério da Saúde atualizou nesta terça-feira (30) as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação da febre amarela no país. No período de monitoramento (de 1º de julho/2017 a 30 de janeiro de 2018), foram confirmados 213 casos de febre amarela no país, sendo que 81 vieram a óbito. Ao todo, foram notificados 1.080 casos suspeitos, sendo que 432 foram descartados e 435 permanecem em investigação, neste período.

No ano passado, de julho de 2016 até 30 janeiro de 2017, eram 468 casos confirmados e 147 óbitos confirmados. Os informes de febre amarela seguem, desde o ano passado, a sazonalidade da doença, que acontece, em sua maioria, no verão. Dessa forma, o período para a análise considera de 1º de julho a 30 de junho de cada ano.

CAMPANHA - A campanha de fracionamento da vacina contra a febre amarela começou na última quinta-feira (25) nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. A antecipação foi adotada porque o Ministério da Saúde já repassou, a ambos os estados, os insumos que serão utilizados nas campanhas. A campanha de vacinação no estado da Bahia começa no dia 19 de fevereiro.

Para auxiliar os estados e municípios na realização da campanha, o Ministério da Saúde vai encaminhar aos estados R$ 54 milhões. Desse total, já foram repassados R$ 15,8 milhões para São Paulo; R$ 30 milhões para Rio de Janeiro, e está em trâmite a portaria que autorizará o repasse no valor de R$ 8,2 milhões para a Bahia. 

A adoção do fracionamento das vacinas é uma medida preventiva e recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) quando há aumento de epizootias e casos de febre amarela silvestre de forma intensa, com risco de expansão da doença em cidades com elevado índice populacional. A dose fracionada tem apresentado a mesma proteção que a dose padrão. Estudos em andamento já demonstraram proteção por pelo menos oito anos e novas pesquisas continuarão a avaliar a proteção posterior a esse período. 

O Ministério da Saúde, no ano de 2017 até o momento, encaminhou, as Unidades Federadas, o quantitativo de aproximadamente 58,9 milhões de doses da vacina. Para os estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia foram enviados cerca de 49,8 milhões de doses, com objetivo de intensificar as estratégias de vacinação, sendo 19,7 milhões (SP), 10,7 milhões (MG), 12 milhões (RJ), 3,7 milhões (ES) e 3,7 milhões (BA).

É importante informar que a febre amarela é transmitida por meio de vetor (mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes no ambiente silvestre). O último caso de febre amarela urbana foi registrado no Brasil em 1942, e todos os casos confirmados desde então decorrem do ciclo silvestre de transmissão.

Distribuição dos casos de febre amarela notificados: 1º/7/2017 a 30/01/2018.

 

Postado em 30 de Janeiro, às 18:05 por Magno Bastos 0 comentários

Medicamento no SUS para tratamento do câncer deve ser incorporado

O Dia Mundial do Câncer é celebrado no mundo todo em 4 de fevereiro, com o objetivo de elevar a conscientização para a doença e mobilizar atitudes e decisões que reduzam o impacto do câncer globalmente. No Brasil, uma importante conquista para pacientes começa a ser colocada em prática pouco antes da data, uma conquista que significa o fim de um longo período de espera.
 
A partir do dia 29 de janeiro, toda paciente com câncer de mama metastático HER2+ deve ter acesso ao trastuzumabe no SUS. Ou melhor, esse é o prazo após a publicação no Diário Oficial da União, em 3 de agosto de 2017, anunciando a incorporação do medicamento no Sistema Único de Saúde. Cento e oitenta dias, seis meses de espera para disponibilizar o tratamento que pode dar mais tempo de vida para mulheres que enfrentam a doença em seu estágio mais avançado. Se formos pensar na espera desde que o medicamento passou a ser comercializado no Brasil, lá se vão quase 20 anos.
 
Sob articulação da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA), ONGs de todo o Brasil agora irão às Secretarias Municipais e Estaduais da Saúde indagar sobre a disponibilização do trastuzumabe em sua rede pública, com ofícios que buscam respostas concretas sobre a situação da assistência a essas pacientes. No documento, três pontos servirão de diretrizes: Já houve alguma orientação do Ministério da Saúde sobre a forma de distribuição do trastuzumabe em seu município/estado? O medicamento já está sendo disponibilizado para pacientes com câncer de mama metastático? Se não, há alguma previsão para a distribuição? Porque ainda não está disponível, se for o caso?

 O trastuzumabe mudou a forma como o câncer de mama é tratado no mundo e figura na Lista de Medicamentos Essenciais para combater a doença, criada pela Organização Mundial da Saúde para orientar governos na decisão de oferta de alternativas terapêuticas à população. No Brasil, contudo, somente foi viabilizado em 2012 na rede pública, mas apenas a pacientes diagnosticadas com a neoplasia em estágio inicial ou localmente avançado, excluindo o acesso à medicação para todas as mulheres também diagnosticadas com o mesmo tipo de câncer, Her 2 positivo, mas no estágio mais avançado, quando a doença voltou em outra parte do corpo.
 
Vítimas da desigualdade de acesso à assistência em saúde, as pacientes com câncer de mama metastático precisavam buscar na judicialização o direito a mais tempo de vida. Milhares de mulheres morreram lutando para receber o medicamento, precisando ir até os tribunais para clamar por tratamento.
 
A ação coordenada pela FEMAMA fará alusão ao Dia Mundial do Câncer. Com isso, criaremos um coro em uníssono com pessoas de todo o mundo que se empenham em mudar a realidade de pacientes com câncer, movidos pelo ímpeto de fazer a diferença na luta por condições igualitárias à detecção, ao tratamento e aos cuidados com o paciente. No Dia Mundial do Câncer, a FEMAMA, que também é membro da União Internacional de Controle do Câncer (UICC), instituição responsável pela criação da data, conclama líderes e comunidades para comprometerem-se a lutar para que diagnóstico e tratamento adequados sejam assegurados a toda população independentemente do sistema de saúde – seja público ou privado.

A entrega do ofício às Secretarias de Saúde é mais um ato da constante atuação da FEMAMA e suas mais de 70 associadas no Brasil e que também estiveram presentes em todo o processo para incorporação do medicamento no SUS. Durante a consulta pública que buscou ouvir a opinião da sociedade sobre a oferta do trastuzumabe na rede pública de saúde, estivemos à frente de campanhas e debates que mobilizaram a população e os governantes a se envolverem com a reinvindicação.
 
Agora, permanecemos presentes para cobrar que essa conquista seja efetivada.
 
Todas as pacientes com câncer de mama metastático devem encontrar o trastuzumabe no SUS. Esse prazo deve ser respeitado: não podemos mais esperar. E quanto aos demais pacientes oncológicos e pessoas que se relacionam de alguma forma com o câncer: hoje é o momento de agir e causar impacto.

 Maira Caleffi, presidente voluntária da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA) e Chefe do Serviço de Mastologia do Hospital Moinhos de Vento

Postado em 29 de Janeiro, às 11:51 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Medicamento inadequado responde por 33,62% dos casos de intoxicação

O uso inadequado de medicamentos lidera o ranking das causas de intoxicação, segundo um levantamento realizado pelo Centro de Informação e Assistência Toxicológica (Ciatox) da Unicamp, em Campinas (SP). A ingestão de remédios corresponde por 33,62% das ocorrências registradas pela instituição. Em 2017, foram realizados 5.420 atendimentos no centro, sendo que 1.822 estavam relacionados ao consumo de medicamentos.

 “A automedicação ainda é uma cultura muito resistente na nossa sociedade. O uso inadequado de medicamento pode acarretar sérios prejuízos para a saúde, inclusive acarretando a morte do paciente”, alerta Luiz Carlos Silveira Monteiro, presidente da ePharma, médico e conselheiro da Asap (Aliança para Saúde Ocupacional).

 O especialista leva em consideração uma série de análises para prescrever um remédio para um paciente. “A interação com outros medicamentos, por exemplo, é fundamental para um diagnóstico preciso e a melhor indicação medicamentosa”, explica o médico. O uso inadequado de várias substâncias pode ainda dificultar o correto diagnóstico e aumentar o problema de saúde do paciente.

 As crianças e os idosos são os mais prejudicados pelo uso incorreto de medicamentos. Vítimas de ingestão acidental, a garotada é mais suscetível de intoxicação, principalmente no período de férias. Já os idosos, podem se confundir com outros medicamentos. “Por isso, é preciso separar esses remédios em frascos que colaborem para a identificação pelo idoso. Colocar em recipientes de cores diferentes, por exemplo, facilita na hora da medicação”, orienta o presidente da ePharma.

 Para Monteiro, as pessoas que dispõem de assistência farmacêutica, também conhecidas por PBM (Programa de Benefícios de Medicamentos), contam com uma proteção a mais na hora do uso de remédios: “Essas companhias contribuem para a redução da automedicação. Os pacientes atendidos por esses programas só podem consumir medicamentos indicados pelo médico”.

 A ePharma 
Referência em gerenciamento de benefícios farmacêuticos no Brasil desde 1999, a ePharma desenvolve soluções inovadoras para acesso e adesão a medicamentos oferecendo gestão e orientação especializada. Inovação, integração e cuidado em saúde são os pilares que sustentam a estratégia da companhia para atendimento aos seus clientes. 
A ePharma está conectada a mais de 24 mil farmácias em mais de 2.700 municípios em todo o Brasil. São 28 milhões de usuários atendidos por ano em planos de medicamentos. A empresa realiza 6,5 mil procedimentos por mês em mais de 1,3 mil clínicas e laboratórios credenciados. Além disso, 40 mil pacientes são monitorados por mês em PSPs (Programas de Suporte a Pacientes) de diversas corporações. A empresa atende 200 clientes corporativos, 19 indústrias e 7 operadoras no país. 

Postado em 25 de Janeiro, às 11:27 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Conheça outros cinco problemas causados pelo cigarro além do câncer de pulmão

Câncer de pulmão não é o único motivo de preocupação entre os fumantes: conheça outras cinco doenças causadas pelo cigarro
Coração, veias, estômago e até os dentes são alguns dos órgãos que também sofrem as consequências do tabagismo
São Paulo, janeiro de 2018 – O hábito de fumar já é responsável pela morte de uma em cada dez pessoas, isso é o que aponta o relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgado em 2017. Apesar do câncer de pulmão ser a doença mais temida pelos fumantes, ele não é a única ameaça à vida que o cigarro pode provocar.

Doenças cardiovasculares, como a trombose e o derrame cerebral também sofrem influência direta do tabaco. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), 25% das mortes causadas por essas doenças são fomentadas pelo fumo. Além disso, 45% das mortes de pessoas que tem menos de 65 anos e sofreram infarto agudo do miocárdio também são atribuídas ao cigarro. “Assim como o álcool e outras drogas ilícitas, o cigarro afeta o organismo de forma sistêmica, por isso diversos órgãos são lesados”, explica o pneumologista Doutor José Jardim, Professor-Livre Docente de Pneumologia da Escola Paulista de Medicina da UNIFESP.

Com o sistema gastrointestinal não é diferente. Começando na boca, o tabagismo propicia o aparecimento da doença periodontal e, consequentemente, a perda dos dentes. O sistema imunológico do fumante, responsável por combater as bactérias que causam a doença é enfraquecido pelo cigarro e, por isso, eles têm duas vezes mais risco de desenvolvê-la.
Já para estômago, o hábito de fumar, especificamente após as refeições, aumenta o risco de infecção pela bactéria H. pylori, que pode provocar o aparecimento de úlceras peptídicas na cavidade estomacal, além de diversos outros efeitos que dificultam o processo digestivo.

Atualmente sabe-se que mais de 50 doenças estão associadas ao tabagismo e, apesar do grave impacto nesses e em outros órgãos, o pulmão ainda é o que mais sofre com o cigarro. Porém, ao contrário do que se pensa, o câncer de pulmão não é o único motivo de preocupação entre os fumantes. Outro problema comum é a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), que muitas vezes, sem diagnóstico, acomete o fumante durante a maior parte da vida.
A DPOC causa a bronquite, caracterizada pela inflamação dos brônquios e fazendo com que haja persistência de tosse e catarro, e o enfisema, que destrói as paredes dos alvéolos pulmonares, restringindo a elasticidade do tecido pulmonar. Ambos acometimentos reduzem drasticamente a capacidade respiratória, tornando o paciente cada vez com mais falta de ar.

“Normalmente, o fumante recebe o diagnóstico de DPOC com a doença em progressão, isso porque a falta de ar característica dessa doença se confunde com o pigarro normalmente causado pelo cigarro, e a falta de ar, pela falta de condicionamento físico atribuída a idade, o que o faz postergar a procura por um especialista”, conta o médico. “O que de fato o faz procurar ajuda é a sensação de fadiga incapacitante ao realizar tarefas simples, como subir escada ou ladeiras, levantar da cama, trocar de roupa ou tomar banho, mostrando um quadro avançado que precisa de atenção”.
Apesar de progressiva, a doença leva certo tempo para demonstrar sintomas preocupantes, o que atrasa o diagnóstico e, consequentemente, complica o tratamento. “Com o tempo e perda de autonomia o paciente deixa de conviver em sociedade e se torna dependente de terapias que gerenciam os efeitos da doença, isso quer dizer que, dependendo do caso, a ingestão de medicamentos e até mesmo o uso de oxigênio se tornam essenciais para o indivíduo”, esclarece o Dr. Jardim.

Combate ao fumo
Embora a OMS veja o Brasil como líder mundial no controle do tabagismo, o hábito ainda leva à óbito 156 mil brasileiros ao ano, segundo a pesquisa “O cigarro mata”, publicada pelo INCA em 2017.
Para evitar os efeitos e complicações que o tabagismo causa na saúde, o pneumologista Dr. José Jardim alerta: “O melhor é optar pela prevenção: não fumar é essencial para manter uma boa saúde ao longo da vida, pois uma vez que se torna um hábito, é cada vez mais difícil interrompê-lo e os danos vão só piorando com o passar do tempo”.

Bayer: Science For A Better Life (Ciência para uma Vida Melhor)
A Bayer é uma empresa global focada em Ciências da Vida nas áreas de cuidados com a saúde humana e animal e agricultura. Seus produtos e serviços são desenvolvidos para beneficiar as pessoas e melhorar sua qualidade de vida. Além disso, a companhia objetiva criar valor por meio da inovação. A Bayer é comprometida com os princípios do desenvolvimento sustentável e com suas responsabilidades sociais e éticas como uma empresa cidadã.

Em 2016, o grupo empregou cerca de 115 mil pessoas e obteve vendas de € 46.8 bilhões. Os investimentos totalizaram € 2.6 bilhões e as despesas com Pesquisa & Desenvolvimento somaram € 4.7 bilhões. Esses números incluem os negócios de polímeros de alta tecnologia, que foram lançados no mercado de ações como companhia independente nomeada Covestro, em 06 de outubro de 2015. Para mais informações, acesse www.bayer.com.br.

Postado em 25 de Janeiro, às 11:23 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

HRSAJ promove Simpósio contra Febre Amarela e Malária

O Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus (HRSAJ) promoveu, nesta terça-feira (23), o Simpósio de Atualização Contra Febre Amarela e Malária, doenças transmitidas pela picada de um mosquito infectado.
A reunião teve como objetivo agregar informações acerca das doenças epidemiológicas devido as suas gravidades clínicas. De acordo com o diretor médico da unidade, Wedner Costa, a ideia foi chamar atenção para a importância da prevenção, notificação, diagnóstico e tratamento adequados, além de abordar formas de controle e investigação de casos suspeitos.

O evento, ministrado pela médica Lívia Araújo, contou com a participação da sanitarista Rita Sauer, da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), e teve como público alvo os profissionais de saúde do hospital, incluindo médicos e residentes, além de representantes da Secretaria de Saúde de Santo Antônio de Jesus, do Núcleo Regional de Saúde e Conselho de Saúde do município.

Para a conselheira de saúde Suely Nolasco Terra, a palestra teve grande importância para a atualização destes profissionais. “Tanto a febre amarela quanto a malária se confundem com doenças mais simples, então tem que ter muito cuidado para que as pessoas não fiquem apavoradas, achando que estão com a doença. Desta forma, os profissionais de saúde estão preparados e atualizados para receber a demanda caso aconteça alguma confirmação das doenças aqui em Santo Antônio de Jesus e nas cidades circunvizinhas”, afirmou.

Vale lembrar que uma pessoa não transmite febre amarela diretamente para outra. Para que isto ocorra, é necessário que o mosquito pique uma pessoa infectada e, após o vírus ter se multiplicado, pique um indivíduo que ainda não teve a doença e não tenha sido vacinado. Os principais sintomas são dores de cabeça e no corpo, febre alta, olhos e pele podem ficar amarelados.
Ascom HRSAJ

Postado em 25 de Janeiro, às 11:08 por Cristóvão Guimarães 0 comentários

Verão favorece o aparecimento de candidíase vaginal

Com a temporada de verão, praia e piscina passam a fazer parte dos dias de lazer. Apesar de todas as belezas da estação, é nesse período que a aumenta a incidência da candidíase - infecção na região vaginal causada, principalmente, pelo fungo Candida Albicans.   
 
“O fungo que causa a candidíase está presente no corpo humano desde o nascimento, no entanto, quando há queda de imunidade ou aumento da agressão externa, com o uso excessivo de roupas de banho molhadas por muito tempo ou calça que aperte a região genital, pode ocorrer a proliferação dos fungos, desencadeando coceira na região íntima, corrimento de cor esbranquiçada e ardor ao urinar”, explica Renato de Oliveira, ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis. 
 
Para evitar o incômodo e aproveitar os dias de calor com a saúde em dia, é necessário seguir algumas recomendações. “Além de trocar a roupa de banho molhada assim que sair do mar ou piscina, se possível, lave e seque a região Íntima. Evite tambémsubstâncias que podem gerar um processo alérgico ou um desequilíbrio da flora vaginal como protetores diários, papéis higiênicos perfumados e uso de sabões em pó e amaciantes para a lavagem das calcinhas e, se possível, durma sem a peça íntima para ventilar a região”, aconselha.
 
Sobre a Criogênesis
A Criogênesis, que nasceu em São Paulo e possui mais de 14 anos de experiência com células-tronco, é acreditada pela AABB (Associação Norte Americana de Bancos de Sangue) e certificada pela IQNet NBR ISO 9001:2015. A clínica é referência em serviços de coleta e criopreservação de células-tronco, medicina reprodutiva, gel de plaquetas e aférese, incluindo a diferenciada técnica de fotoférese extracorpórea. Sua missão é estimular o desenvolvimento da biotecnologia através de pesquisas, assegurando uma reserva celular para tratamento genético futuro. www.criogenesis.com.br.   
 

Postado em 22 de Janeiro, às 17:17 por Cristóvão Guimarães 1 comentários

Hemorio começa a vacinar doadores de sangue contra febre amarela

A partir de hoje (22), os doadores de sangue que comparecerem ao Hemorio, centro que coordena o recolhimento e distribuição de sangue no Rio de Janeiro, poderão também tomar a dose da vacina contra a febre amarela.

O centro vai disponibiliza, diariamente, 400 doses da vacina contra a doença. Os voluntários que doarem sangue ou os que forem considerados inaptos para tal, após passar por triagem clínica, poderão receber a dose da vacina.

A adesão do órgão à campanha de vacinação contra a febre amarela faz parte do esforço para atender à população, segundo o secretário de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Jr.

“Estamos pedindo que a população busque a vacina. Com isso, ampliamos o número de doações e também vacinamos mais pessoas”, disse.

Teixeira Júnior ressaltou que no Hemorio só serão vacinados os candidatos à doação de sangue, o que torna, portanto, "necessário que o doador passe pela triagem antes da imunização".

O Hemorio é responsável pelo abastecimento das emergências dos hospitais da capital, maternidades e outras unidades de saúde e, também, pelo envio de sangue, quando necessário, para outras cidades.

A iniciativa é importante, porque vai promover a elevação dos estoques no banco de sangue do estado, exatamente nos dias que antecedem o carnaval, período em que a unidade recebe até 40% menos doadores de sangue.

Com a vacinação em massa, a tendência é que os estoques diminuam ainda mais. Por este motivo, na avaliação do diretor-geral do Hemorio, Luiz Amorim, “é de extrema importância que as pessoas doem sangue antes de serem vacinadas, já que é preciso esperar quatro semanas para doar após a vacina”. Para ele, “a criação deste polo é uma solução eficiente para evitar o desabastecimento de sangue neste período que antecede e também durante o carnaval”.

Postado em 22 de Janeiro, às 16:05 por Magno Bastos 0 comentários

Novo exame de sangue poderá detectar 8 tipos de câncer

Um grupo de cientistas internacionais desenvolveu um novo exame de sangue para o câncer capaz de detectar oito tipos diferentes de tumores antes deles se espalharem para outras partes do corpo.


Liderado por Joshua Cohen, da Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, nos Estados Unidos, o estudo, baseado em uma análise combinada de DNA e proteínas, foi publicado nesta quinta-feira (18) na revista "Science".

De acordo com a publicação, o "diagnóstico de câncer antes que haja metástases é uma das chaves para reduzir as mortes por esta doença no futuro".

O estudo envolveu 1.005 pacientes cujos cânceres - já pré-diagnosticados com base em seus sintomas - foram detectados com uma taxa de precisão de 69% a 98%.

No primeiro momento, o novo método de diagnóstico foi criado para detectar a doença no ovário, fígado, estômago, pâncreas, esôfago, colorretal, pulmão e mama. Chamado de CancerSEEK, o exame analisa mutações em 16 genes que estão vinculadas a diferentes tumores, bem como 10 biomarcadores de proteínas que circulam no sangue.

"Os pesquisadores encontraram o DNA dos tumores em circulação no sangue junto ao nível de algumas proteínas, que podem ser indícios do desenvolvimento do câncer", revelou Fabrizio d'Adda di Fagagna, pesquisador do Instituto de Oncologia Molecular de Milano.

Os cientistas acreditam que o custo deste exame de sangue poderá ser inferior a US$500 dólares. Com informações da Ansa.

Postado em 19 de Janeiro, às 21:57 por Ivanildo Bastos 0 comentários

Próximo




Instagram




Enquetes


Categorias

Áudios Cidades Colunas Educação Entretenimento Esportes Polícia Política Publicidade Saúde Tempo

Rede Criativa

Mídia Notícias Rádio Hoje Brasil Repórter Hoje

Cidades

Amargosa Brejões Elísio Medrado Itatim Laje Milagres Recôncavo Salvador Santo Antonio de Jesus São Miguel das Matas Ubaíra Vale do Jiquiriçá Varzedo
Anunciar | Você Repórter | Termos de Uso | Contato | Expediente
©Copyright - Criativa On Line - Rede Criativa de Comunicação
A Força da Comunicação na Internet! 21/02/2018 12:02